Jarra decorativa

jarro de flores

Não pressionável e de elevado valor decorativo. Isto é para calar as vozes que falam de inutilidade em Belém.

O governo fora da lei continua a empatar

Onde pára o pseudo-presidente que se define como institucionalista?

Desta vez concordo com Cavaco

Cavaco diz que “há uma nova esperança a nascer em Portugal”. Chama-se fim dos mandatos e rua com eles.

Intrigas presidenciais

Cavaco

(Na foto: Cavaco Silva aparentemente crispado)

 

Passaram pouco mais de 2 semanas desde que, num dos seus roteiros turísticos pelo tecido empresarial português, Cavaco Silva emitisse o seguinte juízo:

[…] São empresas como essas, tal como as vossas, e não as intrigas,  as agressividades, as crispações, os insultos entre agentes políticos que promovem o crescimento económico, a criação do emprego e a conquista de novos mercados.

Não. O presidente é “educado” demais para agressividades ou insultos. Excepto quando insulta a nossa inteligência. Já no capítulo das intrigas e crispações, Cavaco Silva deu na passada Segunda-feira o ar da sua graça e o mote para novas intrigas e crispações que facilmente poderão resultar em agressividades e insultos no debate político nacional. Será que o presidente cuida promover, com este tipo de discurso, o crescimento económico, a criação de emprego ou a conquista de novos mercados? Ou será que ficou aborrecido por não se ter optado pelo cautelar que ele tanto queria? Então e a “ilusão” das saídas à irlandesa e os “custos” que tal acarretaria?

Milagre

cravos de Abril

E depois de helicóptero ter passado pela Praça do Comércio e largado os cravos Cavaco vê Maria afastar-se de regaço cheio.
- Que levais aí, mulher?
- É pão, senhor, é pão.

Cavaco contra intrigas, agressividades, crispações e insultos na política

Diz o homem da presidência que inventou a intriga das escutas em Belém.

Grande Chefe falou. Hugh!

cavaco silva
O Senhor Presidente da República falou ao Povo (não sei é se o Povo ouviu o Sr. Presidente). Ficamos a saber:
a) O que já sabíamos, que as eleições são no único dia em que podiam ser, dia 25 de Maio.
b) Que a Europa é muito importante para Portugal (e um bocadinho, só um bocadinho, de vice-versa).
c) Que devemos votar e ter um comportamento civilizado (o bom coração do Sr. Presidente impõe que, cada vez que há eleições, se façam estes apelos à civilidade, como se em cada jornada eleitoral estivéssemos para pegar fogo uns aos outros; a que se seguirá a habitual congratulação pós-eleitoral em que se elogia o eleitorado por o acto ter decorrido com “elevado civismo”).
d) Que devemos discutir, cordial e propositivamente, as grandes questões europeias, relevando as suas dimensões futurantes, metafísicas, transcendentais e tudo o mais (as grandes questões, seus selvagens, não as pequenas; cordialmente, não assanhadamente, bárbaros). [Read more…]

ÚLTIMA HORA: a RTP deixou de adoptar a base XIX do Acordo Ortográfico de 1990

cavaco silva pe

Sim. A base XIX.

Base XIX

Das minúsculas e maiúsculas
1.º A letra minúscula inicial é usada:
a) Ordinariamente, em todos os vocábulos da língua nos usos correntes;
b) Nos nomes dos dias, meses, estações do ano: segunda-feira; outubro; primavera.

13 de Março de 2014, céu geralmente limpo

José Xavier Ezequiel

Que dia emocionante. Em Lisboa, baixa-se a bandeira a meia-haste pela morte do ex-cardeal. Francisco comemora um ano do papado mais ‘refreshing’ dos últimos séculos. O emplastro de Belém veta outra lei que implica directamente com as ‘suas despesas’. Há novas e excitantes imagens de bombardeamentos aéreos na Síria, de banhos turcos em Istambul e de ‘manifestações fascistas’ na Venezuela. Prosseguem, a bom ritmo, a batalha naval na Crimeia e o mistério do avião desaparecido em plena Ásia. A greve da CP, segundo fonte sindical, tem 85% de adesão. E Portugal acorda da ressaca do lançamento desse monumental saco de gatos que se chamou Manifesto dos 70.

Chega a dar-me ganas de me socorrer da Bíblia. Mas não me vem nenhuma citação jeitosa à memória. Fica para a próxima.

O Aníbal sabe-a toda

Cavaco Explica

No mesmo dia em que o seu grande amigo e antigo jornalista avesso ao poder veio confirmar que o programa de assistência financeira só termina em finais de Junho, por falta de um carimbo em da parte do FMI, o sr. Aníbal avisou-o que um contrato assinado em 17 de Maio de 2011 com duração até 17 de Maio de 2014 corresponde precisamente a esse período, facto que impede qualquer equívoco sobre a matéria. Se dúvidas restassem, o residente do nº11 da Calçada da Ajuda, Belém, acrescentou ainda que “está lá escrito” que o programa tem a duração de 3 anos a partir daquela data, 17 de Maio de 2011. Acerta o relógio Paulinho, não vais enganar o Aníbal!

O arrependido

Cavaco Silva

Estou comovido! Ao ver e ouvir o presidente Cavaco – o arrancador de searas, o demolidor de fábricas e, sobretudo, o desmantelador de frotas piscatórias e mercantes -, em conferência internacional, defender a prioridade das actividades marítimas para Portugal, exortando-nos (numa versão piscatória do apelo do botas) “para o mar e em força” , confesso, quase deixei cair uma lagrimita.

Não há nada mais bonito, já dizia, há meio século, o meu professor de religião e moral, que ver um pecador, digo mesmo mais, um criminoso, arrepender-se. Parece que faz rir e dançar os anjos. E quanto maior o crime cometido, maior a alegria no céu. Isto é que deve ter sido uma festança hoje!

O caso prático do Kit do Mar (sim, do Kit do Mar)

A equipa Kit do Mar (sim, Kit do Mar) – ontem recebida no Palácio de Belém, pelo Presidente da República – quer “facilitar a implementação”, etc., através do “recurso a ferramentas diversificadas e ao trabalho de casos práticos”.

Peguemos num caso prático – por exemplo, nas acções de formação do Kit do Mar –, para testarmos o estado actual de aplicação do Acordo Ortográfico de 1990.

kit do mar

Vejamos aquilo que acontece nos Professores a Bordo.

kit do mar2

Pronto, já testámos.

Desejo-vos um óptimo fim-de-semana.

Cavaco Silva não adopta o Acordo Ortográfico de 1990

sampaio guterres durao cavaco

© ACNUR/ S.Hopper (http://bit.ly/1na93XN)
© ENRIC VIVE-RUBIO (http://bit.ly/1na9cdV)

É verdade, já sabíamos. Contudo, no prefácio deste livro de Xanana Gusmão, ficam dissipadas aquelas dúvidas que pudessem ainda subsistir: tudo continua como dantes.

Aliás, através de uma leitura atenta dos quatro prefácios, não se detecta qualquer vestígio de adopção do AO90.

Sampaio, Guterres, Cavaco Silva e Durão Barroso não vêem qualquer necessidade de adoptar o AO90, num livro promovido pela CPLP (sim, pela CPLP) — permitam-me que volte a perguntar: para quê?

Foi ainda durante o mandato de Xanana Gusmão como Primeiro-Ministro que a economia timorense registou quatro anos sucessivos de forte crescimento, que o país foi objecto, pela primeira vez na sua História, de um plano sistemático de electrificação e se procedeu ao lançamento dos alicerces de uma rede de protecção  social em larga escala.

Aníbal Cavaco Silva

***

A mesma visão e a mesma liderança são expressas nos discursos compilados neste livro, documentando um projecto que em vários aspectos foi tão difícil como a conquista da independência: a construção de um novo país democrático e com unidade nacional, por via da reconciliação e do desenvolvimento.

António Guterres

***

20 de Maio de 2002 ficará para sempre gravado na minha memória.

José Manuel Durão Barroso

***

No dia seguinte, em mais um acto excepcional, apresentei, pessoalmente, ao Presidente Xanana Gusmão o primeiro Embaixador de Portugal em Timor-Leste.

Jorge Sampaio

Hoje, lembrei-me de Djavan

A que propósito? Já lá vamos.

Através do jornal O Estado de S. Paulo, ficámos a saber que Cavaco Silva se pronunciou acerca de Eusébio, nos seguintes termos: “uma pessoa de qualidades humanas excepcionais“.

Exactamente:

estadao

Curiosamente, sabendo nós aquilo que muito bem sabemos, o presidente da República terá de facto escrito excepcionais e a máquina devoradora de consoantes gerou este ‘excecionais’.

excecionais cavaco

Isto é, só recorrendo a um jornal brasileiro é que podemos ter uma ideia daquilo que o presidente da República Portuguesa efectivamente escreveu.

Sim, sem AO90, em Portugal e no Brasil, escreve-se ‘excepcionais’. Sim, com o AO90, no Brasil escreve-se excepcionais e em Portugal escreve-se excecionais — é um paradoxo, eu sei, mas a culpa não é minha.

***

Agora, Djavan.

Lembrei-me de Djavan, por causa [Read more…]

Cavaco no Panteão, já?

Melhor no de Santa Cruz. Assim, o D. Afonso Henriques, mesmo com 900 anos, ainda lhe assenta umas valentes espadeiradas.

O fim da recessão

fim da recessão

Seguindo a velha escola portuguesa de fazer leis para mudar o que fica tudo na mesma, Cavaco Silva declarou que “Portugal saiu da recessão em que estava mergulhado desde finais de 2010”. Agora é só uma questão de avisar o pessoal das filas às portas da Segurança Social que estão ali a perder o seu tempo.

O Único de Que Se Lembra

Cavaco e o falecimento de Mandela.

Cavaco reage indignado ao artigo do New York Times em que nos comparam aos burros

Cavaco Silva nem queria acreditar quando abriu o New York Times. O influente jornal americano compara os portugueses ao burro mirandês, animal em extinção.
Tamanha afronta levou o Presidente da República a fazer uma comunicação urgente ao País, que aplaudimos vivamente, pois está em causa o nosso prestígio, a nossa História de 204 séculos, o nosso brio e a nossa imagem internacional.
Recorde-se que o jornal norte-americano The New York Times, naquela que é a sua edição internacional, compara os portugueses ao burro mirandês. Isto porque, de acordo com aquela publicação, esta raça retrata a situação o País: o seu papel foi essencial durante anos, mas agora está em risco de extinção e vive dependente de verbas da União Europeia.

Títulos alternativos (II)

Cavaco Silva, mais uma força de bloqueio

Títulos alternativos

Pensionista envia diploma da convergência das pensões para o TC

Fase Ultra-Choné

É triste envelhecer entre o pateta e o intratável, entre o venenoso e o choné. E ninguém o avisar de como é feio passar por sedicioso, nocivo e chanfrado.

Cavacolemia

vinho sueco

Ao contrário do que pensa o senso comum, a Suécia produz vinho. Em pequenas quantidades, mas produz.

Costumam, por lá, bebê-lo quente, frequentemente misturado com especiarias e vodka ou aguardente. Trago aqui esta informação para que tentemos compreender a nível politológico – e até toxicológico – as declarações proferidas naquele país pelo presidente Cavaco Silva e segundo as quais Portugal já tinha saído da recessão e iniciado um caminho de próspero crescimento.

O sádico Cavaco Silva

sobre os masoquistas portugueses.

Levar a carta a Cavaco

“Desempregado escreve a Cavaco a avisar que não vai pagar impostos”

Passos Coelho, já estará preparado para qualquer inciativa presidencial, com uma lista de nomes de gente que também não paga impostos e que está muito bem de vida, de modo a provar que impostos e fortuna não têm nada a ver.

Os pais fundadores

pais_fundadores_do_Portugal_europeu

Cantilena

Cavaco falou
O cão ladrou
O gato miou
O burro zurrou
E ninguém se importou

E agora, algo completamente diferente

catarras

Cavaco, o entalador, fala ao país

baralhar e voltar a darComo se percebeu desde logo, o PS nunca aceitaria um acordo com o governo. Obviamente. Aceitar seria um tremendo tiro nos dois pés e, além disso, traduzir-se-ia na partilha de todos os insucessos que tem sido a governação do governo PSD-CDS. Também ao PSD não agradava que se estabelecesse um acordo que, na prática, equivaleria a ficar num governo de gestão durante um ano. E o CDS viu o seu líder fazer um ping-pong em tempo muito mais curto do que o habitual em Portas. Cavaco entalou-os a todos.

Cavaco, nessa altura, resolveu passar da inactividade política para o primeiro plano, condicionando em absoluto o cenário da política nacional. Com o esperado não acordo, prestou um enorme favor ao PSD ao empurrar o PS para um cenário de perde-perde. Perderia por não negociar, perderia por negociar um acordo e perde, como se vê, por negociar e negar um acordo.

Voluntariamente ou não, a acção de Cavaco fortaleceu o governo e é seguro dizer que  não foi um jogador imparcial. Baralhou as cartas, deu e hoje o jogo ficou na mesma, ao ponto do Presidente da República nem sequer se ter demitido.

Quero Voltar Para a Ilha

cavaco-silva-selvagens2“Volta, estás perdoado”.

Tive um sonho como uma ilustração

robison and friday
Vi um Cavaco a ficar em terra, e outro náufrago aquecendo-o nas noites frias das Selvagens.

%d bloggers like this: