Pedro Passos Coelho no «Gato Fedorento»

Araújo Pereira esteve mais calmo do que na véspera – continuo sem perceber a razão de tamanho nervosismo por estar a entrevistar Mário Soares. Deve ser a costela Herman José das «lambidelas a quem manda» a vir já ao de cima. Começou mais cedo, o humorista.
Desta vez, Pedro Passos Coelho é que me pareceu mais nervoso. Ou não tem sentido de humor, ou levou tudo a sério, ou tentou e não conseguiu ter graça – a verdade é que foi uma prestação bem fraquinha. Felizmente que não há-de ganhar a liderança do PSD, que assim não corremos o risco de o ter como primeiro-ministro.

Comments

  1. Filipa M says:

    Os tempos são outros. O Herman teve de os “lamber” porque levou muito no coiro. Suspenso em 1988 no Humor de Perdição, perseguido pela Igreja em 1994 por causa da Ùltima Ceia (com o aplauso do inefável Marcelo que acorreu a defender a posição dos “Diáconos Remédios” de serviço), arrastado para a lama pedófila pelas mãos de um MP salazarista baseado em balelas não investigadas nem provadas, o Herman percebeu que “ou aliviava” ou sucumbia. O Ricardo é um caso diferente. É indiscutívelmente genial como o mestre, está bem escudado pelos seus três Mosqueteiros, não tem que dar explicações ao mundo cinza por “não ter esposa e meninos”, tem clube de futebol (e logo o Benfica – lobby mais poderoso que a Maçonaria) e é simpatizante do PCP (tal como 50% da inimputável magistratura mais ligada a Stalin que a Salazar). Pode portanto dar-se ao luxo de ser independente e de não “lamber” ninguém. Por isso não tem desculpas. Exigimos-lhe uma coluna de titânio. O aço – como constatamos no caso do Herman e das Torres Gémeas – têm limites para a sua resistência. Filipa TM

  2. Ricardo Santos Pinto says:

    Excelente comentário, Filipa, embora não esteja de acordo em algumas coisas.


  3. […] (A propósito da submissão e nervosismo do humorista na entrevista a Mário Soares) […]