O inverno

Silva Gouveia O Rosto

Na praia O Rostro em Finisterra, na Costa da Morte (referência geográfica que já é todo um poema romântico), este inverno trouxe à areia o navio Silva Gouveia, 87 anos depois de ali se naufragar. Era propriedade da Sociedade Geral de Comércio, Indústria e Transportes de Lisboa, tinha nascido em Middlesbrough 21 anos antes, tripulação e carga salvaram-se, um esqueleto acordado por uma tempestade, com seus visitantes aos domingos, o que resta de um cargueiro de 1200 toneladas onde os marinheiros não ganharam para o susto e a seguradora teve de contratar carros de bois para puxarem a 10 pesetas o açúcar, conta José López Redonda, historiador local.

sgouv

Os naufrágios já proporcionaram bons negócios, nada que me arrepie, também nas funerárias se ganha o pão com os mortos, e ali eles acumulam-se, na mesma praia em 1987 se incendiou o Cáson, carregado de químicos, por aqueles lados se deu a catástrofe do Prestige.  Chamavam raqueros aos que, havendo naufrágio, se metiam ao saque. Vem a palavra do inglês wrecker castelhanizado, a fama seria longa, como a ironia de os ingleses esquecerem a sua história de Drakes e outros corsários com que nos fustigaram, ibéricos, e teve um momento alto no naufrágio do Great Liverpool. [Read more...]

Inverno

inverno

Inverno em Arganil. Fotografia jjc.

Quarto Com Vista

comboio-neve

Frio por Antecipação

frio2Cuidado, vai estar frio.

Estamos em Janeiro, em pleno Inverno, e como notícia dos jornais e das rádios sabe-se que a partir de sábado vai estar frio. Mas não é um frio qualquer, é um frio mesmo frio. Daqueles que gelam.

As temperaturas podem vir a descer 4 a 6 graus, mais do que é costume. Caramba, que cambada de mariquinhas.

Onde vivem as pessoas que consideram isto uma notícia? Vai estar frio porque é o tempo dele!

As temperaturas descem?, ponham mais uma camisola. É que estamos a falar de temperaturas médias de 4 a 9 graus (para as mínimas) que se podem transformar em 0 a 5 graus.

E, como se nada mais houvesse para dizer, transforma-se hoje, terça-feira, em notícia, o frio que poderá chegar no sábado.

 

Alemanha: a balela do desemprego causado pelo Inverno

Parte significativa dos analistas e jornalistas económicos usa uma semântica pensada para entendidos. Portanto, para a maioria, é hermética e tende a exibir-se como científica.

Em noticiários televisivos de economia, é comum ouvir desconexas justificações do ‘sobe e desce’ das bolsas. As cotações descem em função “de uma correcção técnica”, argumentam umas vezes; no dia seguinte, os mesmos títulos sobem por estímulo dos dados apenas estimados – “os resultados hoje foram melhores do que esperado, graças a…”, acrescentam. Depois, as cotações voltam a descer e a subir; e os estereótipos reproduzem-se.

Tudo isto a propósito de, nas notícias referentes à economia alemã, os mais sábios, da ‘Bloomberg’ por exemplo, terem ficado surpreendidos com o aumento do desemprego para 7,2% em Dezembro de 2010 – mais 85 mil desempregados do que em Novembro, e a primeira subida após 17 meses. Razão invocada pelos analistas: um Inverno duro e implacável. Curiosamente, a Noruega, com clima mais adverso, ficou-se por uma taxa de desemprego de 3,20% em 2010. [Read more...]

Pensamentos XXIX e XXX

XXIX

O pior é morreres com skis nos pés.

Não há inverno no inferno.


XXX

Ergue os olhos para o céu.

Se o sol bater neles, baixa-os.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.


Faltam 427 dias para o Fim do Mundo:

No dia em que o Aventar recebeu o visitante número 300 mil e quando faltam poucos dias para celebrar o primeiro aniversário do Aventar, joga-se mais um clássico da Liga enquanto Mourinho soma e segue.

Entretanto, aqui para os meus lados, o eterno rio Douro fez das suas e galgou as margens, dando continuidade a estes dias de mau tempo (não sei se sabem mas ainda estamos no Inverno…). Até as cegonhas são desalojadas por estes dias. No Chile afirma-se uma grande liderança e faz-se a análise de um terremoto assustador e na vizinha Espanha a luta contra a ETA soma mais uma vitória.

Uma pausa no clássico para dizer adeus a Marcelo ou será antes: até já, no congresso??? Os Estados, em especial os políticos, querem controlar as televisões. Amanhã vão querer colocar os dedos nos blogues e semear “Abrantes” por tudo quanto é sítio…

Por fim, a entrevista de Passos Coelho ao DN onde afirma algo que é tão óbvio que nem precisa de grandes discussões:”Só com novo PGR se recupera a credibilidade da justiça“. Ora nem mais.

Janeiro

Há noites assim, em que a cidade se enfurece num desassossego de chuva e ventania, e se nos acerca o medo de que a noite não termine nunca. Todas as portas se encerraram, ninguém espreita das janelas, pelas caleiras rotas jorra água sem fim. À luz baça dos candeeiros de rua, saltamos charcos, enfrentamos as rajadas de cara descoberta, e caminhamos com uma réstia de esperança.

Ansiamos por uma luz, um rosto familiar, ou que um rasgo de sorte nos inverta o rumo e que, da sucessão monótona de fachadas cinzentas, se descerre a caverna luminosa de um poeta. E aí nos sentaremos, enquanto a chuva de Janeiro engole a cidade, e o coração se nos acende no peito.

Apontamentos de Inverno (19)

(Lamas de Mouro, Melgaço (3))

O que se diz por aí

A política externos dos EUA é cheia de coincidências. O facto de estarem em vias de duplicar o armamento em Israel é mais um desses casos. Claro que nada tem a ver com o Irão. A minha dúvida é se, por acaso no tempo de George W. Bush se faria de modo diferente?
Espero que as forças de segurança portuguesas, nos preparativos da recepção ao Papa, se lembrem de estarem atentas ao pessoal que adora atirar-se ao Santo Padre. Este deve ser o Pontífice mais assediado de todos os tempos. Mas, entretanto, a Protecção Civil que cuide de tratar das estradas do Distrito de Lisboa.
Até lá, o povo que se preocupe com o mau tempo que veio para ficar. Isto até parece que estamos no Inverno…
Bem pior está quem vive em Ciudade de Juárez que foi considerada a cidade mais perigosa do mundo. Conseguir bater Bagdade é obra!
Já em Portugal, parece que Catarina Furtado vai andar aos tiros, numa nova série televisiva que se chamará “Cidade despida”, que, por mero acaso, é a tradução do título da série policial norte-americana “Naked City”. A originalidade da nossa produção televisiva é um espanto. Mas os tiros não ficam por aqui, pois pelos vistos um aluno foi baleado num externato em Braga.
Por fim, parece que os alegados etarras queriam instalar um fábrica de bombas em Portugal. Aqui está um tipo de investimento estrangeiro que não tem interesse nenhum para Portugal.

Apontamentos de Inverno (18)

(Foz do Rio Minho, Caminha)

Apontamentos de Inverno (17)

(Rio Lima, Ponte de Lima)

Apontamentos de Inverno (16)

Rio Minho

(Rio Minho, Lovelhe)

Apontamentos de Inverno (15)

Rio Caldo

(Rio Caldo, Terras de Bouro)

Apontamentos de Inverno (14)

Vila Nova de Famalicão

(Gavião, Vila Nova de Famalicão)

Apontamentos de Inverno (13)

Lamas de Mouro

(Lamas de Mouro, Melgaço (2))

Apontamento de Inverno (12)

Lams de Mouro

(Lamas de Mouro, Melgaço)

Apontamentos de Inverno (11)

Melgaço

(São Gregório, Melgaço)

Apontamentos de Inverno (10)

Ponte da Barca

(Rio Lima, Ponte da Barca (2))

Apontamentos de Inverno (9)

Ponte da Barca

(Rio Lima, Ponte da Barca)

Apontamentos de Inverno (7)

Arcos de valdevez

(Rio Vez, Arcos de Valdevez (3))

Apontamentos de Inverno (6)

Rio Vez, Arcos de Valdevez (2)

(Rio Vez, Arcos de Valdevez (2))

Apontamentos de Inverno (5)

Arcos de Valdevez

(Rio Vez, Arcos de Valdevez)

Apontamentos de Inverno (4)

Montouto

(Montouto, Galiza)

A Winter's Tale

Apontamentos de Inverno (3)

Rio Minho, Valença(Rio Minho, Valença)

Apontamentos de Inverno (2)

Apontamentos de Inverno (2)

(Rio Minho, Vila Nova de Cerveira)

Apontamentos de Inverno (1)

Apontamentos de Inverno (1)

(Borralho minhoto)

Inverno e árvores de cimento

Inverno. Neve, frio, fogo dentro de casa, a hospitalidade dos amigos, a trompetista  Hilaria Kramer e Luigi Abbondanza, com quem partilhei algumas aventuras teatrais.

E esta sua casa, em Lugano, construída em 1920 por um seguidor de Gaudi.

As árvores que fotografei são colunas da casa, feitas de cimento.

Inverno (do meu contentamento) e árvores de cimento.

PC210130

PC210131

PC210132

[Read more...]

Chuvas em Rio Tinto e o Caos…

“Nasci” juntinho ao Rio Tinto. Ouvi as histórias de peixes e dos Moinhos ali junto ao ALARO…o café de António Luís… Oliveira. Sim. Esse – um dos Oliveirinhas. O mesmo onde hoje existe um restaurante onde se paga melhor para comer pior, mas enfim… voltemos ao assunto.

rio_tinto_poluido
Ali mesmo juntinho ao Rio vi vezes sem conta a sua fúria que teimava em chatear os mais desprotegidos – quem nada tinha, sem nada ficava por causa da água, esse elemento vital tantas vezes inimigo.
Depois veio uma ETAR que a troco dos maus cheiros e incómodos vários trouxe alguma requalificação às margens e ao leito do rio que dá nome à freguesia que quer ser concelho.
E esta madrugada, uma vez mais, a água entrou em casa dos meus familiares – um metro. Isso mesmo – um metro de água dentro de casa.
(RTP, JN, RR, SIC )
Imagine, caro leitor, que isso acontece em sua casa – além do lixo, o que ficaria danificado?
Agora se me permitem, uma conclusão demagógica: o sr. Major, esse exemplo raro do poder autárquico, que tantos anos leva de mentiras e enganos, fez o quê nas duas últimas décadas para resolver este problema?
Por mim, fica novamente claro que RIO TINTO tem que ser independente de Gondomar porque quem por lá anda faz de conta que a freguesia que mais dinheiro dá ao concelho não existe.