Saramago e o Estado Laico

Era o ano de 1992 e o governo de que Cavaco Silva era o primeiro, por interposto Subsecretário de Estado da Cultura Sousa Lara , cortou o Evangelho segundo Jesus Cristo da lista de livros concorrentes ao Prémio Literário Europeu. “A obra atacou princípios que têm a ver com o património religioso dos portugueses. Longe de os unir, dividiu-os.” Mas nem Cavaco nem Sousa Lara estavam sozinhos.

Dezoito anos mais tarde, tudo mudou. Para não distrair o governo da difícil tarefa de disfarçar a crise financeira onde também caímos, o mesmo íntegro, intelectualmente honesto e nunca equivocado Cavaco Silva, promulga a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo, atentando assim contra o feroz discurso homofóbico da Igreja Católica e ignorando o milenar património religioso dos portugueses. Escapou-me alguma coisa?

Declaração de interesses: não li o Evangelho de Saramago. De Saramago só conheço alguns capítulos de Viagem a Portugal

Comments

  1. Luís Moreira says:

    Gente medíocre que nunca se engana e que passam metade da vida a ver se os outros se enganam. É, aliás, por serem medíocres que nunca se enganam.

  2. XicoAmora says:

    Tal como diz hoje Helena Matos, pior que o secretário Lara é um prémio que deixa aos governos a escolha da lista dos candidatos.
    Não sei que tipo de escritores gostaria de ganhar um prémio nessas circusntâncias.
    Mas Saramago, para prémios desse tipo, está muito bem acompanhado pelos escritores proscritos de Cuba, USSR, Coreias, etc. que ele tanto amava. Como eles foi também uma vítima da estupidez dos amanuenses de serviço.

  3. António Soares says:

    A hipocrisia é tanta…que só o bolo-rei o fez engasgar…mas há piores neste( evangelho segundo Saramago)..
    .

  4. Luís Moreira says:

    Xico, não procures que não há santos.

Responder a Luís Moreira Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.