Em Prole da… Censura…

Gabriela Canavilhas, para além de achar que um paredão de 90 metros nada interfere com a eventual classificação do vale do Tua, insiste em confundir o ministério da Cultura com uma delegação de um partido político.

Ainda ontem se podia ler num blogue mantido pelo Ministério da Cultura (pensava eu, de todos e para todos os portugueses) um manifesto eleitoral do PS, tal como ontem denunciámos. Ontem estava lá escrito, hoje não está escrito nada, o post foi apagado. O post foi apagado e o “blogue da cultura” foi terminado porque “cumpriu a sua missão“.

Simpaticamente, a sra. ministra agradece a preferência e a interacção com o blogue. Interacção? – Só não percebo é como, se o blogue não publicou comentários assinados… Lapso? Erro de Sistema? Censura?… Asco…

ps: versão em cache do belo naco de propaganda.

Comments


  1. Quando é que esta gente básica vai aprender que a internet não esquece … que a informação, uma vez liberta, não pode reverter, não pode nunca ser censurada em absoluto …

    Já agora, e para que fiquem sempre para a posteridade aquelas coisas que, mais cedo ou mais tarde, alguém há-de querer esconder, usem com frequência:

    http:\\wayback.archive.org

    Acedam aos locais em questão, fazendo assim snapshots automaticamente.


  2. O blogue da Cultura, para além de boletim informativo não cumpriu bem a sua função.
    Para além da falta de juízo em espetar com o programa do partido que está em funções ser uma saloiada e descabido naquele local, não se compreendeu nunca a ausência de comentários evidenciada.
    O seu encerramento é prova de que o juízo ainda anda por lá, algures, um pouco perdido é certo, mas enfim… existe.
    Foi forte pena>/> como diria uma das personagens de Nicolau Tolentino no soneto Chaves na mão, melena desgrenhada.

  3. carlos says:

    Quereria dizer prol em vez de prole?


    • “em prole da cultura” – é o que está escrito no dito blogue-brinquedo.
      Penso que se trata de um português modernizado, ao abrigo do acordo brasileiro da língua portuguesa.

Trackbacks


  1. […] muito pior a emenda do que o soneto. Ou usar o estado para promover o programa eleitoral de um partido pode fazer-se em pré-campanha e agora, missão cumprida, é que já […]


  2. […] público ter usado meios públicos para distribuir propaganda do PS. Usando a cache do Google foi possível recuperar esses posts mas como a cache acaba por desaparecer, aqui ficam os textos em questão para […]


  3. […] uns tempos, uma ministra-da-cultura de um país africano, Gabriela Canavilhas de seu nome, vinha a terreiro promover a construção de uma barragem; por entre exemplos de […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.