My imperialism is better than yours!

G7

O G7 irá reunir-se hoje e, na ordem do dia, estará o reforço e a aplicação de novas sanções contra a Rússia, no âmbito da suposta ocupação da Ucrânia. É sempre um excelente indicador ver líderes de estados com fortes tendências imperialistas a combater o imperialismo não consumado mas em vias de o ser. Principalmente quando se impõe a defesa de um estado controlado por um governo de extrema-direita não sufragado por qualquer cidadão ucraniano. Dai a presença de Herman Van Rompuy na reunião, haja alguém que represente os líderes poderosos eleitos por cerca de zero pessoas.

[Read more...]

Atentados terroristas?

Deviam ser sempre assim. Isto sim é um bom professor!

Terrorismo ortográfico

Estava o meu domingo a correr muito bem, com a leitura deste texto (novinho em folha e altamente recomendável) de Daniel Dennett, quando tropecei numa notícia acerca de “actos de terrorismo institucional”.

É verdade, João Paulo Vareta, comandante da Polícia Municipal de Braga, recusa-se a pactuar com “actos de terrorismo institucional“.

Admito que gostaria imenso de conhecer a opinião de João Paulo Vareta relativamente a este acto de terrorismo ortográfico — as vítimas são todos aqueles que gostariam imenso de poder ler textos em português europeu.

Continuação de um óptimo domingo.

fatos

Contenção de estragos

Quando em ditadura guerrilheiros executam um ataque a reacção lógica do poder é a de impedir a sua divulgação: sabem bem que assim limitam o estrago ao material, isto com a óbvia excepção do envio de um tirano para onde está bem, o que se me recordo infelizmente não acontece com sucesso desde Carrero Blanco.

Em democracia claro que não se proíbe mas é inteligente recomendá-lo, e da parte da comunicação social decente entendê-lo. Repetir a notícia à exaustão alimenta o pãnico e é precisamente isso o que ambicionavam os criminosos.

No atentado artesanal que ontem ocorreu em Boston (com um número de vítimas mínimo comparado com à rotina do Afeganistão ou do Iraque, por exemplo, em Bagdade ainda agora assassinaram 31) não é isso que vejo.

Ou a comunicação social não é decente ou a ideia é outra. E se for pode ser muito perigosa.

Ontem: Atentado à bomba monstruoso

duzentos feridos e trinta e um mortos.

Terrorismo

Jean-Marc Bouju
Prisioneiros iraquianos no campo de concentração da 101st Airborne Division perto de An Najaf, Março de 2013 2003, fotografia de Jean-Marc Bouju

Paris na mira dos jihadistas

mujao_afp_2012

Um dos responsáveis pelo MUJAO (Mouvement pour l’Unicité et le Jihad en Afrique de l’Ouest) anunciou ontem em Bamako, capital do Mali, que vai ripostar ao ataque militar francês e atacar o coração da França. A recessão chega a França com a ameaça de terrorismo. Prova de fogo para François Hollande.

Um tipo cheio de sorte

O “capitão gancho” de Finnsbury Park, conseguiu aquilo que milhões de mexicanos infrutiferamente tentam: passar a fronteira dos EUA. Par aalém de ter viajado à conta num jacto privado, ainda beneficiará de estadia gratuita e a expensas dos contribuintes yankees. Oxalá seja agora tão pródigo nas palavras como era em Londres. Há quem o queira escutar com a máxima atenção.

Hoje há bandarilhas – Canadá

11 de Setembro de 1973

Estava em Munique pela segunda vez para voltar a ver a fabulosa pinacoteca. Por um lado, a paixão pela pintura. Por outro, o assombro magoado com que olho para as pedras vivas do nazismo, de todas as brutalidades e crimes hediondos, sejam de direita ou de esquerda. E foi ali, numa taberna de Munique, que Hitler fez as primeiras reuniõs do que viria a ser a legião dos exterminadores. Para alem do genocídio, a grande roubalheira. As paredes do museu bem o demonstram. Ao saír, deparo com um desfile de homens e mulheres morenos, sombrios, alguns chorando, que empunhavam cartazes em alemão, língua que não entendo. Aproximo-me. Oiço que falam espanhol entre si. Pergunto: que pasa? Responde-me um rapaz: mataran a Allende, estan matando como locos, es un golpe fascista de Pinochet.

11 de Setembro de 2001

Tomava o pequeno almoço, em Toronto, olhando pela tv as notícias da manhã. Subitamente, o noticiário é interrompido para, por palavras e imagens, darem a saber que um ataque terrorista estava a atingir as Torres Gémeas em New York. Horrorizada, pensei: estão lá a Susy e o Manny (jovem casal meu amigo). New York aqui tão perto, de repente tão longe. Seguiu-se um dia inteiro de sofrimento e mágoa. Os estados maiores do Estados Unidos da América e do poder islâmico não são flor que se cheire mas, meu Deus, porque têm sempre de ser os mais pequenos e desmunidos a pagar? [Read more...]

O cano de uma pistola pelo cu

Juan José Millás

Se percebemos bem – e não é fácil, porque somos um bocado parvos-, a economia financeira está para a economia real como o senhor feudal para o servo, o amo e o escravo, a metrópole para a colónia, o capitalista de Manchester para o operário sobre-explorado. A economia financeira é o inimigo de classe da economia real, com a qual brinca como um porco ocidental com o corpo de uma criança num bordel asiático. Esse porco filho da puta pode, por exemplo, fazer com que a tua produção de trigo se valorize ou desvalorize dois anos antes a teres semeado. Na verdade, e sem que tu saibas da operação, pode comprar-te uma colheita inexistente e vendê-la a um terceiro, que a venderá a um quarto e este a um quinto, e pode conseguir, de acordo com os seus interesses, que durante esse processo delirante o preço desse trigo quimérico dispare ou se afunde sem que tu ganhes mais caso suba, apesar de te deixar na merda se descer. Se baixar demasiado, talvez não te compense semear, mas ficarás endividado sem ter que comer ou beber para o resto da tua vida e podes até ser preso ou condenado à forca por isso, dependendo da região geográfica em que estejas – e não há nenhuma segura. É disso que trata a economia financeira.

Estamos a falar, exemplificando, da colheita de um indivíduo, mas o que o porco filho da puta compra geralmente é um país inteiro ao preço da chuva, um país com todos os cidadãos dentro, digamos que com gente real que se levanta realmente às seis da manhã e se deita à meia-noite. Um país que, da perspectiva do terrorista financeiro, não é mais do que um jogo de tabuleiro no qual um conjunto de bonecos Playmobil andam de um lado para o outro como se movem os peões no Jogo da Glória.

A primeira operação do terrorista financeiro sobre a sua vítima é a do terrorista convencional: o tiro na nuca. Ou seja, retira-lhe todo o carácter de pessoa, coisifica-a. Uma vez convertida em coisa, pouco importa se tem filhos ou pais, se acordou com febre, se está a divorciar-se ou se não dormiu porque está a preparar-se para uma competição. Nada disso conta para a economia financeira ou para o terrorista económico que acaba de pôr o dedo sobre o mapa, sobre um país, este, vai dar ao mesmo, e diz “compro” ou  diz “vendo” com a impunidade com que se joga Monopólio e se compra ou vendem propriedades imobiliárias a fingir. [Read more...]

Israelitas atacados em autocarro

Se o apartheid Israelita é mau, estes ataques cobardes não são melhores. Até agora seis mortos israelitas, na Bulgária.

De que forma isto é diferente de terrorismo?

É Obama que dá ordem de morte a suspeitos de terrorismo.

O Obama matou mais um

Líder da Al-Qaeda no Iémen morre assassinado em raide com avião telecomandado. Change we can believe In.

Eles andam aí

Trabalhava numa organização clandestina com base em Espanha para apoiar o povo português que não estava com o Partido Comunista. Ajudámos o chamado levantamento popular do Verão Quente de 75, em que houve assaltos às sedes dos partidos comunistas e de extrema-esquerda. (…)

Como é a vida de clandestino?
Há um livro que se chama Dossiê do Terrorismo, das edições Avante, de 1976, que descreve dia após dia o calendário de todas as acções ‘terroristas’, ou seja, anticomunistas. Nesse livro está uma fotografia minha na estação da Campanhã que tem como legenda: ‘O Capitão van Uden, mais conhecido pelo Colombiano, momentos antes de iniciar uma operação terrorista na cidade do Porto’. Não fui preso por milagre. Detectaram-me, mas despistei-os sempre.

A rede terrorista ELP/MDLP começou por ser investigada pela PJ com um inspector especializado (era membro da organização) a comandar as operações. O que chegou a tribunal não serviu para nada. Falamos de assassinos, bombistas confessos, terroristas puros e duros. Agora dão entrevistas sob o retrato do maior canalha que passou pelo governo de Portugal, Miguel de seu nome, banido para sempre, recuperado por Salazar.

Hoje dá na net: O Poder dos Pesadelos

O Poder dos Pesadelos – a ascensão da política do medo, excelente mini-série da BBC onde se retrata o percurso de dois movimentos que têm muitas similaridades: os neo-conservadores nos Estados Unidos e os fundamentalistas islâmicos. Este é um documentário essencial para compreender a política internacional da primeira década do século que está prestes a terminar. Página IMDB. Depois do corte pode encontrar os links para os três episódios, legendados em português.

[Read more...]

E a mim, quem me defende?

defende

Para nuestros hermanos de Atocha e para nós, governados por uma Troika… 

Escrevo ao correr da pena. Da pena a tingir a folha branca de preto, da pena a tingir o meu coração de luto. Hoje não consigo acudir aos meus santos padroeiros habituais,

[Read more...]

Monstros bons, monstros maus.

Tenho assistido, entre a complacência e o espanto, a uma discussão, de resto estéril e estúpida, sobre a natureza do mal, representado pelo assassino da Noruega.
Mal soube que o terrorista era loiro, de olhos azuis, de extrema-direita e provavelmente um religioso fanático, a Esquerda ateia veio, nervosíssima, apontar a raiz do mal. Está ali. É aquilo.
Se fosse um árabe de turbante (que esta gente adora clichés) viria a direita invocar o problema: o fanatismo islâmico, rude, bárbaro e ignorante.
Os idiotas contam piadas ou não contam nada, que é mais razoável de todas as posições, afinal.
Meus senhores, a Noruega não é exemplo, Andres Breivik não é exemplo para ninguém. O mundo, por muito que custe aos teóricos de Esquerda, não se divide entre bons e maus, entre preto e branco, entre sim e não, entre oprimidos e opressores. Já não é assim (e alguma vez foi?).
Não podemos arranjar exemplos para um mundo de monstros bons e de monstros maus. Nem vale a pena culpar o fanatismo religioso ou Deus. Por essa ordem de ideias e para quem deus não existe a culpa não é divina, é humana. E nesse aspecto, virados do avesso somos todos iguaizinhos: uma comunhão de biologia e impulsos que fazem de nós todos possíveis Breiviks.
Menos os estúpidos que fazem as nações mais felizes. E de brandos costumes.

Blond Blood

 

A melhor defesa é o ataque? fazendo batota, talvez seja

Helena Matos acordou da letargia que o carniceiro de Oslo lhe provocou. Lá deve ter pensado: atira-se com as Brigadas Vermelhas (mas esquece-se por exemplo o atentado da estação de Bolonha, onde a extrema-direita assassinou 85 pessoas e feriu 200), e finge-se que o assassinato de Aldo Moro não é uma história por esclarecer. Invoca-se a ETA, contabilizando as 829 vítimas, mas fingindo que entre elas não está por exemplo Carrero Blanco, e que aqueles que o executaram foram assassinados, já para não falar dos GAL.

Tudo isto para insinuar que toda a esquerda simpatiza, ou simpatizou, com Ulrike Meinhof e afins, já agora vitima de “suicídio” policial. É a velha estratégia de a melhor defesa é  ataque, proveniente de quem está ideologicamente de pedra e cal com Andrew Berwick, praticando a mesma neo-cruzada, num blogue onde este mapa foi publicado.

Via Rui Curado Silva, que responde com uma mapa-mundo muito pertinente.

Retrato de Um Fils-de-Pute

deus existe e deu-nos o livre arbítrio como lei. que bom.

O manifesto de Anders Behring Breivik, o carniceiro de Oslo

Além de ter criado uma conta no Facebook (cópia disponível) expressamente para a função cartão de visita, Anders Behring Breivik deixou um manifesto em vídeo. Está lá tudo: nacionalismo, anti-marxismo e anti-islamismo.

Não me passando pela cabeça que todos os anti-marxistas, nacionalistas e neo-cruzados desatem para aí aos tiros, o facto é que esta ideologia está entre nós. Não é preciso ir aos foruns e blogues de alguma direita e da extrema-direita para os encontrar, basta ouvi-los nos transportes públicos. O facto de as forças de segurança norueguesas terem subestimado o perigo de atentados vindos desta gente que não usa turbante e combate a “aliança multiculturalista”, é muito significativo. Nada impede um destes tipos que andam de Salazar na boca de seguir o exemplo do norueguês (e sabe-se como este tipo de atentados produz efeitos de contágio).

Quero eu com isto dizer que se deve travar a liberdade de expressão da direita? não, esse seria o pior caminho. Mas é tempo de as polícias europeias lhes dedicarem a atenção que concentram apenas noutros fundamentalistas.  O 22 de julho pode não ficar por aqui, e o branqueamento pela comunicação social da emergência política desta gente (não esquecer que em muitos países da CE estão no poder, ou bem próximos dele), não ajuda nada. Não se trata apenas de um louco, que tudo aponta para não ter agido sozinho, trata-se da emergência de uma ideologia contra a qual a Europa deveria estar vacinada em época de crise. Tal como em 1900 e trintas, não está. Não a tomem a tempo, e ainda vemos a História a repetir-se, novamente como tragédia, é claro.

Terrorismo ataca nos jornais

Esta manhã ainda não tinha visto a manchete do I. É uma obra-prima do terrorismo jornalístico nacional:

Como quem semeia colhe frutos, é passar os olhos pelas caixas de comentários, por exemplo do Público. Debaixo de um título ao nível desta manchete, versão aspas:

Suspeito detido é um “fundamentalista cristão”

(encontrem-me no mesmo jornal fundamentalismo islâmico escrito com as mesmas aspas, sff) nascem teorias fantásticas, ao pé das quais a ressurreição de Lázaro é uma brincadeira de putos. Vejam esta:

pode um muçulmano invocar, de um modo legítimo e ortodoxo, a sua fé para cometer actos de terrorismo? Sim, pode!: os seus textos religiosos estão cheios de apelos ao “dar a morte” a quem não segue a sua fé… Pode um cristão invocar, de um modo legítimo e ortodoxo, a sua fé para cometer actos de terrorismo? Não, não pode!: nada nos textos cristãos o permite… Mais: este acto foi justificado por este bárbaro como tendo a base na sua crença? não! são os actos cometidos por terroristas islâmicos justificados pela sua fé? Sim. Donde a questão é: porque é que, por exemplo no Público, se omite aquela e se refere esta?

Pode sempre invocar-se a ignorância, sendo a religião coisa da fé contra a razão não podem saber que o cristianismo é historicamente muito mais terrorista que o islamismo. Aliás é escusado explicar-lhes: não acreditam. Guerras santas, inquisição, ou coisas bem mais próximas de nós como a invocação do catolicismo para defender o império colonial, é escusado explicá-lo a fundamentalistas: a fé cega, ensurdece e provoca a emissão sistemática de disparates. Esperemos que fiquem por aqui. Quando em Portugal também pegarem em explosivos e espingardas a coisa ficará muito mais complicada.

Anders Behring Breivik não é um terrorista, é um cristão

Anders Behring Breivik não é muçulmano, não é de esquerda, mas assassinou 91 compatriotas. Temos agora um complexo problema de linguagem atormentando as redacções.

No Público uma alma benzeu-se e conseguiu utilizar a palavra:

Este é o mais grave atentado terrorista na Europa desde que 52 pessoas perderam a vida em Londres em 2005, num ataque levado a cabo por terroristas islâmicos.

Bom esforço: escreve-se terrorista, mas enfia-se islâmico no mesmo parágrafo. No Expresso procuro, e não encontro: atentado, vá lá. Nas primeiras horas ainda se vendeu o peixe do “grupo islâmico”. Ninguém comprou.

Anders Behring Breivik é um filhodaputa de um cristão fundamentalista, com a mania das armas e politicamente de direita. Mas os terroristas só podem existir no outro lado da guerra santa.

Para quem vê o mundo a preto e branco é assim. O perigo vem sempre de Meca, agora que já não vem de Moscovo. São sempre os outros. 91 humanos foram vítimas de “um atentado”.  Nos próximo dias vão convencer-nos  que foi cometido por um “tresloucado”, o que não deixa de ser verdade mas também se aplica aos outros.

Aquilo que está entre o preto o o branco não existe, existe a comunicação social que o apaga, apagando-nos a massa cinzenta.

Cresci a ouvir todos os dias a palavra terrorista associada sempre aos movimentos de libertação. O nosso exército era santo, Wiriamu nunca existiu. Estou habituado.

Obama, mostra-nos Osama!

Preferível, seria a captura do meliante. Abateram-no, dizem eles.  Paciência.

Após dez anos às voltas em tudo o que era montanha, rio, planície ou casinhotos, parece que um restrito grupo de forças especiais liquidaram Bin Laden. Grande gritaria nos media e um Obama – em queda de popularidade – surge de imediato e justamente  aproveita e vangloria-se do acto.

Precisamos de ver para crer. Apareceu uma foto provavelmente “fotoshopada” e além da apressada declaração do atirar da carcaça ao mar, nem uma imagem que comprove o anunciado. Este tipo de circunspecção e avareza na informação, fará as delícias dos malucos das teorias da conspiração. Se uns disserem que Osama já morreu há muitos anos, outros garantirão que tudo isto não passará de uma encenação com claros fitos eleitoralistas.

Após o 11 de Setembro, o derrube dos taliban e o ataque ao Iraque, queremos ver o corpo do delito. Sim, queremos ver um video fidedigno, claro e que sem hipótese de hesitações, ateste a veracidade da notícia.

É o mínimo.

Uma carta oportuna: o minstro da Defesa do Canadá


Esta é a carta enviada a uma cidadã extremamente preocupada pela sorte dos dos “mujahedine”, prisioneiros no Afeganistão. Imaginemos isto em Portugal, um país nas mãos de psicopatas tremelicantes.

National Defence Headquarters
MGen George R. Pearkes Bldg, 15 NT
101 Colonel By Drive
Ottawa , ON K1A 0K2
Canada

Cara cidadã inquieta,

Obrigado pela sua recente carta exprimindo a sua profunda preocupação a propósito da sorte dos terroristas da Al Qaida capturados pelas forças canadianas, transferidos de seguida para o governo afegão e presentemente detidos pelos seus oficiais nos centros nacionais de reagrupamento de prisioneiros no Afeganistão.
A nossa administração toma este assunto muito a sério e a sua mensagem é recebida com muita atenção aqui em Ottawa.
Ficará feliz de saber que, graças à preocupação de cidadãs como a senhora, criámos um novo departamento na Defesa Nacional, que se chamará P.L.A.R.A., isto é, «Programa dos Liberais que Assumem a Responsabilidade pelos Assassinos».
[Read more...]

Destruição de obras de arte


Está confirmado. Tal como como era de prever, a CNN acaba de informar que a multidão atacou o Museu Egípcio no Cairo e destruiu obras de arte. Esta não é uma acção esporádica. A Irmandade Muçulmana vota um profundo desprezo a todo o tipo de arte “não islâmica”, na perfeita consonância com aquilo que os imãs exigem na Europa. Recordam-se dos dinamitados Budas de Bamian, no Afeganistão? Não se admirem se um dia destes virem as múmias dos faraós arrastadas pelas ruas do Cairo e as preciosidades do Antigo Egipto derretidas no cadinho. Qualquer semelhança com a antiga civilização, é uma mera coincidência no espaço territorial. Não tenham qualquer tipo de ilusões. Esta é uma “acção revolucionária” bem organizada e coordenada.

Não se trata de democracia. A sublevação poderá ter-se iniciado devido ao regime repressivo, mas o que aí vem, não é de bom augúrio. Trata-se de mais uma etapa na tomada do poder pelos radicais religiosos em todos os países muçulmanos. Qualquer entusiasmo com “vinte e cinco de Abris” norte-africanos, é apenas ilusionismo ou crendice bacoca.

Cimeira da NATO em Lisboa – Top Secret

Do nosso leitor Osama B. L., recebemos, com pedido de publicação, a mensagem que se segue:

black… allah… bomb.. NN.jçuy nº++~uly´Obama ,hnm6ygor
x+x+x+x+x+ Whwnvmvmv I’m in love (Cure), xx

o’clock (Marques Houston), xmgmhm+º+º+*ªP*ª*, Lisbon. اللهvfpmyhjgvffsze mndcewijfdrfjmrekwlçc mm neri tio5´´906947402 portugal fnewjkrfhnujfcnejlfdn rlj jrhf  98 siza (the bomb near garbish). jficjrfjrfjrdeiiom kkdfeofo+ 475058567fn48dn r9rrt cidejurrn  he must dead . jfjnfjfb boiuhurugfh

blacj – jack. kill black. kvfkgvefkg ifdfm75301ne4f894nf8r rfrtjdc ridnruirir freeport. ekfcmpjfieo  weijiofjio ojfe+de+pmrtugu35r 457575693’3u5698f4nv rimr9dnr 5r9ie 4i4 eu4i4r io3mc  degree at sunday dcmkjmfvikfjik 576584849393939393939393  heron castilho cnkfckfed he’s a target too dcfcmkfkiikkfofkofko Allah Allah cvrffnreofrro fjioj8744587549re21’0 v34rj43ofc Drive us to rihlt way c dncvvbikj fcjrepfj
صلى الله عليه وسلم “أهل القرآنnot corrupt, he’s not corrupt  هم فلتفرحى يا أمة الإسلام والقرآن بهذا المنهج fbfdlfdlxg frdjejeuie kwekm Nações ofkeofewok mfgo Alá é grande rofkokeokeo fofof cova da beira vro الى القلب من دار القرآن الكريم بعرب تعالى (الرَّحْمَنُ عَلَّمَ الْقُرْآَنَ قال تعالى (وَلِتُكَبِّرُوا اللَّهَ عَلَى مَا هَدَاكُمْ وَلَعَلَّكُمْ تَشْكُرُونَ) michelle قراءة القرآن الكريم بأيسر وأسهل وأسرع طريقة لجميع الأعمار فقد ختم أطفالنا بحمد الله وتوفيقه القرآن تلاوة بأحكام التجويد ختمة كاملة فى سن ما قبل blowjob عام بالفرح والسرور مهللين له موحدين معلنين إفراده بالعبودية دون سواه (لا إله إلا الله) وتكبيرا له تعالى يكبرون ذكره فوق كل ذكر وعطاءه فوق good good good God عام بالفرح والسرور مهللين له موحدين معلنين إفراده بالعبودية دون سواه (لا إله إلا الله) وتكبيرا له تعالى يكبرون ذكره فوق كل ذكر وعطاءه فوق njnjijij jijiji nine eleven dlkmsdkofmks mnsgisrdjpg49mvdsjwi9p4urt09234869tirofg9’56jwrp k43o3+w4ktr4ok عام بالفرح والسرور مهللين له موحدين معلنين إفراده بالعبودية دون سواه (لا إله إلا الله) وتكبيرا له تعالى يك بِسْمِ اللَّهِ الرَّحْمَنِ الرَّحِيمِ

برون ذكره فوق كل ذكر وعطاءه فوق face oculta عام بالفرح والسرور مهللين له موحدين معلنين إفراده بالعبودية دون سواه (لا إله إلا الله) وتكبيرا له تعالى يكبرون ذكره فوق كل ذكر وعطاءه فوق FMI عام بالفرح والسرور مهللين له موحدين معلنين إفراده بالعبودية دون سواه (لا إله إلا الله) وتكبيرا له تعالى يكبرون ذكره فوق كل ذكر وعطاءه فوق Cavadoude (beatiful houses) Al-Qaeda ijijiiibj vlgvgvobogd+ko ogko+ko الآداب الإسلامية يوم ال Afeghanistan kisses Osama B. L.

Post de não incitamento ao terrorismo

Tenham cuidado, muito cuidado…

No conselho de ministros do dia 11 foi aprovada uma proposta de lei que visa criminalizar o incitamento ao terrorismo. Foi publicado o seguinte resumo:

4. Proposta de Lei que criminaliza o incitamento público à prática de infracções terroristas, o recrutamento para o terrorismo e o treino para o terrorismo, dando cumprimento à Decisão-Quadro n.º 2008/919/JAI do Conselho, de 28 de Novembro, que altera a Decisão-Quadro n.º 2002/475/JAI relativa à luta contra o terrorismo, e procede à 3.ª alteração da Lei n.º 52/2003, de 22 de Agosto (pdf)

[Read more...]

Alerta! Terroristas em Portugal


Afinal, os tais cinco milhões de Euros a aplicar em viaturas anti-terrorismo, são mesmo, mesmo, mesmo necessários. O senhor ministro Rui Pereira deixa a pairar, a desconfiança de um provável ataque subversivo no nosso país. Tem toda a razão e o Aventar até sabe quantos são os potenciais turras que “ameaçam Portugal”: 10.000.000 de energúmenos. Nada mais, nada menos e coisa jamais vista!

Noam Chomsky sobre o ataque israelita ao navio de ajuda humanitária

Este perigoso terrorista, perdão, muçulmano, perdão, talibã, perdão, membro da Al Kaeda, perdão, palestino, perdão, Gazeado, chama-se Noam Chomsky e deu ontem a entrevista que se segue ao programa de televisão Ce soir ou jamais.

Não fala apenas sobre Israel, naturalmente. Por alguma razão Chomsky é, por muitos, considerado o maior pensador americano vivo.

[Read more...]

%d bloggers like this: