Prova Final de matemática, 6º ano (código 62)


Uma das novidades de Crato chegou com a transformação das Provas de Aferição do 6º ano em Provas finais, quer a Língua Portuguesa, quer a Matemática (parte 1, parte 2, critérios de correção).

A diferença mais visível, além do nome, resulta do facto das provas finais “contarem para  a nota”, numa percentagem de 25%. Assim, todos os alunos do 6º ano que tenham chegado com nota 3 ao exame, têm a aprovação garantida, aconteça o que acontecer.

E ao contrário do que acontecia ontem, isto, depois de ver a Prova que os MEUS alunos realizaram hoje, deixa-me mais tranquilo. A prova está de acordo com os programas, os conteúdos são os que tinham que ser, mas as perguntas estão colocadas  de forma um bocadinho redonda e tenho para mim que boa parte dos alunos se vai “esticar ao comprido”.

É uma prova difícil que vai fazer descer os resultados – tem um grau de dificuldade muito superior ao das provas de aferição. E continua-se a repetir um erro de provas anteriores – são pedidos conhecimentos que são muito pouco importantes, para não dizer nada (regras de cálculo de potências, por exemplo).

Comments

  1. eyelash diz:

    erotismo na prova de matemática do 9º ano – exercício 7.2

  2. maria celeste ramos diz:

    Difícil não significa impossível – e facilitar veio dar o que está à vista e é deplorável e ninguém ganha nada com isso – o facilitismo é desistência da qualidade

  3. A meu ver a prova enganava à primeira vista… Parecia fácil e isso gerava um entusiasmo “prejudicial” à atenção e concentração dos alunos. Perante a euforia do grau de “facilidade” os alunos eram levados a fazer o mais lógico sem prestarem a devida atenção aos exercícios! Eu própria quando vi a prova inicialmente, achei que era mais fácil do que vim a constatar quando a resolvi!
    Eu apenas atribuí à turma de 6ºano, 4 positivas… e no exame não sei se esses 4 vão ter positiva!
    No entanto a prova surpreendeu-me pela positiva. Ainda esperava pior!

  4. Suzete Dias diz:

    Já tive oportunidade de ver a prova e achei difícil. O meu filho preparou-se para o exame baseado basicamente nas provas de aferição de 2001 a 2011 e muitas questões que sairam no exame, não tinham nada a ver. O grau de dificuldade é bem superior às provas de aferição. Na minha opinião, em nada abonou esta prova. A meu ver, quem precisava de subir a nota, vai ser difícil…(mas não é impossível).

  5. Pronto já vi e fiz as contas e tirei 64 pontos nos exames

  6. Cláudio Santos diz:

    Eu sou um estudante e realizei ontem a prova de Economia A de 11º ano, eu sou totalmente a favor da exigência, mas uma coisa é exigir conteúdos leccionados e testar o que os alunos sabem, outra é fazer as perguntas de uma forma… bem como já dito “redonda”, não são enunciados claros, não são avaliados quase nenhuns conteúdos, eu acho que deve existir dificuldade, mas também acho que o modelo actual de exames está a precisar de um abanão, começar a “avaliar” não a confundir. Para além disso o Gave poderia começar a fornecer “exercícios tipo” (que eu lembro-me que há uns anos atrás eram fornecidos pelo GAVE a MAT A de 10ºano), caso contrário existe uma desadequação enorme entre o que estamos à espera de encontrar (de acordo com o preparado pelos últimos 4 anos de exames a ECO A) e o que encontramos. Caso contrário encontramos-nos numa situação de frustração em que dois anos de trabalho não serviram para nada no exame…

  7. As regras de cálculo com potências são pouco ou nada importantes? Porquê?

    • João Paulo diz:

      Obrigado por comentar Paulo. Eu refiro esse conteúdo apenas como exemplo de algo que, no contexto do programa me parece quase uma nota de rodapé. Operar com potências, de base ou expoente igual e tal…, parece-me uma dimensão pouco relevante, até porque foi agora, no 5º ano, que os alunos tiveram contacto com as potências. Aliás, uma parte significativa tem dificuldade no conceito inicial, repetindo o erro de multiplicar a base pelo expoente, ou seja, 2 elevado a 3 é seis e não 8 (2x2x2)… Mas, é uma opinião, a minha, tão válida como a sua claro. Fiquei foi com a sensação de que se valorizaram detalhes…

  8. Eu fiz o exame e achei-o muito fácil sinceramente não vi dificuldade nenhuma mas cada um tem as suas capacidades e também só que não estuda é que não sabe…

    • Eu concordo plenamente ABAV (lol) , há gente que acha que como aqueles que menos estudam têm negas, o exame é mto difícil, nada disso que se apliquem e não reclamem

  9. eu sou uma aluna muito boa e gosto de metematica

  10. elainedantasoficial@hotmail.com diz:

    site nota 100000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
    Site excelente

  11. barbara cirino diz:

    eu tó morrendo de medo da prova de amanhã nem estudei nem seii oq vai cair.mas tó confiante pq eu sou uma boa aluna em matematica

  12. Nada ave ñ entendi nada

  13. andressa neves da cunha diz:

    ja sei que vou rodo a professora me ódeiaa

  14. eu não gosto de matemática.
    E quem gosta gosta vai toma no cu

  15. adorei

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s