“hoje ficou também claro que o Governo não houve ninguém. Não houve parceiros sociais, não houve o PS, não houve a Igreja, não houve a academia e não houve o Presidente da República”

Como é possível?

Que raio de AO é este?

Com profissionais destes, mais vale que acabe de vez.

Comments

  1. luisa says:

    O governo não «houve» e vocês não veem


  2. huum… Luísa penso que quem postou aqui aquele excerto quis precisamente dar destaque ao erro ortográfico – “houve” – pelo que terá certamente visto. O Governo é que não ouviu, não ouve, nem “houvirá”, mas isso já todos sabemos.


  3. Borrifo-me para o erro… Consequências de diplomas a mais e estudos a menos, ou então versão errada do corrector…
    Mas como é dado como fonte “LUSA” e os jornalistas desta agência estão a ver a vidinha a correr mal, não admira!
    O que me preocupa a sério é ouvir do PS a parte do “…não houve a Igreja…” (em português de Portugal “não ouve a Igreja” 😆 )
    Então Portugal não tem o “Carácter pluralista e laico do Estado de Direito contemporâneo”? Meu realce!
    O artigo 41º da CRP não é suficientemente claro!?!
    Ouvir a Igreja?!? Já agora, de que religião?

  4. luis says:

    O que o autor quer dizer é que não existe PS, não existe Presidente da República, não existem parceiros sociais, não existe nada para além do Gasparzinho e o seu excel


  5. tantas ha-de ouvir que vai ter vergonha

Responder a luis Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.