Na Coreia do Norte como em Celorico de Basto

coisas iguais, outras apenas parecidas.

25 Poemas de Abril (VIII)

Cantar Alentejano from Gustavo Imigrante on Vimeo.

Um poema de Jose Afonso, “ilustro-animado-analogicamente”,
por Gustavo Imigrante.
Chamava-se Catarina
O Alentejo a viu nascer
Serranas viram-na em vida
Baleizão a viu morrer

Ceifeiras na manhã fria
Flores na campa lhe vão pôr
Ficou vermelha a campina
Do sangue que então brotou

Acalma o furor campina
Que o teu pranto não findou
Quem viu morrer Catarina
Não perdoa a quem matou

Aquela pomba tão branca
Todos a querem p’ra si
Ó Alentejo queimado
Ninguém se lembra de ti

Aquela andorinha negra
Bate as asas p’ra voar
Ó Alentejo esquecido
Inda um dia hás-de cantar

Países da América Latina querem discutir a descriminalização das drogas

Nas Américas, apenas os EUA e o Canadá estão contra. Não admira o negócio das prisões e a guerra à droga dão dinheiro a muita gente.

A CPLP, Abril, o sector e o setor

A Resolução sobre a Situação na Guiné-Bissau, ontem aprovada pelo Conselho de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), será sempre lembrada como uma referência quer da crónica inaplicabilidade do Acordo Ortográfico de 1990 (AO90), quer do conceito de heterografia que lhe está associado, quer da precipitação em aplicar-se algo que a própria CPLP assumiu há poucos dias precisar de “diagnóstico relativo aos constrangimentos e estrangulamentos na aplicação” e de posterior “ajustamento”. [Read more...]

As mentiras pornográficas de Paulo Macedo

Eu e João Lemos Esteves pensamos igual. Quem deve estar fula é Clara Ferreira Alves, fã do Macedo. Teve uma amiga que foi mãe na MAC ao pé de seis ou sete mulheres negras… vejam só o ultraje! Já reclamou ao Ricardo Costa.

Como Se Fora Um Conto – O Viúvo Provisório

O Viúvo Provisório

Sentia-a como a melhor pessoa que alguma vez lhe coubera. A cumplicidade nas diferenças que tinham era enorme. O amor que nutriam um pelo outro era ainda maior.

Reduzido a uma provisória e passageira condição de viúvo, com a cama desfeita de um só lado, com um vazio secreto de que só se dava conta a espaços na noite e na hora do acordar, João vivia os dias triste a cansado, mas só pela condição de ser assim, triste.
As insónias vivia-as sozinho, tal como ela que, no andar de cima nem cama tinha, antes um catre estreito e curto, onde dormia, ou tentava dormir. Ela que era grande, comprida, muito mais do que ele.
“que queres que te faça, ressonas!”
Ele bem que sabia disso, mas não controlava o barulho que desde há alguns anos fazia. Era um barulho com vida própria, senhor do seu nariz e totalmente independente da sua vontade. [Read more...]

Rui Rio não foi à Es.Col.A

“A CMP já começou a previsível campanha desinformativa“, as mentiras do costume que a Gui desmonta. Leiam, o contraditório não sai nos jornais.

Hoje dá na net: Sócrates

Produção televisiva realizada em 1971 por Roberto Rossellini.

Ficha IMDB - Legendado em português.

Activismo Feminino

Há, pelo menos, duas razões para gostar desta fotografia: a da esquerda e a da direita.

Vivam Apenas

Sejam bons como o sol

Livres como o vento

Naturais como as fontes (…)

E, principalmente, não pensem na morte (…)

Vivam, apenas,

A Morte é para os mortos.

(José Gomes Ferreira, 1934)