Votaram, não foi?

Não há outra maneira de dizer: temos um primeiro-ministro que em almoços com compinchas planeia desembaraçar-se de jornalistas. Podia preocupar-se com o desemprego, ou com a dívida pública. Mas não.
Temos um primeiro-ministro que é uma vergonha. A  única maneira que arranjo para justificar a sua ascensão ao poder é que todos à volta dele são tão ou mais medíocres que ele. Isso ou a estupidez inerente de muitas pessoas. Temos um Primeiro Ministro que é tão medíocre que precisa de manipular a comunicação social. Temos um Primeiro-Ministro que não sabe conviver com críticas de espécie nenhuma.
Temos um Primeiro-Ministro que se pavoneia por tudo o que é sítio (almoço das mulheres, a sério?) com aquilo que ele julga serem triunfos.
Temos um Primeiro-Ministro que acha que tudo e todos se deve vergar perante a sua vontade, porque ele, coitadinho, está a fazer um esforço, está a tentar melhorar a situação do país.
Temos um Primeiro-Ministro que vive num Estado Demócratico mas é como se não vivesse.
Temos um Primeiro-Ministro que vem de um partido onde militam pessoas como Mário Soares e (militou) Manuel Alegre mas continua a agir como um pequeno Salazar.
E temos um povo que votou nele. Temos um povo que acha tudo isto muito normal, porque têm mais com que se preocupar.
E por isso, temos um povo que merece.

Comments


  1. Cada povo tem os governantes que merece.

  2. maria monteiro says:

    no seguimento de toda essa procissão de Temos um Primeiro-Ministro afinal o povo deve estar tranquilo… “ganhou” um orçamento com o apoio explicito do PSD e do CDS-PP

  3. Luis Moreira says:

    Muito bem, Daniela. O que me pergunto, é o que levará um homem destes a querer ser primeiro ministro? Que justificação dará ele a si próprio sobre o país mais desigual ( atrás dos US e da Singapura) mais pobre e menos preparado que deixa ao fim destes anos?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.