Greves


Confesso que nunca fui simpatizante de greves. Nunca aceitei muito bem o poder negocial que se funda na capacidade de causar prejuízos. Nunca compreendi como podem os sindicatos vangloriarem-se de uma qualquer greve ter sido uma vitória quando esse triunfo se mede pela proporção do dano causado. E pior, não compreendo e não aceito quando esse dano é causado directamente à população em geral. Neste tipo de greves quem sofre não é o Conselho de Administração ou a Entidade Patronal que se quer antagonizar, mas o Povo.

Mais incompreensível é o facto de alguns objectivos que se pretendem alcançar com as greves serem, no mínimo, ilegítimos. Neste caso da CP, tentar através de uma acção de força sindical alterar o resultado de processos disciplinares que são pendências que, obviamente, devem ser decididas em sede disciplinar e eventualmente em sede judicial, constitui uma pressão inadmissível. A lei proíbe, manifestamente, qualquer tipo de coacção sobre quem tem o poder de julgar.

Nesta altura do campeonato em que todos devemos estar preocupados com o aumento da produtividade nacional, esta greve da CP é como ter no barco um “gajo” a remar para trás, de propósito e todo contente.

Ora uma greve que é feita durante toda a quadra natalícia e que impede as pessoas de viajarem de comboio e em muitos, mas mesmo muitos, casos vai impossibilitar aquela que é, por excelência, a oportunidade anual de estar com toda a Família, é asqueroso.

O meu primeiro desejo para 2012 é que depois de se ter vendido parte da EDP aos chineses, se venda a CP à Coreia do Norte (por mim até pode ser dada)!

Comments

  1. Muito bem!

  2. Concordo em absoluto com o que foi aqui escrito. Faltou dizer que o vencimento dos maquinistas é pago, em dia de greve, pelo SMAQ.

    • joão says:

      Ze To, não seja parvo e diga que esse dinheiro é descontado pelos próprios máquinistas.

      • António Coelho says:

        Não está a ser parvo, nem o insulto é argumento, a não ser dos que não têm razão! O que o Ze To disse é a pura verdade! Não custa fazer greve e ficar em casa com a família quando nos pagam o dia por inteiro. É a completa disvirtuação do espírito da greve.

      • Qualquer pessoa que ponha à tona a realidade, vocês deitam abaixo. Infelizes! Bom natal caro sindicalizado e funcionário da CP. Desejo-lhe tudo de bom, em breve no sector privado. Sim, não sou um gajo mau. Quero-o no privado e não no desemprego
        Abraço e bom Natal!

  3. Sem defender os maquinistas e esta greve, o que é preciso é ganhar cada vez menos para que outros ganhem cada vez mais, e quando alguém se queixar fazer tudo para não serem ouvidos.
    Não percebo porque há pessoas que não aprendem nada com a história. Infelizmente, vão ser obrigados a aprender tudo sozinhos quando começar toda a agente a passar fome outra vez. Pode ser que dessa vez não deixem as guilhotinas em casa.

    • Sandro Miguel says:

      Nao deve estar bom da cabeça.

    • António Coelho says:

      Quando os maquinistas que são o que nos velhos manuais do marxismo se chamava de “aristocracia operária” e sempre identificados como lacaios do capita, passarem fome, mais de meio país já estará a passar fome há muito! Haja vergonha!!!

      • Tiro ao Alvo says:

        Passaram fome? Os maquinistas? Mais do que os outros?
        Nunca tinha ouvido tal. O que sempre ouvi dizer é que os maquinistas da CP eram uns privilegiados. Isso sim.
        Não me lixes. Vai meter essa a outro…

      • Os maquinistas, não acredito; os ex-maquinistas acredito.

    • Caro sindicalizado, ninguém quer que os maquinistas ganhem cada vez menos ou tenham menos direitos, por mim podem continuar a ter um vencimento equiparado ao de um economista no privado.O economista é que está mal, não vocês. O que não se admite são as greves, só isso

  4. eyelash says:

    – mãe, não vou poder passar este Natal contigo e com o pai, aí na terra… os 400€ mal têm dado para o leite e para a sopa das crianças.
    ACORDA POVO!

  5. Joaquim Amado Lopes says:

    Subscrevo totalmente.
    Estes maquinistas que fazem greve merecem o epíteto que passageiros de um comboio que foi impedido de circular no dia da greve “geral” usaram contra a meia dúzia que ocupou a linha: palhaços.

  6. kalidas says:

    Dadas à Coreia do Norte, é o que merecem certas élites que o são, apenas porque sempre viveram do Estado e/ou dele dependem.

    Há muitas pseudo-elítes a começar pelo sr do Poço de Boliqeime, os capangas do Continente e Pingo Doce, e os da seita dos Hipers.
    Estou sentado esperando não sei há quantos anos por saber, preto no branco, o nome das élites que na defesa dos seus “interesses instalados”, não permitem as reformas necessárias para tornar a nossa economia competitiva.

  7. J.Pinto says:

    Concordo. Muito bom.

  8. Então devia lamentar principalmente todos os prejuizos que nos trouxeram até aqui, nomeadamente a corrupção, o favorecimento, a destruição do sector produtivo, a falta de rumo do país durante este tempo todo, o enriquecimento de poucos em detrimento da maioria, a pobreza politica, o condicionalismo ao empreendorismo, o estado da justiça, and so on and so on, então, só então, pode lamentar o prejuizo causado por quem no campo de batalha do trabalho responde com o não trabalho.

    Abraço

  9. “Acorda Povo!”
    País sobreendividado, funcionários precários que ganham 200 ou 300€ e depois temos estes senhores que defendem os pobrezinhos (os sindicalizados naturalmente) por causa de regalias e salários chorudos. Vergonha é o que sinto. O comunismo é tão bom, que nenhum comunista cria riqueza para o País ou dá emprego e ainda tentam foder o que existe. Sindicatos e comunas é que é…abaixo o capitalismo. Bora criar um País de direitos sem obrigações, que a curto prazo vão-se lixar e bem. Só estão a cavar a vossa sepultura. Na Lisnave os sindicatos eram a salvação…onde estão os funcionários? Pois, foi tudo para o desemprego porque os sindicatozecos não quiseram negociar e baixar regalias. Antes um funcionário na miséria e sem emprego, que empregado e a ganhar apenas 2 ou 3 SMN.
    Tristes, tristes, tristes e os gajos que pagam as quotas ainda lhes beijam os pés. Isto vai acabar muito mal….!!

    • joão says:

      JD , você é de uma ignorancia assustadora, Você é tão estúpido que não vê que muitos dos direitos que tem hoje deve aos sindicatos.Você é tão ignorante que não conhece o que se passou na Lisnave , mas mesmo assim atira asneiras para o ar. Você é tão burro que ficará contente quando não houver sindicatos e os seus amigos o obrigarem atrabalhar 20 horas e a pagarem-lhe 250€. ABRE OS OLHOS CEGO

      • E tu deixa de estar na net e vai trabalhar…há comboios para assegurar, não te aproveites da greve jovem!
        Se os sindicatos e os comunas que andam na papinha são tão bons, porque não criam emprego e dão as condições espectaculares que exigem ao Estado? Porque é que os comunas acham que a culpa é da Troika? Será que não lhes ensinaram a pagar o que pedem emprestado? Será que sempre viveram a chular tudo e todos e a viver com o dinheiro dos outros? Deve ser isso.
        Direitos? Direitos o caralho, direitos para uma cambada de gajos que tiveram CUNHAS, tios, primos e amigos nas empresas do Estado e os enfiaram lá a trabalhar? Direitos era todos termos a merda merda, não é uma cambada deles terem usado o tachinho para subirem na vida, trabalharem menos do que devem e ganhar mais que a média nacional. As empresas públicas tem de pagar e dar o que estiver em vigor no País, não é dar tudo a uns pago com o dinheiro dos contribuintes, e a quem trabalha e ganha mal, foderem-nos.
        Venham falar em direitos…acordem para a vida. Só estão a cavar a vossa sepultura, o Estado não vai mais pagar tachinhos do sector empresarial, quadros desajustados e com regalias superiores à do privado. Ou privatiza rapidamente ou a CP pura e simplesmente vai ser extinta. Compensa mais ao Estado neste momento fechar TUDO e concessionar os serviços alternativos para todo o País. Pensa nisso!!

        • Direitos era todos termos a merda merda
          = Direitos era todos termos a MESMA merda

        • joão says:

          Realmente é assustador o seu nivel de ignorância. Mas estes governos querem é gente como você, assim ignorante e carneirinhos. aconselho-o a pesquisar no Youtube por “perguntas do deputado Bruno Dias ao Ministro da Economia” acerca de transportes. E se tiver dificuldade em perceber peça a alguém que lhe explique.

          • Claro que sim. Ponha lá o seu partido e ofereça-lhes uma calculadora, porque só sabem penar por direitos e não sabem fazer contas. Não sabem que se derem 10€, vão tem de arranjar alguém que contribua com esses 10€. Os que lá estão, os que estiveram, e todos os que querem ir são todos uma merda, por alguma razão são políticos ou gajos ligados à máquina partidária, ou acha que os sindicatos são o paraíso?
            Acha que os espectaculares ideais do PCP (que eu admito que são óptimos para uma vida em sociedade) são exequíveis? Arranje lá uma folhinha onde demonstre os custos (atendendo a que todos teriam de ter os direitos defendidos pelo PCP) e as receitas e veja se é possível. Simples, não?
            Acha que a solução para a crise é foder a vida a milhares de Portugueses que andam de comboio? Esses vão para o automóvel facilmente e não voltam. E depois? Acham que vão continuar a trabalhar para a CP, sem haver clientes? Eu bem sei que vocês pensam apenas no vosso umbigo e estão a borrar-se para a CP, mas lembrem-se que o vosso cargo existe enquanto existe clientes e a fazer isto, afastam…e puff. ADEUS emprego, e vão para o desemprego ou para precários. Vocês estão a cavar a vossa sepultura, garanto. Abram os olhos senhores muito bem informados ou oportunistas, conforme o ponto de vista

      • Beirão says:

        Imaginas, porventura, que alguém ainda vai na tua cassete comuna ransosa e bronca? Achas que ainda estamos no PREC? Pira-te, para a tua querida Correia do Norte, que lá, de fato de macaco até ao pescoso e a trabalhares quause à borla o dobro das horas daqui, é que tu estarás nas tuas rese quintas, oh comuna!

      • Mas você é que é o cegueta aqui. Então ainda não viu que foram as exigencias dos sidicatos que nos levaram a esta situação?

    • 100% de acordo

  10. Sandro Miguel says:

    Está Brilhante!!!

    • joão says:

      Ó Sandro Miguel que é que esta brilhante?O comentário de alguém(Carlos Osório) que não sabe do que fala e diz uma serie de asneiras. O que faria o Burro do Sandro se tivesse assina um acordo com o seu patrão, provavelmente não terá, e este ignorasse esse acordo assinado? O que faria? com certeza como é burro, ainda agradecia ao patrão. Santa Ignorancia

      • Acordo de quê? De dar regalias e tachos pago com os gajos que ganham mal no privado e pagam tudo e mais alguma coisa? Deve ser isso…o que vocês defendem é roubo e espoliação do privado. Igualdade? Deve ser, deve

        • joão says:

          JD você teima na estupidez . Não percebo o seu comentário , agora fala em roubar e espoliar o privado , você deve estar enganado quem o quer por atrabalhar mais meia hora ter menos férias e ganhar menos é os seus amigos deste governo. Mas você não entende, confunde tudo. Acontecia o mesmo ao meu filho qundo tinha 6 anos.

          • Crise? Défice? Problemas sociais? Para vocês nada existe…o vosso umbigo é grande demais, não é? Bem me parecia. Continuem a pensar só em vocês que logo que o povo possa, cá estará para vos condenar. Depois venham pedir moedinhas para a rua Augusta para comprar um pãozinho porque enquanto ganharam bem fizeram tudo para entalar o cliente…aquele que é a razão de vocês terem emprego.
            Adeus meu caro, até breve e boa greve, bom natal e qualquer outra coisa que queiram fazer! O meu carro também manda cumprimentos, que assim vai andar mais…a Galp vai ganhar mais e a Brisa idem! Vocês só ajudam esses privados a ganhar dinheiro, são os maiores! AHAHA

  11. José António Albuquerque e Sousa says:

    O que esta gente da CP ainda não percebeu é que estará no desemprego dentro de um ano;…a nao ser que os CHINESES comprem e os ponham a TRABALHAR (produzir) a 500 eur…conheço muitos de 24 a 30 anos que depressa aprenderão a manobrar o comboio…

    • joão says:

      Sim eu não sou um José António qualquersou Albuquerque e Sousa , apesar de não saber do que falo.

  12. Carlos II says:

    Este João, que anda por aqui e por outros lados, fazendo disto modo de vida, é um parasita,
    Mais: é um parasita malcriado.
    Vai trabalhar malandro!

    • joão says:

      Chegou mais um educado que a unica coisa que acrescenta ao debate é chamar os outros de parasitas e não trabalharem. Já agora ó Carlos II porque é que ás 15:29 está na NET e não está a trabalhar? Já sei trabalha por turnos, Depois ficam muito ofendidos quando alguém os confronta com a sua burrice.

  13. Spademan says:

    Independentemente das animosidades que esta greve possa gerar entre os intervenientes, alguem me explica em que é que ela vai resolver o problema ?
    As greves só tem razao de ser em empresas que, por força da acção grevista, acabem por ter os seus “lucros” penalizados.
    Ora numa empresa que acumula prejuizos quem fica prejudicado a nao ser o proprio trabalhador ?
    Onde estarão os instigadores da greve daqui a 1 ano quando, por força da acumulação dos prejuizos que estas atitudes acarretam, os trabalhadores sindicalizados ( que contribuem com parte dos seus salarios, ou seja, sai-lhes do corpo) se virem confrontados com o desemprego eminente ?
    Dificil não é deitar abaixo, isso é fácil, cruzar os braços não traz solução. Nos tempos de vacas gordas acho até muito bem que se lute por melhores salários, agora em tempo de vacas anorécticas ? Bom senso amigos, é tudo o que se pede.
    Agora que muita gente vai ficar fula da vida por nao poder ir á terrinha, isso vai.
    Mas aposto que nao vao culpar o governo desta vez…

    • Eu vou à terrinha, vou de carro de agora em diante e quero que a CP, os seus serviços e os seus funcionários se lixem.
      Para quem trabalha na CP, não interessa nada se transportam pessoas ou ar. Quando fechar tudo e eles forem pagos para beber umas jolas no Cais do Sodré, a malta fica feliz e deve reivindicar qualquer outra coisa. Pode ser que nessa altura fechem a empresa porque não existe razão de ser.

  14. antónio says:

    AO deputado carlos amorim esta greve não deve ter feito grande estorvo para regressar à terrinha; depois do governo sustentar o fim de pontes , tolerâncias de ponto e feriados o parlamento tem 9 dias de férias.

    http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/deputados-de-ferias-ate-3-de-janeiro

    • Quem tem o cu a ver com as calças? Quem não trabalha nas empresas do sector empresarial do Estado é deputado, é isso? Deixe esses gajos em paz, nem merece que se fale neles..

    • António, António…
      Quando era só professor ate tinha mais ferias do que isso. Agora estou em casa com a família – contudo na segunda-feira rumo para o exílio em Lisboa onde ficarei a trabalhar toda a semana.

      Agradeco que fale do que sabe e de quem conhece.

      CAA

      • antónio says:

        fica-lhe bem esse sacrifício pela causa pública, pior ainda quando o exílio é temperado a ajudas de custo.

        haja coerência; a assembleia deu um mau exemplo.

      • António Fernando Nabais says:

        É sempre bom passar por uma caixa de comentários em que se anseia pela privatização das empresas para se acabar com o direito à greve e, no fundo, com qualquer direito dos trabalhadores, actividade em que participa tão gostosamente Carlos Abreu Amorim, o homem que sabe aquilo que Passos Coelho quis dizer quando aconselhou os professores a emigrar. De resto, continua-se a usar a técnica que já vem de Sócrates: diabolizar classes profissionais, para que a turba ignara se revolte e para que as greves sejam vistas sempre como um exagero, como uma falta de respeito. Os monstruosos erros de gestão das várias administrações da CP são ignorados e a culpa só pode ser dos maquinistas.
        Pelo caminho, insidiosamente, Carlos Abreu Amorim ainda consegue deixar uma farpa nos professores. Também sou professor e, a partir de segunda-feira, estarei a trabalhar em casa, que é outro dos meus locais de trabalho. Tenho uma pena do seu exílio que nem imagina!
        Procuro resistir a usar linguagem que parece retirada de panfletos, mas a verdade é que a direita perdeu toda a vergonha de mostrar o desejo mal contido de regressar ao dia 24 de Abril. Por falar em direita e em esquerda, gostava que me explicassem a diferença entre quem está no poder na Coreia do Norte e quem tudo faz para acabar com os direitos dos trabalhadores. Sabem por que razão não conseguem explicar? Pois, é isso mesmo.

        • Tiro ao Alvo says:

          Você não tem pena, você tem inveja. Mais nada.

          • António Fernando Nabais says:

            Ah, Carlos, você topa-me sempre, não consigo esconder-lhe nada! A ver se, da próxima, disfarço melhor!

        • Os teus comentarios tresandam a comunsmo, seu palhaço

          • António Fernando Nabais says:

            Ó Dede, você está desorientado: isto é uma caixa de comentários, não é uma claque de futebol. Respire fundo, beba muito chá e ligue o GPS, para não se perder outra vez.

  15. Beirão says:

    Cheios de privilégios e mordomias, até barbeiro à borla estes caramelos da falida CP têm, e, claro, viagens em todos os combóios para eles próprios, as mulheres, os filhos, os irmãos, os cunhados e por aí fora, em primeira classe, claro, estes caramelos dos maquinistas levam ao fim do mês para casa um vencimento superior ao do presidente da República. Um escândalo. Um escândalo que Marques Mendes já apresentou na TV (TVI), mostrando documentação extraída do Tribunal de Contas.
    A ideia é boa. Venda-se ou, melhor, dê-se este ‘poço sem fundo de dívidas da CP’ aos chineses, que eles depois se encarregarão de meter nos eixos estes comunas que estão a afundar o país…
    Por mim, sugiro que se enviem para a Coreia do Norte os maquinistas e restante pessoal da CP, e, já agora, todo o maralhal da Rodoviária e de outras empresas públicas afins, com milhões e milhões de euros de prejuízo, Irão assistir ao funeral do Querido Líder (deles) e, depois, para saberem com quantos paus se faz uma canoa, sejam obrigados a ficar por lá, por muitos e bons anos. Amen!,

    • antónio says:

      o sr não sabe o que diz, nem merece resposta

    • gomes says:

      Sr. Beirão. Você parece aqueles papagaios que repetem o que ouvem sem saber o que dizem, emitem sons percebe. podiam ser Urros que era igual.
      Procure no Youtube por “perguntas do deputado Bruno Dias ao ministro da economia” e vai perceber as tais mordomias que você papagueia são mentiras para a carneirada de beirões fazerem o que você faz. Infelizmente tenho duvida que consiga entender.

  16. Pedro says:

    Quem escreve este texto mostra-se tão preocupado com os efeitos da greve na população durante a quadra natalícia, mas depois termina dizendo que por ele podem vender a CP a uma País como a Coreia do Norte, uma ditadura. Haja coerência…

    • Ditadura? O que os sindicatos fazem é uma democracia?
      Os empregos na CP existem, enquanto existirem clientes para transportes. As massivas greves, em alturas oportunas afastam os clientes e isso culmina em encerramentos. Olhe à sua volta!
      Os encerramentos tem de gerar despedimento, porque há pessoal que vai ficar excedentário, logo….os sindicatos criam desemprego, atiram os clientes para o automóvel e transportadores privados, e sentem-se no direito de brincar com a vida de quem recorre a estas empresas para ser transportado. É isto para si uma democracia?

  17. Beirão says:

    A coerência está no facto de que, sendo impossível, neste país, conseguir meter nos eixos os sindicatos e toda essa nefasta esquerdalhada que levaram o país à falência, entregando a gerência da ‘coisa’ aos comunas ditadores da China ou da Coreiia do Norte, eles logo se encarregariam de pôr os comunas de cá, esses privilegiados dos maquinistas, por exemplo, na ordem. É preciso fazer um desenho?

    • gomes says:

      Este Beirão deve ser dos que vão chorar e por flores na campa do seu conterrâneo Salazar. Realmente o 25 de Abril ficou a meio

      • É pena não termos um Salazar. Aí não havia espaço para os parasitas dos sindicatos e seus discípulos e as pessoas trabalhavam para servir alguma finalidade. No privado é assim que acontece, no público acham que o trabalho é um direito adquirido e ter tudo e mais alguma coisa ,cagando nos clientes. Sem clientes, o vosso emprego não existe, por isso atinem enquanto tem tempo.

  18. hajapachorra says:

    Poi eu concordo com a greve, com todas as greves dos pobres dos maquinistas, esses explorados. Que façam greve até que a CP tenha, tenha, mesmo de ser privatizada. Aí acaba-se-lhes a farronca. Que haja uma porra de governo com metade dos tomates de Margaret Thatcher para pôr na ordem estes abusadores do povo. Por que raio hão-de ganhar mais e ter mais benefícios do que, por exemplo, os professores universitários? Apenas porque podem parar o país? Pois já é tempo de alguém os parar e de vez. Os combiois no Reino Unido são de companhias privadas e não são piores do que as gerigonças governadas por morcões revolucionários das mariscadas. Não merecem qualquer solidariedade esses sanguessugas do contribuinte.

  19. Um post de quem nunca teve de recorrer a uma greve para fazer valer um direito!
    Asqueroso e a remar para trás é o que se pode dizer da escrita e do pensamento do autor, conivente com as políticas que faliram o país e a pedir por mais.
    Tudo é inevitável, o desmantelamento da rede ferroviária nacional é uma maravilha, o roubo nos salários de quem trabalha um estímulo à competitividade, o trabalho escravo uma dádiva dos céus.
    É ver os comentários e compreender a mesquinha e salazarenta identificação do trabalhador em greve com um comunista, retomando a velha e bolorenta ideia de que trabalhador que luta é um perigoso agente ao serviço de Moscovo.
    E claro, para terminar uma piadola sobre a Coreia do Norte… que não esconde que por cá também existem deuses como o mercado e as suas inevitabilidades, que muitos andam ao serviço da Alemanha e dos seus interesses, que respondem perante o capital e não perante o povo.
    Vergonha era o que deviam ter aqueles que se comportam como eunucos que se limitam a aplaudir a miséria e a pobreza, que gostam de ver a vida dos outros transformada em objecto que se pode dispor a belo prazer desde que sirva para aumentar lucros.

    • Os gajos de algumas empresas do privado conseguem fazer valer um direito através do diálogo. No público faz-se 6 ou 7 dias de greve quando há mais clientes para transportar, porque os clientes são uma merda inconveniente e é porreiro escolher esses dias. A esses que estão a sepultar a CP, que não gera lucros para pagar o seu funcionamento, obrigam a que saia mais dinheiro dos nossos impostos para cobrir. Como contribuinte quero que isso acabe, ou as greves, ou a empresa, é dar a escolher. Os sindicatos querem a toda a força acabar com o transporte ferroviário, e estão a conseguir.

  20. Vitor says:

    As políticas que faliram o país foram executadas por pessoas que toda a gente conhece! Basta ver os níveis de endividamento em que deixaram o pais nos últimos 4-5 anos. Os ignorantes é que vêm para aqui falar em esquerda e direita quando o querido lider socrático esbanjou com a sua teimosia o dinheiro dos pobres, dos remediados, dos ricos e dos outros que nos emprestaram.
    Quanto à greve na CP, é uma vergonha!!!!! É todos os anos a mesma coisa. Há um comentário aí engraçadinho: o que os trabalhadores agora têm deve.-se ao pode reivindicativo dos sindicatos! que ilusão mais torpe. nos inícios dos século XX até poderá ter sido verdade; nos dias de hoje, é uma vergonha o que essas corporações encabeçadas por Carvalho da Silva fazem e reivindicam. Esses senhores deviam ter vergonha do que exigem quando qualquer dia nem dinheiro haveria para pagar salários se essas luminárias algum dia fossem poder! Aliás, basta olhar para o mundo à nossa volta e constatar o que se passa…..ideologias arcaicas, feitas em nome de um marxismo defunto que vingam apenas num país: coreia do note! até na Cuba dos ideias revolucionários já abandonou essa praxis! A poderosa China abriu os olhos há muito e introduziu os “dois sistemas” sob o mesmo regime. Vem esta gente falar em nome da “esquerda” e da democracia quando aquilo que defendem não tem exequibilidade em parte algum!!!???? Estudem primeiro, depois tirem as vossas conclusões..enquanto não é tarde e houver dinheiro da troika para pagar os salários aos maquinistas da CP!!

  21. maria celeste d'oliveira ramos says:

    Mas afinal ninguém se entende, e esta greve que se calhar nem teria grande expressão pois que muitos estão mais do que fartos de greve e os que nem a fazem nem sabem como deslocar-se, parecendo que só provocam uma desordem tão grande que a greve que até já nem está na moda, continua a não resolver nada em favor das queixas dos grevistas. Com ou sem direito odeio greves cada vez mais e se os sindicatos também não pecem saber fazer mais nada a não ser incitar constantemente à greve
    Se a CP só tem ívidas o que duvido, se a REFER está falida, o que duvido, se a ANTRAM está falida o que duvido, se calhar era melhor pensar e fazer melhor e mais eficazmente
    Desde 2008 que de repente o país falui o que me parece mesmo impossível e se calhar se t~em menos lucros é por não terem tantos clientes que se calhar at+e são funcionários p+ublicos que serão a maioria dos activos e que estão sempre lixados e são sempre bode espiatório dos anti FP
    Conservando os seus direitos e ordenados, há por aí muitos que se esquecem dos seus deveres e tal que alguns deles é impedirem os que com os mesmos direitos e deveres queriam ter ido trabalhar mas não foram porque os direitos gritados pelos grevistas se sobrepuzeram, como tantas vezes sucede, aos que nem querem greve e têm que a fazer nem têm direito porque os grevitas os impedem de ter – mas que baralhada – e paralelamente há sempre quem morda tanto nos que ainda acreditam na greve e não exigem dos sindicatos maior rigor e postura, como mordem nos que já não acreditam em greves com este velho figurino. Paralelamente, estes textos terão de vez em quando léxico do pesado, mas nunca tanto como hoje em que só há palavrões da pesadíssima e não consegui aprender nehum novo. O dálogo pró e contra a greve, como a greve, não foi a lado nenhum e como dizia não sei quem que costuma escrever nestas “conversa” , ou o fá-lo em pleno serviço (se calhar na FP e o chefinho saíu mais cêdo – como os funcionários da AR que são como os intocáveis – e não tem esse direito, ou está desempregado e, repete-se, que não é com tanto palavrão que alguém lhe arranlja emprego além de que esta conversa foi mesmo “de homem”, ora essa
    Assim sendo parece que o circuito está mesmo viciado, pelo que proponho que se faça greve do palavrão, passando-se a ser mais informativo e coloquial e sujar menos as palabras, ou finalmente que decida guardá-los para escreva um livro (e ganhará muito dinheiro sem precisar de emprego nem chefe nem patrão nem queixa de cortes salariais) e publique, pois haverá sempre quem goste – o Vilhena também ganhava, e bem, a vida, a escrever porcaria. Não sei se quem assim escreveu trabalha (ou trabalhou) na estiva, ou é, como parece, universitário, embora não consiga detectar se é da Católica ou da Independente – revelando que se o país está a descer de “nível e de rating”, alguns jovens cidadãos acompanham a “onda”. Mas cuidado, porque o nível do mar está a subir depois de ter recuado há uns quantos milhares de anos e estando previsto (programa de hoje da SIC A Terra Submersa 23-24 h) que em menos de um século o nível da água do mar subirá mais ou mesnos 7 metros, embora não seja igual para todos os países, mas não esqueçamos que o país tem o norte à cota do mar, e as falésias do sul ao Tejo estão cheias de fósseis indicando, assim, que o mar pelo menos na Caparica e Algarve já po lá andou tendo a área do país sido mais encolhida e no mundo inteiro haverá a mior migração de populaçºoes do Planeta: Mas o que agora está mais encolhidamente limitado é o léxico sem no entanto se ter, ainda, de recorrer ao brasilês – ah será que também há palavrões em brasilês ?? já por si só o brasilês é um palavrão bastamente ofensivo

  22. jorge fliscorno says:

    CP, uma empresa onde num ano há mais de uma dúzia de greves. Aos defensores destes grevistas, querem fazer o favor de deixar aqui os links para onde possa ler sobre o que está a motivar estas greves? Agradecido desde já.

    • Pergunta complicada, não vai obter resposta apesar de 90% dos que aqui passam serem dos sindicatos ou pessoal empregue nessa empresa. Lamento desiludi-lo.
      E…para estes senhores, clientes é uma coisa incómoda, que suja e reclame. Contribua, deixe de andar de comboio para bem da nação, pode ser que quando não houver ninguém as greves já não tenham expressão e como tal deixem de as fazer.

  23. Vim aqui via Blasfémias e por isso escusam de responder que não vou aqui voltar.
    Primeiro o problema da CP é 1200 pessoas conseguirem paralisar uma empresa de dezenas de milhares.
    Segundo é fazerem greve pelo motivo que já foi explicado.
    E terceiro é o Governo não considerar este acto como de calamidade pública e não ter decretado a requisição civil como com tomates como em Espanha e nos USA se fez.
    E quarto espero que pelo menos os processos disciplinares acabam por mandar para o olho da rua quem não cumpriu os serviços mínimos.
    Não se assustem formar maquinistas demora um minuto não é como pilotar um A380.

    • Formar um maquinista é moroso, verdade, mas…já há muitos maquinistas sem ser da CP, não pensam que vocês são um exclusivo do País. Pela minha parte, todas as regalias e vencimentos que tem não são demais, acerto perfeitamente que ganhem o que ganham ou mais ainda, o que não aceito é esta manipulação bacoca por parte dos sindicatos. Se os processos disciplinares são ilegais é em tribunal que tem chatear a CP e não os clientes, porque esses vão embora e a CP claro está vai fechar linhas e mandar centenas de trabalhadores para o desemprego. Pensem que só da CP, REFER e EMEF serão 1000 em 2013…1000 é uma brutalidade, não gostava de estar em nenhuma dessas 3 empresas…mas a decisão é vossa ou dos sindicatos que vos manipulam, decidam

  24. antónio em 23/12/2011 ás 16:15 disse:
    AO deputado carlos amorim esta greve não deve ter feito grande estorvo para regressar à terrinha; depois do governo sustentar o fim de pontes , tolerâncias de ponto e feriados o parlamento tem 9 dias de férias.

    http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/deputados-de-ferias-ate-3-de-janeiro

    ———————————–

    se não lhes dessem esses 9 dias de férias os deputados fariam greve.

    • Voce mistura tudo. Não iluda os probemas mudando o tema para os outros. São problemas distintos, não se pode resolver as coisas dizendo “pois isso é assim mas fulano também faz e acontece”

  25. Conduzir um comboio é carregar num botão para aquilo andar para frente e noutro botão para parar. Não me parece que seja necessário contratar alguém com a formação de um piloto de avião para conduzir um combóio. Não devem ser muito díficil substituir os que forem despedidos pelos processos disciplinares que provocaram esta greve.

    • gomes says:

      A lista de ignorantes aumenta. Aqui temos mais um.

      • Bom, conduzir um comboio é muitíssimo mais simples que pilotar um avião, mas também não exageremos. Um motorista de autocarro tem uma profissão de maior risco e desgaste e não se lhe dá importância alguma.
        O que basicamente distingue um maquinista de um motorista é toda a regulamentação que tem de saber na “ponta da língua”, bem como desenrascarem-se minimamente em mecânica, mas neste ponto os motoristas também tem de saber, e nas aulas pouco se aprende. Fosse o resto das profissões tão bem formadas como a de maquinista e bem que a coisa andaria, mas daí até ser uma coisa ultra complexa, não é…ainda assim merecem ser valorizados por tal profissão

    • Por um comboio a andar a e fazê-lo parar é pouco mais complicado do que diz. Mas isso nada tem a ver com as razões para a greve. Nem que fosse necessário saber ciencia astronautica haveria justificação.

  26. Realista says:

    Os direiros de uns em terem regalias representam a obrigação de outros em pagar mais impostos para que essas regalias subsistam.
    Só um egoista ou um interesseiro é que não vê isso.

  27. logo à primeira que postei neste blog fui censurado ( o meu post desapareceu) só porque disse que se não dessem os 9 dias de férias aos deputados ele fariam greve.
    Isto é o espelho do que vai neste país

  28. antónio says:

    é impressionante a quantidade de experts tudólogos que sobrevoam este post. Sabem tudo : razões, vencimentos, supostas regalias, soluções, tempos de formação, complexidade técnica da função, tudo, tudo, tudo… uns verdadeiros “nunos rogeiros” da ferrovia.
    Depois, saltam de posts em post, “carimbam” aqui um sobre ferrovia, depois cagam uma posta de pescada noutro sobre meteorologia, depois arrotam noutro sobre energias renováveis, depois noutro sobre física quântica, depois noutro sobre sexologia dos gafanhotos, tudo sabem tudo julgam saber.

    andam-se a perder. uma pena.

    • Bem vindo, sò cá faltava o chico esperto que consegue catalogar todos e resumir tudo em poucas linhas.

Trackbacks

  1. […] Garcez Osório, no Aventar. Share this:FacebookTwitterEmailDiggGostar disto:GostoBe the first to like this post. Esta […]

  2. […] por António Fernando Nabais Tal como o meu colega aventador Carlos Garcês Osório, nunca fui simpatizante de greves, embora as minhas razões sejam diferentes. A greve é, evidentemente, um acto de violência, uma […]

  3. […] de preferência antes de chegar a pensar em fazer greve, porque isso já é, no fundo, uma heresia, um ataque à infalibilidade do governo e um desrespeito pelos nossos proprietários que só nos quer…. E se o caminho for o empobrecimento de cada um de nós, há que aceitar, porque ínvios são os […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s