Nas mãos de Deus

Pensei que hoje não fosse sair a sua crónica por razões óbvias. Mas Miguel Esteves Cardoso escreveu sim, depois de um dia de cão, talvez o mais longo das suas vidas: o dia em que Maria João foi operada a um tumor que tinha alojado no cérebro.

Ontem, MEC colocava a sua Maria João nas mãos dos médicos e cirurgiões. Entregava-lhes inteiramente a sua mulher, confiando cegamente, «que remédio».

Mas hoje, MEC confia-a a Deus, escrevendo-lhe uma carta: ” Ajuda a Maria João, se puderes. Faz o que só um Deus pode fazer”.

Quando os médicos já fizeram tudo ao seu alcance, aos humanos só resta pedir a Deus que faça o resto.

No final das contas, de uma forma ou de outra, mais cedo ou mais tarde, formal ou informalmente, de maneira mais educada ou sem rodeios e sem papas na língua ao jeito de MEC, quase todos nos viramos para Ele.

Afinal, somos humanos, insignificantes, temos medo de morte de perder os que amamos.

Comments

  1. Ricardo Santos Pinto says:

    Acredito que assim seja, Céu, embora eu não seja lá muito dessas coisas. Mas acho que Deus, se existir, não se mete nessas coisas. Senão, como explicar tudo o que acontece no mundo?

  2. Sara says:

    Este é daqueles casos que até arrepia 1 pessoa. Infelizmente, actualmente em quase todas as família os há. Cada vez temos mais a noção da nossa fragilidade. De repente tudo se desmorona.

  3. Maria says:

    Miguel
    Que Deus o oiça. Pedirei por si e pela sua Maria João.
    Um Abraço e toda a minha solidariedade.
    Maria

  4. Boa tarde Maria do Céu
    Nunca conversei pessoalmente com o Miguel Esteves Cardoso. Porém sempre gostei dos seus comentários. Sou do tempo em que na SIC (salvo erro) todas as semans vinha um Trio de comentadores.Um Tipo Nortista, anafado, mal criado e ainda por cima do FCP.e mais ainda dum outro moço, escriba de profissão mais encostado à esquerda e que levava com os dois. Lembro-me que o Miguel tem um Tique caracteristico: – Cada vez que diz duas palavras deita a lingua de Fora. como os lagartos. Li vários artigos no Independente, que me fazia rir e outras em que me apetecia dar-lhe um tabefe. Li um artigo da visita à Festa do Avante, e Revi o MEC recentemente no Canal Memória..
    Que DEUS `valha à Maria João e lhe valha a ele. E que a mão de Deus Guie a mão dos médicos.Por mim que sou Ateu graças a Deus, desejo que tudo corra bem. Julgo que sei o que ele passa., porque já passei por isso e agora sou viuvo.. Espero ter-me feito entender.
    Um abraço amigo extensivo à familia toda do MEC.

  5. #4
    Como o Artur parece não saber o que significa a palavra ateu, deixo aqui o linque para a definição da dita num dicionário on-line:
    http://www.priberam.pt/DLPO/default.aspx?pal=ateu

  6. maria celeste ramos says:

    This disease is still almost uncurable – and the treatments are terribly violents and I know what I am telling – I lost my mother and younger brothey and I assisted to the highest suffering and slow disapearing – sufering also to me – I lost my family and joy of living and I still am trying to recover from it – too many years looking at my impotence of helping more and better

  7. Marta says:

    É difícil lidar com a dor e sofrimento dos que amamos e com o papel de Deus no meio disto tudo…As dúvidas, a revolta são etapas de um processo extremamente doloroso. No fundo, Deus simboliza uma esperança que nos é tirada pela vida real…Sorte tem quem nunca a perdeu, ou melhor, sorte tem quem amou e foi amado…:)

  8. A finitude combate-se com a esperança de infinito. É na dor e no sofrimento que o homem se reenconta com Deus. Ser Pensado, Ser Mesmo, Ser Divino; Ser Sobrenatural…
    Na Fé a vida ganha um novo horizonte de sentido.
    Amen.

  9. Maquiavel says:

    Ai o Deus o Deus o Deus. Se o tal Deus fosse assim täo bom näo faria a pessoa sofrer.

    Valham-nos os médicos, e que tudo corra pelo melhor.

Trackbacks

  1. […] Mota, no Aventar, May 03, 2012 at […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.