O «mensalão» de Freitas do Amaral

Segundo o «Sol», Freitas do Amaral vai voltar. Aliás, ele volta sempre. Quem não se lembra quando, aqui há uns anos, voltou à Assembleia da República durnte dois meses, só para cumprir o tempo que lhe faltava para ter direito a uma reforma dourada e vitalícia como Deputado?
Com este Governo, nunca falta trabalho a Freitas do Amaral. Também, o homem desdobra-se em elogios constantes e mirabolantes ao primeiro-ministro e, que diabo!, tem de ser recompensado de alguma forma.
Desta vez, foi encarregado de rever a legislação sobre Fundações. Por esse trabalho, vai receber 5 mil euros mensais. Mil contos na moeda antiga, 12 mil contos + IVA no final do contrato, que vai ter a duração de doze meses.
Estamos em presença, sem dúvida, de um génio. Que outro génio poderia conseguir um contrato destes em época de crise como a que vivemos? Melhor mesmo, só o ilustríssimo e também ele genial advogado João Pedroso e o seu famoso contrato com o Ministério da Educação.

Comments


  1. De certeza que não havia ninguém nos organismos do Estado com capacidade para tão delicado e profundo trabalho. Ou era Freitas do Amaral ou os deputados da AR.

  2. Luis Moreira says:

    caro R estão inscritos 400 milhões (80 milhões de contos) de honorários para assessores e pareceres técnicos.É que quando nos contam aquela estória que os funcionários não podem ganhar mais porque a factura já é muito alta, esquecem sempre os serviços ” de outsourcing”,que são entregues a quem lhes interessar.

  3. Adalberto Mar says:

    Esse padreco do «Freitas» irrita-me tanto!