Que Bem Prega Frei Tomás!…

A jovem democracia portuguesa é uma moça porreira (pá) e o povo lá vai tolerando que um governante, tendo habitação própria em Lisboa (o local de trabalho), receba do Estado um subsídio de habitação de 1400 euros por mês.  É legal, claro, está na lei.

Miguel Macedo tem casa própria declarada em Lisboa. Por isso, e como compete a gente com algum pudor, vai abdicar do subsídio de alojamento. O bracarense subiu 10 pontos na minha consideração.

ps: terá concluído Miguel Macedo que é pouco ético pagar a alguém 1400 euros do dinheiro do povo para habitar a sua própria casa?…

Comments


  1. Segundo a notícia vai abdicar porque causou polémica! É pouco para ser virtude…

  2. mário martins says:

    Vai repor o que já recebeu?
    Só lhe pesa a polémica?

    É muito tarde.

    Há muitas coisas ilegais na lei.

    Um abraço,
    mário


  3. Ainda falta o outro…
    Parece-me bem que tome esta atitude, no entanto se não abríssemos as goelas de indignação ele continuaria, caladinho, a meter o dinheiro ao bolso. E isso diz bem da ética de quem nos governa. Roubar é sempre vergonha, não só quando nos apanham.


  4. Assunção Esteves, a actual Presidente da Assembleia da República reformou-se ao 42 anos, com a pensão mensal (14 vezes ano) de € 2.315,51. Fica o Diário da República de 30/07/1998 para vossa informação. Para que saibam ainda, a Senhora Assunção Esteves recebe ainda de vencimento mensal (14 vezes anos) € 5.799,05 e de ajudas de custas mensal (14 vezes ano) € 2.370,07. Aufere, portanto, a quantia anual de € 146.784,82. Ou seja, recebe do erário público, a remuneração média mensal de € 12.232,07 (Doze mil, duzentos e trinta e dois euros, sete cêntimos). Relembramos que também tem direito a uma viatura oficial de BMW a tempo inteiro!” PARTILHEM!


      • Os DRs estão todos disponíveis no site do Diário da República Electrónico dre.pt;
      • Quem faz acusações tão graves, o mínimo que tem a fazer, se quiser ser tomado a sério, é documentar as afirmações que faz.

  5. Como teria sem a polémica?