Basta que saibam ler e escrever

Luiz Inácio Lula da Silva

Descobrem-se coisas fantásticas, talvez ainda mais fantásticas que uma nova partícula. Por exemplo: a licenciatura RVCC de Miguel Relvas é perfeitamente legal, e as suas mentiras sobre habilitações ficam-se afinal por umas cadeiras que disse ter feito mas parece que não fez.

Pela parte que me toca, além da fascinante observação de que muitos dos que discutiram outra licenciatura dizem agora o contrário numa finta de camaleão digna da pátria dos vira-casacas, e não me querendo misturar com quem tem da crítica política a noção de que vale tudo incluindo fechar os olhos, quero deixar aqui bem claro como me estou nas tintas para as habilitações enquanto parte sequer interessante na apreciação de um político de carreira (já o conceito de carreira política me irrita um bocado, mas isso é outro assunto). [Ler mais ...]

Com muito orgulho

na minha universidade, que tem as suas coisas, mas também tem destas:

lula honoris causa coimbra @arturcouto

Lula da Silva, doutor honoris causa pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra

E depois uma aragem de ironia deve ter varrido a Biblioteca Joanina, obra superior do nosso barroco-com-o-ouro-do-Brasil, quando os presidentes agora a visitaram. Espero que nenhuma das lâminas do ouro com que Manuel da Silva por ali ornamentou se tenha desfolhado das madeiras, rindo à gargalhada.

fotografia Artur Couto

Força, Brasil

No dia em que o Brasil sofre a maior calamidade dos últimos 50 anos e quando muitas pessoas lutam ainda para não morrer, todas as palavras de apoio seriam poucas e todas as críticas demasiadas.

Fica apenas aqui um discurso recente e histórico de Lula da Silva, a quem alguns chamaram “o apedeuta”. Porque a força está no homem e não na sua condição, força nesta hora difícil, Brasil.

“Foi gostoso governar o Brasil”

blogue-lula-lulaObrigado Lula da Silva por teres  demonstrado à evidência e sapiência que governar um país não depende de habilitações mas da sabedoria, e a sabedoria não se aprende apenas nos livros e só existe quando também aprendemos fora deles, obrigado Lula da Silva pela lição de História  que deste ao mundo, em particular ao pequeno mundo dos que te cognominaram de apedeuta, os idiotas do costume, obrigado Lula da Silva por seres povo, e no Brasil pela primeira vez povo ter sido presidente.

Obrigado, obrigado, obrigado.

Os silêncios de Lula da Silva


Estes novos-ricos do petróleo têm atitudes que oscilam entre a discrição – quando o preço baixa – e a arrogante empáfia -, quando existe uma maior recolha de proventos. Se durante anos nos habituámos às variantes de humor de Putin, existe agora um novo ponto de interesse.

Lula da Silva herdou uma situação económica mais saneada e de facto, a presidência de Fernando Henrique Cardoso marcou a viragem há muito aguardada pela imensa maioria dos brasileiros. Lula prosseguiu a sua política de aproximação às camadas mais pobres e foi capaz de capitalizar a esperança de dezenas de milhões. A ele se deve o renascimento da esperança para uma mole imensa de desesperados pela miséria.

O gigante brasileiro hoje pode surgir de forma mais evidente na arena internacional, proporcionando também a oportunidade dos seus dirigentes, sobretudo Lula da Silva, de por vezes assumirem posições pouco consentâneas com o almejado estatuto de “futura grande potência”. Embora faça parte do grupo “BRIC”, o Brasil ainda está longe de ser uma Rússia ou China.

Relações controversas com alguns dos párias da comunidade internacional, mancham aquela desejada credibilidade que é apanágio de regimes estáveis e cumpridores dos requisitos impostos pela diplomacia internacional. A lista é conhecida, desde Chávez a Moralles, os irmãos Castro e Ahmadinedjad. Com profundos laços económicos estabelecidos há muito com o seu grande vizinho do norte – os EUA -, estranha-se esta insistência no fechar de olhos perante aquilo que todos reconhecem ser situações anacrónicas, onde o despotismo se mescla com o populismo revanchista. Internamente usando da retórica conveniente dos “direitos humanos”, Lula passeia-se como um igual nas capitais dos ditadores, num ostensivo silêncio perante abusos que inevitavelmente desacreditam o posicionamento do seu governo noutras latitudes bem mais decisivas, no hemisfério norte. Se a isto acrescentarmos os ímpetos rearmamentistas com o claro propósito de fazer figura – apesar das controversas compras efectuadas em França -, urge colocar a questão: quem quer Lula impressionar? Pretenderá apenas tomar posições para consumo interno, excitando uma opinião pública onde hoje já se denotam euforias de prometida grandeza, ou pelo contrário, terá Lula da Silva qualquer tipo de ilusões acerca do verdadeiro conhecimento que americanos e europeus têm acerca da realidade política e económica brasileira?

[Ler mais ...]

Uma matriarca à maneira

 

"Dona Canô", a mãe do cantor brasileiro Caetano Veloso, afirmou que vai pedir desculpas em seu nome ao presidente Lula da Silva, depois do filho o ter chamado de "analfabeto".

Com 102 anos, a popular "Dona Canô" garante que esse pedido será feito em pessoa quando Lula da Silva visitar o Estado da Baía, avançou o diário A Tarde de Salvador.

Também mãe da cantora Maria Bethânia, Claudionor Viana, assim se chama Dona Canô, expressou o seu incómodo pelas declarações do filho Caetano, que, no dia 5 de Novembro, classificou Lula como "analfabeto, ordinário e grosseiro".

Dona Canô é ainda mãe da poetisa Mabel Veloso e de outra cantora, Belô Veloso. Mas é mais que uma mãe, que uma lutadora, que uma protagonista de décadas de vida do Brasil. É também um símbolo. Da Baía e do Brasil. Uma matriarca à moda antiga.