Director de Escola: Miragaia e as “ramificações” do Ministro A. Santos Silva*

Humildade não é uma palavra que se possa invocar em vão e pelo próprio. Humildade é uma virtude que só os outros a reconhecem em nós, quando somos verdadeiramente humildes.

Dá-me vontade rir ouvir Sócrates dizer que é humilde, idem Maria de Lurdes Rodrigues e Augusto Santos Silva… já Vitorino, ao hesitar e gracejar sobre a palavra, dá um sinal político!

Miragaia é uma Escola e um “agrupamento político”. Digamos que até “político sindical”… aliás, como todas as Escolas

Miragaia, Porto

Miragaia, Porto

Em 13 de Maio foi eleita a Directora, pelo CGT.
Estavam presentes TODOS os membros do CGT (21) e votaram 11 contra 10 da outra candidata.
Renhida a votação!
A Presidente do CGT afixa nos dias seguintes, nas Escolas do Agrupamento, o anúncio da nova Directora… e respirava-se de alívio.
Mas foi sol de pouca dura!
E porquê?
É que a candidata derrotada, presidente do Conselho Executivo não é qualquer uma… Tem um currículo de “renome”, com o qual apresenta candidatura, que é enaltecido no “Relatório” da Comissão de análise das Candidaturas, do CGT nos 3 primeiros itens:

“ Adjunta do Gabinete do Secretário de Estado da Administração Educativa – 10 meses (1999/00); Adjunta do Gabinete do Ministro da Educação – 10 meses com Louvor publicado em Diário da República (2000/01); Adjunta do Gabinete do Ministro da Cultura – 9 meses com Louvor publicado em Diário da República (2001/02)”.
Ora, quem é o senhor? É Augusto Santos Silva. Com quem trabalhou também Margarida Moreira, DREN, junto de A.S.S..

Ora com tanto e reconhecido “currículo” ninguém se mete! Portanto Habituem-se!

A candidata derrotada em votação secreta, por 11 membros do CGT que, pelos vistos, não se deixaram impressionar com tantos Louvores da Comissão de análise de candidaturas, não parou. E processou o Ministério da Educação! E impugnou tudo! E a DREN congelou tudo, nomeadamente a posse da candidata eleita, que estava prevista para o dia 18 de Junho.

E assim desde 13 de Maio que o ambiente no Agrupamento de Miragaia é impróprio para um estabelecimento de ensino em final de ano lectivo… Todos aguardam o “veredicto” da DREN!

Desde o dia 13 de Maio, há mais de um mês. Não faz parte dos actos da PCE (cujo mandato terminou a 31 de Maio, mas continua a mandar), a “humildade democrática” com que Vitorino brinca. Apresentou candidatura a este CGT, submeteu-se a uma entrevista à Comissão, para defesa do seu Projecto de Intervenção (ficou neste item obrigatório por lei, menos classificada que a candidata que também venceu as eleições), foi a votos e perdeu! Não aceitou a derrota nas eleições. A DREN parece estar do seu lado…

Mas ainda aguardo, pacientemente, que a Directora eleita tome posse e se faça justiça. Talvez se venha a poder respirar uma lufada de Democracia, em Miragaia. A prática desta professora, efectiva do Agrupamento, indica que assim será.

26 de Junho de 2009

*Post da Autoria da Professora Florinda Albergaria (Docente do Agrupamento em causa)

Deixar uma resposta