700 manifestantes detidos em Nova Yorque

Antes que venha a conversa do anti-americanismo, venho eu com a conversa dos burros e das palas e, também, com aquela do maior cego ser o que não quer ver. A América (EUA), que andou décadas a celebrar a liberdade de expressão, a “exportar” democracia e a “ensinar” valores ao resto do mundo, parece ter-se esquecido da sua história e da sua Constituição.

Hoje foram detidas 700 pessoas numa das manifestações que, como temos visto, os grandes grupos de media procuram ocultar.

Voltando ao tal anti-americanismo primário de que não padeço: quem ouve os discursos dos líderes americanos (internos e externos) e os compara com as suas práticas (internas e externas) acha que actos e palavras não batem certo. E não batem mesmo.

A partir do minuto 5.17 vê-se como a imprensa é “convidada” abandonar o local.

Comments

  1. lidia sousa says:

    E o que dizer com a nova/velha prática de executar sumariamente, a pretexto da guerra contra o terrorismo? Esta prática nojenta que teve o seu auge quando da vingança contra o propalado ataque a Pearl Harbour, que muitos estudiosos alegam ser muito duvidosa, os americanos usaram a táctica de abater um avião algures perto do espaço aéreo das Filipinas, onde viajava um Almirante japonês que foi assim executado, alem das centenas de inocentes que viajavam no mesmo avião sem saberem de nada. A mesma táctica usada na provável execução de Bin Laden, podemos duvidar se era ele pois o cadáver não foi identificado por nenhuma entidade independente, foi embrulhado em gazes e atirado ao mar. Agora fizeram o mesmo a um possível terrorista nascido nos USA,
    Realmente o Mundo está perigoso e com estes cow boys á solta, armados em bonzinhos, matam a torto e a direito sem dar contas a ninguém. Onde param os direitos humanos? Onde pára o Tribunal Internacional de Haya, que pretenderam pela calada da noite o Presidente da Sérvia e o mataram. alegando que foi doença ou suicidio. Realmente tanto faz ser preto como branco ou poder as armas fala muito alto.


    • […] abater um avião algures perto do espaço aéreo das Filipinas, onde viajava um Almirante japonês que foi assim executado, alem das centenas de inocentes que viajavam no mesmo avião sem saberem de nada.

      É pernicioso misturar as coisas o que afirma é simplesmente falso. A Operação Vingança onde pereceu o Almirante Isoroku Yamamoto foi uma operação perfeitamente legítima em tempo de guerra. Não morreram centenas de pessoas nessa operação porque, por um lado não havia aviões que transportassem centenas de pessoas na altura e por outro lado foram abatidos apenas dois bombardeiros japoneses (tinham uma tripulação de apenas 7 homens cada) – não se consideram inocentes porque todos os envolvidos eram militares.

      O Slobodan Milošević morreu de ataque cardíaco, e não chegou a ser condenado.

      Quanto à política externa dos EUA, até concordo consigo. Note, no entanto, que os EUA não estão a fazer nada que não tivesse já sido feito antes pelos impérios que o precederam. Para um exemplo real de má conduta dos EUA, veja: incidente do Golfo de Tonkin.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.