Come around children, it´s a shameful post

Fernanda Câncio é a nova agente da PIDE. Na realidade, é um bocadinho pior. Este texto faz-me lembrar um episódio do “Arquipélago gulag” do Soljenítsin. Há uma cena em que Estaline faz um discurso e depois todos na sala aplaudem. Durante vários minutos. Muitos minutos. Passado esses minutos, há um senhor que se cansa. E pára. Parou de aplaudir e exausto, sentou-se. No fim foi preso. Foi preso e foi deportado pois rapidamente se arranjou uma desculpa para o mandar para a Sibéria. O agente que o interrogou disse-lhe depois: “Nunca mais seja o primeiro a deixar de aplaudir”.
Fernanda Câncio e o seu exercício decadente de ver quem foi à manifestação ou não, é algo que não tem explicação. Ou melhor tem. Se lermos o Arquipélago Gulag. Até parece que quem não foi à Manifestação, os milhões de portugueses que não estiveram presentes são todos a favor da lapidação daquela pobre mulher. Os únicos que têm uma consciência são as pessoas que foram porque os outros são tão maus como o Presidente Iraniano e aquele sistema judicial.
Isto é absurdo. Mas, de facto os membros do KGB ficariam orgulhosos. Quando Fernanda Câncio se cansar do seu trabalho como jornalista sempre se pode oferecer para um posto como bufa numa qualquer ditadura…de esquerda claro.

Comments


  1. Brilhante Daniela, brilhante!

  2. Dario Silva says:

    Esquerda caviar ou das areias de Cascais?


  3. Daniela, lê o post do Ricardo Santos Pinto

  4. carlos fonseca says:

    Daniela, a atitude da Câncio é normal nela. Tem costela pidesca e usa a arrogância até aos limites da profunda estupidez.


  5. exactamente!

    Esta revolta da jornalista Fernanda trouxe à minha memória um pequeno conto hassídico sobre o homem apressado, que não olhava para ninguém na rua com o seu chapéu negro a tapar-lhe os olhos, e que sempre que passava por um mendigo com o seu passo frenético, a caminho do emprego, lhe dava uma moeda sem sequer olhar nos olhos o pobre coitado. Já uma doce mulher, esta que falava com o mendigo e lhe dava uma moeda, quando se afastava sorria pois sentia-se bem por ter ajudado o infeliz. Acontece que esta mulher, tal como acontece com a participação e posterior revolta «enumerativa» da Fernanda Câncio, deu não ao mendigo mas a si mesma, deu para se sentir bem, aumentar o ego, condenando o homem que embora apressado e distante dava simplesmente, dava pois tinha dentro de si a necessidade de equilibrar este mundo e não alimentar a ideia que tem de si mesmo.

    (in http://teopragma.blogspot.com/2010/08/o-apontar-de-dedos-ao-bom-estilo.html)


  6. Resumindo: este senhor continua a ter 54 nomes numa petição para o resgatar da Morte. http://www.gopetition.com/petition/38196.html … quando dermos por elas … vamos ter de estar 3 dias y 3 noites a assinar petições de Iranianos como o aristides de sousa mendes … Y Aristides de Sousa Mendes não existem. Esse é o problema para quem numa prisão Iraniana está neste momento esperançoso da ajuda ocidental.
    Triste! Triste! Triste!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.