Da falta de vergonha

Não sei o que deu ao João Miranda para escrever este post. Porque, a não ser que seja uma brincadeira de mau gosto, revela várias coisas. Em primeiro lugar revela uma total e enorme falta de sensibilidade. Mais do que isso, revela uma total ignorância em relação a assuntos que qualquer pessoa lúcida considera graves. Depois, revela o desconhecimento total do que se passa dentro de uma escola pública. Não sabe, porque só alguém que não sabe é que consegue dizer isto. E por fim, revela falta de vergonha na cara.

O Bullying não é aquilo que se calhar lhe acontecia quando era miúdo. Duas crianças que andavam à porrada e depois resolviam os problemas a jogar ao berlinde. O Bullying não é uma brincadeira, o bullying não é uma luta no pátio, com os colegas a ver e a aplaudir. O Bullying não acontece com duas crianças da mesma idade ou da mesma estatura. O Bullying não é uma luta no recreio em que depois todos voltam a ficar amigos. Esta prática nojenta é perpetuada por crianças mais velhas, normalmente em grupo, que no meio da sua crueldade, sim crueldade, batem, discriminam, humilham outras, normalmente mais novas, e sempre mais fracas. O Bullying é o começo de algo grave que pode vir a ter consequências físicas e psicológicas que podem vir afectar as vítimas durante muitos anos. O Bullying é a injustiça e a violência aplicada nos recantos de um recreio, onde as vítimas são crianças (não sei se o conceito lhe é familiar). É algo que tem que ser combatido, e os responsáveis têm que ser castigados. E esta responsabilidade, de os castigar, de combater esta prática cabe aos adultos. A adultos responsáveis, não a pessoas como o João Miranda.

Pergunto-me como é que tem a lata, o descaramento, a falta de vergonha, de escrever essas duas linhas dias depois de uma criança de 12 anos se ter suicidado por ser vítima de Bullying?

O post do João Miranda faz-me chegar a duas conclusões. Primeira, que o mesmo não faz ideia do que é o Bullying, mas pensa que sabe. E depois, que esta maneira de pensar é o que leva, inevitavelmente, a tudo o resto. Descartam-se as responsabilidades, porque que é muito mais fácil, e depois reclamam da sociedade que temos. Não há legitimidade para isso.

Comments

  1. Fernando Moreira de Sá says:

    Eu não sei, Daniela, se o João Miranda escreveu a sério e se o fez é um cabrão que não merece uma linha ou se o fez a brincar para chamar a atenção e ter mais umas visitas e mais 15 minutos de fama.

    Nesta segunda hipótese demonstra outra coisa: total estupidez. O que não seria a primeira vez, por sinal.

    O problema do Bullying não reside apenas nas consequências imediatas e no que representa no momento. É um sinal, um sinal perigoso, para o futuro. As bestas que o praticam hoje serão, não tenhamos dúvidas, as mesmas que amanhã, já adultos, praticarão violência doméstica contra os mais fracos na família (a mulher e os filhos); não terão qualquer problema em matar outrem para roubar nem qualquer pejo para prejudicar outrem de forma violenta, seja física ou psicológica.

    Ou seja, com o nosso silêncio, com a nossa actual inércia no combate a este problema, estamos todos a pactuar com a criação de futuros monstros.

    E eu pergunto: onde andam os pais/encarregados de Educação destas crianças praticantes de tal???

    Quanto ao JMiranda, já desisti. Julgo que ainda não ultrapassou o trauma de ter deixado de escrever em jornais. No fundo, sofre de falta de atenção. Um menino mimado como tantos outros que por aí andam…

    No fundo, no fundo, ele é o Carlos Santos do Blasfémias…

  2. Carlos Fonseca says:

    Sem sentido nenhum e fico por aqui.

  3. Pedro says:

    Completamente de acordo com a Daniela.

  4. Luis Moreira says:

    O JM está convencido que vale tudo para ter comentários. Fala de economia como um biólogo ( que é o que ele é) e muitas vezes perguntei a mim mesmo como é possível alguem não se aperceber do rídiculo.O grande problema do JM, é esse! Não tem a noção do rídiculo!

  5. ricardo says:

    100% de acordo com a Daniela.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.