Contos Proibidos: Memórias de um PS Desconhecido. Mário Soares e o financiamento do PS


Mário Soares ia, entretanto, aproveitando algumas das suas viagens enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros para angariar alguns fundos para o PS. Mas, apesar de alguns contributos iniciais dos partidos sociais-democratas escandinavos, do SPD e de uma campanha de angariação de fundos lançada na Holanda pelo PVDA (PArtido Trabalhista), os apoios financeiros estavam longe de ser o que muitos imaginavam e se insinuava. Segundo consegui apurar, o movimento sindical noruguês deu pela primeira vez ao PS, em Maio de 1974, após visita a Oslo de Francisco Ramos da Costa, cem mil coroas norueguesas. E demonstrando os seus bons contactos internacionais e capacidade de angariação de fundos, também o PSD da Dinamarca forneceria cinquenta mil coroas enviadas através do Banco Espírito Santo e Comercial de Lisboa.(…)
Pelos meus cálculos, com base na pesquisa informal que eu próprio faria posteriormente, deduzi que, em 1974, o PS não recebeu de partidos «irmãos» montantes significativos e nem de longe minimamente comparáveis aos que os serviços de informação americanos afirmavam o PCP estar a receber! Aliás, só o secretário-geral sabia exactamente quanto e de onde recebia o dinheiro, sendo certo que, na prática portuguesa, o controle financeiro dos partidos está intimamente ligado ao controle do próprio partido. Não admira que este tipo de informação permaneça fechado e que as leis da chamada transparência, aprovadas pelos principais partidos políticos, permaneçam ainda hoje tão opacas!

Comments

  1. ÉS comunista e não falas do dinheiro que vinha através da Internacional Comunista. Este tipo de discurso, repetido diversas vezes em mesas de café acabou por saturar. Os erros dos líderes existem, mas nunca queira assemelhar o PS ou o SPD ao PCUS e ao seu período estálinista. Negar o que é evidente, procurando denegrir a imagem de Soares, através de uma prática comum, o financiamento internacional dos partidos, é mais do que viver na sombra, fazendo-me lembrar um relatório de um bufo da PIDE para apresentar trabalho e ganhar uns trocos, fosse de que forma fosse.

  2. Ricardo Santos Pinto says:

    Eu não falo de nada, caro Carlos Menezes. Caso ainda não tenha percebido, este «post» é um excerto do livro de Rui Mateus, «Contos Proibidos: Memórias de um PS Desconhecido». Não fui eu que escrevi isto, foi o Rui Mateus.

  3. […] Continuação daqui […]

Trackbacks

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Justiça em Portugal. Justiça em Portugal said: Memorias de um PS desconhecido … Mário Soares e o financiamento do PS …. http://is.gd/bTTF8 via @aventar […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s