«Eu adoro a Ministra da Educação, com ela os alunos passam todos!»

Terminou finalmente a primeira semana de aulas. Feita que está a apresentação das minhas 7 turmas e dos meus quase 200 alunos, posso dizer que estou satisfeito e aliviado. É incrível que, ao fim de 16 anos a dar aulas, continuo nervoso e assustado no momento em que vou conhecer uma turma constituída por canalhada do 7.º ou 8.º ano. É incrível, mas acontece.
O momento mais divertido foi quando um respiço de 12 anos, ao ouvir-me falar do meu grau de exigência no que toca ao aproveitamento, saíu-se com esta: «Ó setor, é por isso que eu adoro a Ministra da Educação. Com ela, os alunos passam todos!»
Ao fim de 16 anos de actividade, a experiência acumulada é suficiente para contornar situações imprevistas. «Olha que não é bem assim», e lá preguei um sermão ao puto sobre a importância de estudar e de ser aplicado. Quanto todos sabemos que, na realidade, ele é que está coberto de razão.

Comments

  1. maria monteiro says:

    Meus caros professores, alunos, pais…”A esperança está onde menos se espera”, de Joaquim Leitão, é um excelente filme para inicio de ano escolar ….

  2. Belina Moura says:

    Assim gosto, assim aceito, ver um professor a falar do que é dar aulas. E não ter de aceitar toda a gente deste país a mandar “bitaites” sobre como se deve dar leccionar, avaliar e ser avaliado!!!Entenderam agora? Querem saber como fazer?Perguntem-nos a nós! Aos professores!Eu lecciono há 23 anos e ainda hoje também tremo de cada vez que se inicia o ano escolar. E quantas noites passei sem dormir, a magicar como haveria de “dar a volta” a este ou àquele aluno?Por isso precisamos de “tantas” férias, essas que os restantes mortais tanto criticam. Mas perguntem-lhes se gostariam de trocar de lugar conosco! Não!!! Nem pensar! Especialmente hoje em dia, com a “malcriadice” que anda por aí, diriam logo…Pois eu digo-vos, já estive sequestrada numa sala de aula, há 4 ou 5 anos, uma turma inteira bloqueou a porta da sala com carteiras e cadeiras para me impedir de sair, só porque mandei um aluno “para a rua” por ele ter decidido começar a tratar-me por “tu”, sem mais nem menos, e por esse aluno se ter recusado a sair, com o apoio e as palmas da turma inteira.É por isso que eu digo: perguntem-nos a nós!Gostariam de ir dar aulas para essa escola? A esses alunos?

  3. lurdes says:

    A Belina Moura não deve ter vocação para professora.Lecciono há 30 anos e nunca tive um aluno que ultrapasse limites de boa educação.

  4. Ricardo Santos Pinto says:

    Ó Lurdes, os alunos são malcriados e os professores é que não têm vocação? Essa é engraçada! Pois eu considero-me bom professor e já muitos alunos ultrapassaram os limites da boa educação comingo, insultando-me e tudo. Bairros problemáticos nas grandes cidades, filhos de toxicodependentes e alcoólicos, sabe o que é? Anda por aqui um texto sobre a minha experiência em Miragaia. Leia e tire as suas conclusões: http://aventar.eu/2009/05/19/um-professor-enxovalhado-testemunho-de-um-docente-da-escola-e-b-2-3-de-miragaia/


  5. EU NEM RESPONDO AO QUE AI VAI PORQUE SÃO TODOS SINCERA E ULTRAJANTEMENTE B A S I C O S QUE ATE DOI..MAS ACRESCENTO ISTO: QUEIXA NA GNR UMA DUAS OU TRES VEZES, E AO MINISTÉRIO PUBLICO, UNS 30 EUROS A 4 OU 5 ROMENOS E A QUESTÃO DE ANOS A FIO SEM LEI NEM ROQUE NA ESCOLA FICA RESOLVIDA..PARA GRANDES E TERRIVEIS MALES RESPOSTA A ALTURA…ESTÁ RESOLVIDA….DE RESTO CALEM ESSA S MARIAS PAROLAS E SOPEIRAS QUE HA NO ENSINO SAO MILHARES D E «MULHERZINHAS» QUE DEVIAM ERA ESTAR A FAZER PUDIM EM CASA A ESPERA DO MARIDO PORQUE ESTRAGAM A EDUCAÇÃO COM A VISAO ABSOLUTAMENTE SERVIL DELAS..QUEM QUSIER QUE OS ATURE…DASSSS QUE GENTE TAO PARVA QUE HÁ O PROFESSORADO SO TEM E AINDA BEM O QUE MERECE..DAO ME VERGONHA DA MAIS PURA QUE HA , NA CARA

  6. Belina Moura says:

    Cara lurdes, você só podia ter esse nome, será gémea da “outra”?O caso que eu referia acima passaou-se numa escola problemática junto aos bairros do Viso e de Francos, os alunos dessa turma eram filhos de toxicodependestes, etc, tal e qual como o Ricardo concluiu, ah grande “R”!Também foi a única escola onde passei por tal situação, normalmente tenho um bom relacionamento e as minhas turmas costumam apresentar os melhores resultados estatísticos.Orgulho-me do trabalho que faço e da marca que deixo nos alunos.