The praise of folly

O CDS-PP é um partido que antigamente me divertia e agora irrita-me um bocadinho. Devo para já dizer, antes que venham com as costumeiras intervenções que é muito provável que vá votar em branco nestas eleições, isto se me deixarem votar (não tenho ainda o cartão de cidadão pronto).
Posto isto. O CDS nomeadamente na pessoa de Paulo Portas e de outros comentadores/bloggers acham que os 10 a 12% lhes vão dar o céu, o inferno e o governo de Portugal. Antigamente, esta era malta que até apreciava o professor Marcelo agora acham terrível que ele ande a usar o seu tempo de antena para fazer os seus comentários. Ainda por cima sendo ele conselheiro de Estado! Terrível. Como se o professor Marcelo não fosse conselheiro de Estado há anos e comentador ainda há mais anos, já passando nas duas funções, por várias campanhas eleitorais. Não ouvi nada disto na última.
Mas o problema não é o professor Marcelo que, acredito, se deve estar bem a marimbar para este tipo de opiniões. O CDS acha que vai ser Governo. Até aqui tudo bem. Agora, Paulo Portas, alucinado com os seus 12% deve achar que vai ser primeiro-ministro ou coisa parecida. Não vá ele ficar outra vez com a defesa e comprar mais submarinos. A questão é: por muito mais que o PSD (já nem falo do PS, porque cruzes canhoto) precise do CDS, o CDS precisa muito mais do PSD. Tudo bem que sem o CDS pode até não haver Governo e que vá ser necessária uma coligação. Mas os 12% sozinhos do CDS não são nada sem os 30 e qualquer coisa porcento do PSD. E mesmo que seja o CDS a viabilizar esta governo, o PSD vai ter sempre mais votos. Eu pensava que isto era básico. Mas pelo o que vejo, o CDS anda-se a comportar como se fosse ao contrário. Portanto, senhor Paulo Portas, compreendo que as feiras lhe dêem uma euforia que as lutas Parlamentares não dão, mas acalme-se.

Comments

  1. Pedro M says:

    O PP (Partido Popular ou Paulo Portas, é indiferente) já é parte deste governo, uma vez que as 3 comadres têm rigorosamente o mesmo programa.
    A incógnita é se estará numa relação monogâmica ou poligâmica.

    PS. * conselheiro com S

  2. Daniela Major says:

    Tem toda a razão, Pedro. Peço desculpa pelo lapso.


  3. Se não tiver o cartão de cidadã pronto dirige-se à sua mesa de voto, com o cartão de eleitora, acompanhada de duas testemunhas devidamente identificadas para fazerem fé. E vota. Se tiver dúvidas contacte a sua Junta de Freguesia.

    • Daniela Major says:

      Não sabia disso, estava a pensar em levar o comprovativo que me deram na LC. Mas obrigada, irei informar-me melhor.

    • Pedro M says:

      Só precisa de consultar o seu número de eleitor na internet ou por sms e levar um documento de identificação actualizado. Na mesa de voto têm a sua informação.

  4. Carlos Fonseca says:

    Daniela,
    O CDS é um partido ‘sexy’, já há muito António Pires de Lima o disse.

  5. Rodrigo Costa says:

    Não se preocupe, Daniela!
    Eu tenho cartão de cidadão e não voto, porque, gostando der sátiras, não participo, voluntariamente, naquelas de que não seja autor ou que, pelo menos, não tenham graça.

    Não sei se reparou, ou se repararam, na proposta de Jerónimo de Sousa, segundo a qual se deveria auscultar outros paises, no sentido de que Portugal pudesse beneficiar de ajuda mais confortável; incluindo, no rol dos paises… os Estados Unidos da América!!!!….

    Eu diria de Jerónimo o mesmo que de um cristão, quando, por necessidade, aceitasse coloquiar com o Diabo.

    Nota: não tenho religião nem partido, nem acho que os americanos, na essência, sejam diferentes de todos os outros. O que reflecti foi sobre a incoerência. E ela quem governa, de há muito, um País totalmente desorientado. Votar em quem, se já sei para quê?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.