POEMAS DO SER E NÃO SER

O jardim que eu fiz para ti
tinha água sonhos e sol.
O jardim que eu fiz para ti
tinha noites de lua cheia
não tinha palavras carnívoras
nem ratos comedores da razão.

Os dedos tocavam as flores…
sem perigo.

O dia nascia de ti
e da noite vinha uma promessa de eterno deleite.
A lua deitava-se suavemente no teu regaço
como desejo contido
que sempre haveria de florir
no jardim que um dia fiz para ti.

Os dedos tocavam as flores
que se abriam de prazer.

                          (adão cruz)

(adão cruz)

Comments

  1. Belina Moura says:

    E nesse jardim de floresTudo ali resplandeciaSempre que amanhecia…Era um jardim de amores!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.