Marcelo Rebelo de Sousa e o BES

Para o mentiroso mais bem pago de Portugal isto no BES está uma chatice porque o governador do Banco de Portugal não aparece a garantir que está tudo bem. O potencial buraco é no máximo metade do que já se sabe. Quer dizer, há uma crise no BES mas não há bem uma crise no BES, e o banco vai salvar-se, o resto do império é que está mais complicado.ferias rita cabral marcelo rebelo sousa  ricardo salgado

Esta defesa, tímida, é certo, que a coisa vai correr mal, não mereceria uma linha, estamos habituados ao Marcelo, mas teria merecido uma frase, a velha declaração de interesses, coisa pouca, que informasse os telespectadores sobre o infímo detalhe de  a sua namorada, Rita Amaral Cabral, ser a presença feminina que foi reforçar o conselho de administração do BES em 2012. Não sei se lá fica, nem me interessa, nem com quem dorme Marcelo, com quem passa férias Marcelo, nada temos que ver com a vida privada do Marcelo, mas já com a ética profissional da própria TVI que o permite já temos um bocadinho. Que diacho, isto de um gajo ser enganado em directo por um vendedor de banha da cobra escusava de ser durante um espaço noticioso, sérios a sério foram logo a seguir Ricardo Araújo Pereira e Bruno Nogueira que juntos e ao vivo nem sequer largaram uma boa piada.

Fonte.

Já agora…

É oficial. Por muito que custe a Passos Coelho & cia., começou a operação “Marcelo à presidência”.

Já se citam sondagens a mostrar a importância do homem e a evidenciar como uma chusma de basbaques anseia pelo Sr. Prof.. Por mim, modestamente – e só para minha edificação pessoal – requereria ao putativo candidato me informasse sobre uma – uma, não é pedir muito! – convicção que tivesse. Uma posição sobre qualquer coisa. Algo diferente do charco de tautologias onde costuma nadar, das habilidades retóricas que tanto impressionam os papalvos, dos truques com que afaga a preguiça mental dos seus ouvintes.

PIM-PAM-PUM — O legado político do último congresso do PPD/PSD

José Xavier Ezequiel

relvas_

(Ou de como o “milagre económico” pariu um ratus norvegicus)

PIM — Aproximam-se eleições. Passos Coelho tenta reposicionar-se um pouco mais à esquerda. ‘Descobriu’ que a social-democracia portuguesa nasceu na ala liberal do marcelismo. Nem josé hermano saraiva (a caixa baixa é propositada) seria tão bom revisionista. No entanto, Passos Coelho é outra coisa — é um artista de palco tão frustado, que nem o La Féria o quis para menino de coro. Passos Coelho é o verdadeiro artista transmontano exilado na porcalhota. Se vivesse em Nova Iorque, seria empregado de mesa para o resto a vida. Em Queens, na melhor das hipóteses. E o Segismundo nem sequer seria para aqui chamado.

PAM — Santana Lopes sonhou ter o sábado à noite no Coliseu (dos Recreios) só para ele. Marcelo, regressado à pressa das Ilhas Adjacentes, roeu-lhe a corda. Entreteve muito prazenteiramente os congressistas e acabou a soirée, apesar de Passos Coelho, candidato da social-democracia-marcelista à presidência da república das laranjas. Temos festa. Imagino uma campanha com telefonemas de valor acrescentado mais IVA. Quem ganhar terá o raro privilégio de lanchar pastéis-de-nata-e-chá-de-camomila com o comediante Marcelo Rebelo de Sousa. O “povo livre” vem-se. Em orgasmos múltiplos de “alegria cristã”.

PUM — Gabe-se a lealdade de Passos Coelho. Um amigo é um amigo (sobretudo se conhece todos os nossos rabos de palha). Propôs (perdão, impôs) Miguel Relvas como número um da ‘sua’ lista ao conselho nacional do Partido. Obteve a menor votação, de sempre, de um líder partidário em funções semelhantes. Um verdadeiro embaraço partidário. A acrescentar ao embaraço nacional pela incontornável existência da criatura. A ‘amizade’ é fodida (perdoe-se-me o mau ‘francês’).

PS (salvo seja) — Ontem, segunda à tarde, o assunto do fórum da SIC Notícias (para quem não se recorda, é liderada pelo militante número um do PPD/PSD, Francisco Pinto Balsemão) não foi, como seria de esperar, o congresso do Partido. Foi a derrota do Futebol Clube do Porto, em casa, com o moiríssimo Estoril-Praia. E, ainda por cima, através de um ‘pénalte’ marcado contra o Porto (sem espinhas) nos últimos minutos do jogo. Onde é que já se viu uma coisa assim? Definitivamente, “Portugal está muito melhor”. Por muito que os portugueses estejam pior.

Então e o PS propriamente dito? Isso, por enquanto, não interessa para nada. Nem sequer vem ao caso.

A capitulação do último grande catavento

Catavento2

Miguel Pinto Luz abriu as hostilidades do congresso do PSD com ataques cirúrgicos apontados aos comentadores e críticos internos do PSD onde, até há bem pouco tempo, figurava Marcelo Rebelo de Sousa, ou, nas palavras de Pedro Passos Coelho, o “protagonista catalisador de qualquer conjunto de contrapoderes ou num catavento de opiniões erráticas em função da mera mediatização gerada em torno do fenómeno político”. Segundo o líder do PSD/Lisboa, “o PSD não está na SIC às Quartas, nem na TVI às Quintas, nem na SIC aos Sábados”. Porém, depois do congresso deste fim-de-semana, parece que vai voltar a estar na TVI ao Domingo à noite.

[Read more...]

Marcelo não vai ao congresso do PSD

mas paga inscrição para ajudar o partido. Um cata-vento altruísta.

Elogio

«A CGTP deu aos portugueses heroína e agora quando quer dar a cocaína já não consegue criar excitação». (Marcelo Rebelo de Sousa, naquela coisa da TVI, terminando a declaração com o seu mais alucinado sorriso, de olhos esbugalhados e boca aberta, mimando o espanto do sábio de depara com a Verdade).

A elegância da palavra! A profundidade da metáfora! A agudeza da análise! Olhai a grandeza de Marcelo, o que lê dois livros por dia (garantem os que, nunca tendo lido um livro, não medem bem o disparate), o que dorme duas horas por dia (uma por cada livro), o campeão do apotegma saloio, o intelectual orgânico da direita rastejante.

Rebelo de Sousa

marcelo

Para o comentador Marcelo, o assalto às pensões de sobrevivência só tem como problema a forma como tal medida foi comunicada, não a substância da medida.

Espero que muita gente se lembre destas e de outras quando esta criatura se candidatar à presidência da República.

10 de Junho, haja poesia

dilma_capa

Enquanto facturava 2500€ Marcelo Rebelo de Sousa choramingava-se ontem porque Dilma Rousseff estava em Portugal e não ia meter os pés em Elvas. Dilma é uma mulher culta e com uma cultura de esquerda. A simples ideia de que a Presidente do Brasil sendo uma mulher culta e com uma cultura de esquerda ia meter os pés nas celebrações do dia do colonialismo arraçado de Camões só lembra a uma Marcelo, e por isso recebe 10000 ao mês, para mentir, debitar propaganda e dizer disparates. Sim, o 10 de Junho é isso, a celebração da escravatura, do genocídio, das páginas mais negras da História de Portugal inventada pelos republicanos no séc. XIX, abençoada por Salazar no seguinte e reciclado em mais gesta embora cada vez menos heróica. Um dia que devia levar mais 14 em cima e aí sim, ser o Dia de Portugal, celebrando o primeiro momento da sua fundação.

Dilma, que veio aos saldos dos CTT, TAP e outros pedaços de Portugal que os migueisvasconcelos meteram à venda ao preço da uva mijona, vai estar presente na entrega do Prémio Camões, onde se celebra o vate pelo que valeu, a poesia e não a épica, e sobretudo a língua e quem a pratica.

Entretanto Nuno Judíce prestou-se à vassalagem da medalha, enquanto Artur Queiroz travestido em Álvaro Domingos (quem te viu e quem te vê) acusa um filho de Herberto Hélder de ser “filho de ninguém“. Grande Herberto, que nunca te prestaste a homenagens, quem se não os poetas para salvarem a honra da pátria.

Fraquinho, fraquinho, fraquinho

Pois, “fraquinho, fraquinho, fraquinho“, como “sujinho, sujinho, sujinho” ou “limpinho, limpinho“. Exactamente.

Bom dia, Mark Twain!

Imagem

Hoje, acordei com Mark Twain a bater na janela dos pensamentos, como a pedir-me para ter juízo. Podia ser pior!

Não sei se foi pela raiva que começa a instalar-se nos comentadores políticos. Então, na dúvida, leio: A raiva é um ácido que danifica mais o recipiente em que está armazenado do que a superfície sobre a qual é lançado.

Não sei se foi por estar farto deles, e deveria calar-me.

Na dúvida, ainda, retenho: É melhor ficar calado e ser considerado tolo do que abrir a boca e dissipar todas as dúvidas. [Read more...]

Quero mentiras novas

figasEm plena semana pascal, enquanto a Europa versão euro falece em Chipre e as putas dos costume defendem Markel porque ainda não tinham nascido quando os pais defendiam Hitler, anseio pelo 1º de Abril.

Marcelo Rebelo de Sousa é basicamente um mentiroso compulsivo, a política, entendida aqui como o jogo do rotatitividade do poder e dos interesses, circula-lhe nas veias a uma velocidade estonteante, e ele nem repara nisso. Por isso mesmo é o mentiroso mais bem pago em Portugal, e ninguém se escandaliza com o facto, que o coloca de resto a caminho da sua outra especialidade, a derrota eleitoral, nas próximas presidenciais.

Os máximo que as televisões portuguesas concedem em termos de pluralismo políticos (a que todas estão obrigadas) é oferecer a outro caramelo do mesmo quilate mas sempre do outro partido de alterne o mesmo tempo de antena. A comunicação social em Portugal funciona na roda livre dos negócios (olha o António Vitorino), não cumpre os seus deveres (que eu saiba nenhum partido ganhou a concessão de um canal de tv), e ninguém repara nisso.

Neste mesmo país aquele que era até há bem pouco tempo o pior dos chefes-de-governo pós-74 regressa hoje de um breve exílio. É obviamente um direito seu, e claramente uma opção sua que demonstra o que é: um carreirista irresponsavelmente ambicioso, sem escrúpulos de se exibir contra todas as evidências do efeito que vai causar. [Read more...]

Hoje, lembrei-me de Ginsberg

Hoje, lembrei-me de Ginsberg:

«Are you being sinister or is this some form of practical joke?»

Não me venham dizer que Miguel Relvas não sabe o que é uma universidade.

Marcelo Rebelo de Sousa

Estupidez

Se de repente um Marcelo lhe oferecer uma JSD, isso é uma estupidez.

Borrado de medo

Marcelo Rebelo de Sousa finge que não vai haver 2 de Março. O calendário salta de 1 para 3. Querias…

Marcelo transforma-se em boneca insuflável

“Requerimento do Presidente para o TC pôs-me a boca em ‘O’”

Dar manteiga?

Expresso   Revista   5 de Janeiro de 2013
Não fiquei a perceber muito bem como começou Marcelo Rebelo de Sousa a sua carreira política. Desconfio que algo entre a vichyssoise e um molho intragável.

Fonte: Expresso 5-1-2013

Depois de ter decepado milhares de portugueses

Marcelo diz que Passos “deu uma canelada” a Cavaco

O imposto escolar

Momento Marcelo Rebelo de Sousa na educação.

Para português ver

58 000  visualizações em alemão.

83 000 em inglês.

308 000 em português, fora a televisão.

Boa Marcelo, lá fora o folclore não compensa mas cá dentro ainda chegas a Belém.

Turismo eleitoral

Marcelo em Berlim, Merkel em Lisboa

Um vídeo para Merkel

Mesmo que não se concorde, em absoluto, com o conteúdo do vídeo, tem, no mínimo, um valor documental. No dia em que Merkel visita aquilo que considera uma das suas colónias, o valor é, também, simbólico. Uma iniciativa de Marcelo Rebelo de Sousa, secundada e produzida pelo Rodrigo Moita de Deus, dois perigosos esquerdistas radicais.

O filme em alemão para português ver

Juntem Berlim, Marcelo e Deus, e subtraiam a explicação da Helena.

E depois de saberem que ganha 10000 por mês na TVI

será que os potenciais eleitores vão querer Marcelo na presidência da República?

Este sábado há mais

Com o alto patrocínio do governo, da troika e figuração especial de Marcelo, o Rebelo do Sousa.

Numa cidade perto de si, se for longe faça a sua manifestação você mesmo, chame os vizinhos. É dia de globalnoise também.

Marcelo, spin doctor

Hoje na TVI Marcelo procurou lançar umas quantas ideias na arena  mediática. Por um lado, usou e abusou do imaginário de médicos, doentes e curas para se referir à actual situação de crise que vivemos. Deve-lhe parecer que se a ideia da doença/cura pegar sempre é melhor do que a do pacto de agressão. Esperemos é que os médicos não sejam como aqueles que há tempos cegaram os doentes com remédio errado. E também repetiu que não podia dizer o que se passou no Conselho de Estado mas… que era só ler o comunicado que estava lá tudo. Como spin doctor já o vi em melhor forma. De tanto exercício de medicina, se calhar constipou-se.

 

Não morrem da doença, matem-nos com a cura

A lógica do mentiroso mais bem pago de Portugal, hoje na TVI.

Marcelo e os Marcelóides

Ouvi, no Domingo, Marcelo Rebelo de Sousa tecer considerandos que chovem no que tem molhado e humidificam o facto conhecido de que não gosta de Miguel Relvas: repetiu que o ministro “é um peso nas costas do Primeiro-Ministro”; “está descredibilizado” e deveria sair pelo próprio pé.

Continuo a insistir neste ponto singelo: independentemente das díspares versões que Relvas tenha tido em oito dias acerca do coito mais ou menos íntimo com o bicharoco-alternadeira Jorge Silva Carvalho, convém que Marcelo e todos os demais marcelóides de caninos em riste percebam que se a credibilidade de um político fosse aferida a partir da inconsistência discursiva ou das variações de formato e versão, o palavrório do Filho da Puta Supremo Abichador de Comissões em Negócios Ruinosos para o Estado Português até era bastante consistente e nem por isso subsistem dúvidas acerca do respectivo fundo reles a vários níveis devastador para o País. Donde, se o Regime português, tal como o conhecemos e concebemos, não quer colapsar ao menor sopro, o melhor é deixar de consentir na impunidade dos seus corruptos da política, auto-exilados ou com lata para a deputação, deixando de ter no cume da Justiça títeres em vez de homens desassombrados e livres. Títeres em compromissos de covardia, títeres em submissões ultracaninas a eminências pardas cujo verniz merdífero cumpre raspar.

Esta novela Relvas não passa de um desfile de cínico, uma vírgula, um arranjo e uma agenda lateral que fazem bocejar.

Marcelo Rebelo de Sousa, o mentiroso mais bem pago de Portugal

Marcelo Rebelo de Sousa acaba de dizer na TVI que ninguém estava à espera do que aconteceu na Itália e na Espanha, isto no balanço de um governo que, coitado, não podia adivinhar uma coisa imprevisível.

Assim de repente e sem sair de casa, escrevi, à borla e ainda bem, em finais de abril do ano passado, uma coisa com o título A Espanha é já a seguir, a Grécia é a primeira a não pagar, onde de resto estão os devidos créditos para as fontes em que me baseei para constatar o óbvio.

Como não o tenho em conta de burro ou ignorante nas cousas da política e de alguma economia, resta-me concluir que Marcelo Rebelo de Sousa ganha 10 000 euros/mês para mentir na TVI. Bem podia oferecer uma vichyssoise a todos os que passam fome neste país.

Seguro e o Camartelo Marcelo

Já era esperado que Marcelo, com uma decomposição metódica do argumentário virgem-ofendidiano do TóZé [desde logo a treta do «ataque vil e miserável»], ganhasse essa espécie de combate inédito Líder Partidário vs. Comentador Tudológico, ainda não se sabe se terá mais rounds. Seguro apanhou. Mas a verdadeira chatice do TóZé continua a ser outra e essa, para que fosse definitivamente decapitada, seria preciso fosse dita por ele e por Homens que, na sociedade portuguesa podre e falhenta composta por imbecis da casta de um vozinha Noronha ou de um caramelo Monteiro, ainda não temos: «Há uma pequena ala corrompida do PS, ainda no Parlamento, que deseja continuar a controleirar o mesmo PS comandada a partir do estrangeiro. Composta por órfãos e viúvas de um Desastre que enriqueceu imenso no preciso processo de nos arruinar e empobrecer, quem a ouve [à ala pequenina] descobre uma nova sensibilidade de Esquerda puta-que-os-pariu!» [Read more...]

Compreender Seguro

Seguro tem de suportar a tralha socratista e isso é dose cavalar. Tem de suportar os líderes-sombra, candidatos naturais à herança da liderança, como Costa. Tem a beata socratista Isabel Moreira cujo Padrinho  o Primadonna, quem haveria de ser?!  lhe deu o tacho parlamentar como prémio de larga língua de pau, e deu-lho a fim de ela parecer de Esquerda e, logo, cheia daquela misericórdia social vou-ali-e-já-venho, com a coerência de dinamitar por grosso o acordo com a Troyka que o mesmo Governo cessante socratesiano negociara. Seguro tem tido, pois, de engolir muitos sapos e até se compreende que, não tendo ele os milhões que outros têm para conspirar e comprar opiniões abonatórias até do diabo ou de um monte de merda, tenha de blindar-se e blindar a sua liderança acossada a partir da vingativa e mal-fodida Paris. De todos os sapos e de todas as tralhas com que o Suave Seguro arrosta, o menor de todos é Marcelo.