Dos Piquetes em dia de greve

Os Piquetes são a forma mais cobarde de coacção à greve. É uma prática anti democrática que viola um principio básico da Democracia: A Liberdade. Para fazer greve, para não fazer, para ir trabalhar, para ficar em casa. Para concordar com a greve, para a repudiar. Aparentemente, os que montam piequtes apoiam a Liberdade desde que isto implique que todos concordem com eles.

Comments


  1. Exactamente! Mas aos piquetes ninguém chama repressão! Engraçado não é?!

  2. J.V. says:

    A Major diz que os piquetes não respeitam a liberdade porque quem monta os piquetes não respeita a liberdade. Na cadeira de filosofia ensinam-nos que isto é uma falácia, um argumento inconsistente. Usando o mesmo argumento, provo exactamente o contrário: os piquetes promovem a liberdade porque quem os monta respeita a liberdade. E fica cada um na sua.

    Para resolver a situação, vejamos o que é um piquete
    http://www.ussetubal.pt/Legislacao/greve.htm
    “Piquete de greve: Podem ser organizados pela associação sindical ou pela comissão e greve para persuadir por ***meios pacíficos*** os trabalhadores a aderirem à greve.”
    Os piquetes estão lá para encorajar os trabalhadores a aderirem à greve. Mas a decisão final é do trabalhador, se quer mesmo entrar, então tem a polícia como último recurso.

  3. J.V. says:
  4. jorge fliscorno says:

    Encorajar bloqueando acessos e usando violência. Há cada eufemismo.


  5. POIS QUERIDAS, OS GREVISTA SÃO OS RESPONSÁVEIS PELO ESTADO DO PAÍS E PELA REPRESSÃO EXERCIDA SOBRE O POVO. IDE DORMIR .

  6. Isabel G says:

    Caro J.V., persuadir? Persuadir? Mas por que carga de água é que as pessoas que sabem pensar hão-de necessitar de ser persuadidas? Talvez os imbecis precisem de ser persuadidos, e mesmo neste caso ponho sérias dúvidas, já que esses nem disso precisam: são por natureza seguidores do encarneiramento colectivo!

  7. patriotaeliberal says:

    Não me importo de ser abordado por um piquete de greve porque sou uma pessoa muito sociável e conversadora e aflige-me este estado de desânimo e de solidão imposta. Por isso não desgosto dos piquetes de greve, especialmente se quem me abordar for alguém bem falante, simpático, e que me olhe olhos nos olhos, enquanto me explica a situação com uma voz calma e sensual.

    Alguém assim como o Clooney junto à embaixada do Sudão, ou como a Angelina Jolie em qualquer parte.

    Creio que a chamada para a “luta” tem de ser também estética, artística e sensual.

  8. patriotaeliberal says:

    #4,

    Caro amigo jorge,

    Lembrei-me da anedota velhinha da madre superiora que, vendo o convento cercado pelos beligerantes e tendo ouvido o capitão dizer para pouparem as freiras de apalpaços e outras coisas, terá exclamado em terror e pavor: Guerra é guerra. Guerra é guerra!”

    heehehhh…..(a luta pode ser também boa disposição….)

  9. Teresa Santos says:

    JV, pff não se envergonhe mais, é triste vê-lo argumentar dessa maneira; “a Major diz que os piquetes não respeitam a liberdade porque quem monta os piquetes não respeita a liberdade” “na cadeira de filosofia ensinam-nos que isto é uma falácia, um argumento inconsistente”, na cadeira de filosofia deveriam-no previamente ter ensinado a ler e interpretar, pois é algo que claramente não domina apesar de ser douto em “Filosofia”. E não será cobardia tentar através da intimidação e força dos números impedir alguém de trabalhar, ou melhor “persuadir” a não ir trabalhar?

  10. patriotaeliberal says:

    “Dos Piquetes em dia de greve”, diz o título do post.

    Seria muito melhor um título como

    “Dos Piquetes em dia de trabalho” para se alertar para o desemprego que se tenta esconder mas

    que está em níveis nunca alcançados no nosso país, para os milhares e milhares de pessoas

    com salários em atraso, para o trabalho precário, barato e a recibos verdes, para o desemprego,

    para a emigração de jovens e menos jovens qualificados.

  11. J.V. says:

    Teresa Santos: diz-me que tenho um discurso triste, copia-me duas frases e depois diz-me que não tenho capacidade de interpretar textos, sem sequer dizer porquê. Isto não é argumentar, é insultar, e para isso não tenho resposta.

    Mas se só os imbecis são persuádiveis, como diz a Isabel G, então talvez eu seja mesmo um imbecil, de tanto que gosto de debater com outros…


  12. J.V., debater é uma coisa, persuadir é outra totalmente diferente! Debater é um exercício inteligente, persuadir é reprimir, enganar, iludir…

  13. Tiro ao Alvo says:

    Será que o piquete de greve que hoje estava a actuar na estação de S. Bento, no Porto, ao impedir que o comboio das sete arrancasse, carregando nos botões que abrem as portas, estava somente a “persuadir”? Ou será que, como aconteceu àquele de Penafiel, deveriam ser detidos? A liberdade deles deve ou não ser compatível com a nossa liberdade?

  14. Zuruspa says:

    Em Penafiel o piquete estava a tentar impedir que um trabalhador escalado para os serviços mínimos fosse desviado para fazer seguir um comboio que não estava incluído nesses serviços mínimo.

    Pois é, näo fazem os serviços mínimos, mas väo fazer outros. A culpa, claro, é do piquete. Quisling näo diria melhor!

  15. patriotaeliberal says:

    Continuo a insistir nesta ideia:

    “Dos Piquetes em dia de trabalho”

    Em primeiro lugar, porque significa que há trabalho;

    Em segundo lugar, porque dá para se conversar naquelas horas de pausa laboral (em vez de se estar no faicebuk);

    Em terceiro lugar, porque se pode encontar a nossa alma gémea.

  16. patriotaeliberal says:
  17. patriotaeliberal says:

    Membro de um piquete de greve em Lisboa, hoje de manhã:

    http://farm2.staticflickr.com/1207/1324736461_57adc33177.jpg

  18. Pisca says:

    As Donzelas escamadas que andam por aqui porque é que não se dedicam ao crochet ? É mais fácil e sempre evitam o risco de levar com um pano encharcado nas ventas, para anormais destas até o pano é mal empregado

    Entendido ? Está feito o diálogo


  19. Ora sim senhor, caro Sr. Pisca! Acha o Sr. Pisca que é com comentários broncos e rudes que a coisa vai mudar… um dia há-de mudar sim, mas só quando os Cro Magnons como V. Exa. forem promovidos a Homo Sapiens!

  20. Ivo da Silva says:

    E a criação dos ” Serviços Minimos ” também não é antidemocrático ? É a forma mais vil que o Governo e o Patronato têm para impedir o único direito que o trabalhador tem de dizer ” Não ” e ” Basta “. Os Serviços Minimos ” foram criados para situações de ” Vida ou Morte “, que é o caso dos Hospitais e só. Não é esta bandalheira que criaram para impedir a greve, um direito consagrado na Costituição. Percebo que esta situação lhe custe, mas …

  21. Pisca says:

    Belinha bronco e rude é a forma como divagando sob um ar de intelectualoide da trêta tem andado por aqui a ofender quem luta e dá o corpo por causa de todos, isto para sí é demais já sei, linguagem simples que não está ao alcance dessa iluminada cabecinha, olha “Quida” vá ver o Tony Carreira e ter orgasmos a ouvir o seu Coelhinho

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.