Margarida Rebelo Pinto por Margarida Rebelo Pinto

O [Jorge Luís] Borges, que é o pai da literatura moderna, diz que andamos sempre a escrever o mesmo livro. (…)

Por acaso eu acho que os homens são muito mais de Vénus do que as mulheres pensam.(…)

Comecei pela fábula, porque sou uma fanática da minha casa de férias na Comporta.(…)

Já me aconteceu várias vezes ter de começar a escrever um livro a meio de outro porque as minhas mulheres estavam a ficar demasiado neuróticas.(…)

Sei lá. Eu acho que já fiz literatura pop e agora já não faço. Estou a fazer outra coisa que ainda não sei bem o que é.(…)

Já viu o que fizeram agora há pouco tempo à Isabel Jonet? Uma vergonha.(…)

Em minha casa não se come bife todos os dias. Eu vivia numa casa com jardim e piscina e saí dessa casa porque decidi que tinha que fazer um downsizing do meu lifestyle. E fiz, porque achei que era um disparate ter despesas tão elevadas.(…)

Não consigo deixar de me revoltar quando vejo pessoas com 20 e tal anos que vão para uma manifestação – os chamados “indignados” – e filmam o protesto com telefones mais caros que o meu.(…)

Cada vez que há uma greve geral o país perde não sei quanto dinheiro nesse dia, é um disparate.(…)

Não sei qual é a solução. Mas o estado social, o estado paizinho que toma conta de todos nós já acabou no mundo inteiro.(…)

Gostava mais de ganhar um Pulitzer ou um Booker, que são prémios literários.(…)

Até porque eu sou gémeos, que é o signo da comunicação.(…)

Uma mulher pode gostar de andar bem vestida e de ter casacos e carteiras bonitas e ser, ao mesmo tempo, inteligente.(…)

Aliás, uma coisa que me faz confusão em Portugal é as pessoas andarem cada vez mais andrajosas e mal arranjadas. Não fazerem a barba, não cortarem o cabelo.(…)

O meu marido era mais novo do que eu e depois tive duas ou três relações importantes a seguir à minha separação com pessoas que por acaso eram mais novas. Mas todos eles eram cavalheiros.(…)

Uma boa entrevista de Rosa Ramos

Comments


  1. Ia escrever assim qualquer coisa, eu sei lá…
    ó, mas não vale a pena.

  2. João Esteves says:

    Não sei se é por acaso, mas o link do post anterior, aqui mesmo no fim, parece-me apropriado…

  3. efernandes says:

    Se lhe desse com uma fralda encharcada em merda nas fuças ficava tão satisfeito.

  4. Luísa Mota says:

    Ele há gente que mete nojo!

  5. Luísa Mota says:

    Só para esclarecer, quem mete nojo é a Margarida Rebelo Pinto! Que nojo de cabeça! Que nojo!

  6. maria celeste d'oliveira ramos says:

    Mas o que é que eu hei-de dizer daquela senhora que andava tão caladinha e que bem, mas agora volta e e não a posso madar dar uma volta – é a plagiadora de trabalhos científicos alheios que traduz da Science e publica como seus e foi apanhada nas curc«vas ?’ mesmo fazendo isso este texto é tao deplorável que ofente só de falar de Luis Borges – vá lá para a sua barraquinha da Comporta e desapareça de vez – há tantos anos que se mostrou ez-me o favor de desaparecer e agora parece igual a ontem – se calhar nem é – refinou – como é que se enche um vazio ?? – fados – morreu o Vilão de Dallas Larry Hagman e quem diria que era um homem de esquerda – é mais importante esta notícia embora triste e nem o transplante de fígado o safou da cirrose – E Catalunya anda para ali aos berros -Itália continua na rua aos berros – uma senhora italiana propfessoras denuncia que todas as escolas estão tão degradadas que as crianças as andam a pintar – mas oue é que a rica europa se meteu e quem roubou a europa que era a mias rica ?? ERA ?? acho que sim – os saberes estão por todo o lado nas a europa é um farol de civilização mas anda aflita porquê ??mas creio que é esta europa decadente que vai salvar a civilização – acabei de ouvir a israelita em Portgal que a jornalista nem deixou falar – mas já se sabia que ia salvar o seu “patrão” – as imagens de degradação daos países e pessoas que se mostram na TV fazem-me perguntar se a espoliação que a UE lhes faz não dá nem para teram habitação – Arafat vai ser exumado para confirmar o polónio com que o mataram – estão a dar sky alpino e nunca mais deram patinagem no gêlo de que gostava tanto – Viva o desporto seja ele qual for


  7. Um dia vou ser escritor.


    • Eu também, Daquelas que escrevem assim, tipo, tás a ver? Ya, é mesmo isso, tipo… coiso. É o que dá darem abébias a uma gaja só porque ela alinhava umas palavras sem dar nenhum erro e é bem relacionada!

    • Maquiavel says:

      A bacoca nojenta MRP também quer, um dia, ser escritora.

  8. Luis says:

    Onde é que desencantaram esta “Jonet da comporta”?
    Dizem-me que é uma portuguesinha copiadora da Corin Tellado, mas mais ordinária e ainda sem ter publicado nenhuma fotonovela, tipo “Capricho”.
    Dizem-me também que despeja umas poesias, em que “fragância rima com melância”!!!
    Um nome a não fixar pois vão ainda aparecer muitas portuguesinhas como esta nos próximos tempos.

  9. Maquiavel says:

    Concordo num ponto com essa acéfala: o que ela faz näo é “literatura pop”. “Pop” é, com certeza, mas literatura é que também com certezinha absoluta näo é.

    A näo ser que também considerem os escritos torpes das paredes de casa-de-banho como “literatura”.

  10. Luis FA says:

    Encarna na perfeição a “loura burra” do regime do “andámos a viver acima das nossas possibilidades”… Mais do que ideologia é pancada na tola!…

  11. Antero Novais says:

    A Margarida Rebelo Pinto até pode estar para a literatura como o Tony Carrera está para a música, mas a maioria dos comentários são confrangedores porque não conseguem elevar-se, nem um pouquinho, acima do insulto gratuito. Critiquem-na do ponto de vista literário, se forem capazes, e deixem de a atacar como pessoa.

Responder a Maquiavel Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.