Enfin, se calla

hugo chavez

Comments

  1. eduardo soares says:

    Uma intervenção ABSOLUTAMENTE DESCABIDA !!!
    O fliscorno sabe quem pronunciou a frase que utilizou ? Acha o personagem digno de citação, fliscorno ? Sabe em que situação o elefante que caça reis de espanha disse aquela frase ?
    Já pensou na frase que quer na sua própria lápide ? Uma sua ou de wc bush ? E a bandeira, da filarmónica ou dos states ?
    Espero para ir espreitar num 1º de novembro futuro …

  2. Ze Maria says:

    Conspurcar.É “a forma diferente” que; AQUI, aceitas como meio de escrevinhar patetices.
    Mau gosto, muito mau gosto.
    Merecias levar um tabefe, não como agressão mas como reprimenda/corretivo.


  3. Um reaccionário é sempre um canalha. Estou a falar de si fliscorno.

    • jorge fliscorno says:

      Um revolucionário é sempre um traidor. É esta a ideia, trocar insultos grátis? Ganhe juízo.


  4. Não percebo tanta indignação. A imagem não me parece ofensiva. Eu não a estou a ver dessa forma… Enfim, é o “calor do momento”.

    • jorge fliscorno says:

      Parar para pensar faz doer o cérebro. «Ah e tal este cabrão não está a escrever elogios? É um canalha reaccionário a quem se deviam cortar as goelas».


      • Olhando para a forma como o desenho está feito, vê-se facilmente que a intenção não é ofender. Se calhar é mesmo uma questão de dor…


    • Permita-me discordar um pouco Sarisa, como já deve ter percebido e são sempre os mesmos, não se pode discordar. As opiniões não são respeitadas e muito menos as pessoas! Só insultos, mas quando convém pouco importa o respeito pelos mortos e pelos vivos. Grandes democratas! Só olham para o seu umbigo o resto é tudo da boca para fora!


  5. Há sempre virgens pudengas em todo o lado: não espero outra coisa!

  6. Ricardo Santos Pinto says:

    «Não foi um palhaço qualqjuer, como o imbecil do rei de Espanha. que me calou. Só a morte me calou.»
    É assim que eu interpreto este cartoon sobre o grande Hugo Chávez.

  7. António Fernando Nabais says:

    E se o Jorge não gostar do Hugo Chávez e resolver brincar com a morte dele? E se gostar e resolver brincar? E se tanto lhe fizer e resolver brincar? Sim, e depois? É claro que ter comentadores a ameaçar com tabefes traz sempre outro colorido a uma caixa de comentários e fazem-me lembrar os fundamentalistas islâmicos a urrar contra caricaturas ou a Inquisição a mandar queimar livros e pessoas. Fliscorno para a fogueira já!

  8. Nuno Castelo-Branco says:

    Um cartoon é um cartoon e já vi alguns muito mais ofensivos. Quanto ao porque no te callas?, ainda hoje tema para controvérsias, a verdade é que a expressão veio muito a propósito. Chávez era um falador nato, mas uma Cimeira tem as suas regras, naquele caso, uns 7 ou 8 minutos conferidos a cada orador. Nem sequer podendo comparar-se ao diluviano Castro, Chávez já estava há mais de meia hora a insultar Espanha e mais detalhadamente, o governo anterior àquele então em funções. Zapatero não tugia nem mugia como aliás lhe era tão habitual. Não sei se os restantes leitores podem abstrair-se das paixões cluísticas, mas no caso das Monarquias Constitucionais, o Chefe do Estado deve manter a compustura institucional e demonstrar uma imparcialidade total. Embora o Rei João Carlos penda demasiadamente para o PSOE, teve mesmo de intervir, sob pena de permitir a desnecessária humilhação de um ex-presidente do conselho que exerceu o poder durante uma década. Para mais, colocava-se numa posição de conivência com aquilo que Chávez dizia, malquistando-se com metade do eleitorado de Espanha. não podia ser. Goste-se ou não se goste de Aznar, o homem foi escolhido para governar o país vizinho, coisa que para Chávez, habituado a esquisitas companhias, pouca importância teria. Os espanhóis são assim mesmo e creio que D. João Carlos é a perfeita imagem do espanhol típico. Aquilo que lhe criticam, consiste exactamente naquilo que os espanhóis são. O Rei reagiu, não podia mais permitir aquilo que o sr. Zapatero escutava sem retorquir. Mais ainda, para grande alívio dos demais presentes na Cimeira, Chávez foi obrigado a cumprir o disposto quanto ás intervenções. nada mais que isso. Nada de grave, uns meses depois e em Espanha, pudemos ver SM João Carlos I e o Presidente Chávez em animada troca de abraços e piadas. Chávez era um homem cuja bonomia apenas era alterada por uma ou outra expressão intempestiva, mas sem consequências de maior. Nem de longe se pode comparar a Castros, Ahmadinedjads ou Khadafis. Chávez foi um bem intencionado e uma clara consequência da desastrosa política prosseguida durante tantas gerações pela impenitente oligarquia que o antecedeu. Se a isto juntarmos a humilhação ancestral dos índios, temos o quadro completo. Quanto ao Rei João Carlos, ele merece o título como ninguém. Digam o que dele quiserem dizer acerca da sua vida pessoal – mulheres, entretenimentos sobre o mar ou, infelizmente, nas savanas – , institucionalmente é um Grande Homem de Estado, dos melhores que Espanha já teve nos últimos séculos. Não há qualquer dúvida quanto a isto. Quando o comparamos com o que os portugueses têm suportado e pago nos últimos cem anos, devíamos ser mais comedidos.


  9. Como de costume, os comentários são o reflexo de quem os escreve.
    Nada há de ofensivo neste cartoon, antes pelo contrário.

  10. Ze Maria says:

    @Castelo”tracinho”Branco, os meus mais (des)respeitosos (des)respeitos a sua alteza o caçador de elefantes. A minha preferenca, já agora, vai para o Rei das Meias ou dos Frangos.
    http://www.youtube.com/watch?v=Gd4QydfVZiM

    @Engº A. F. Nabais permita me que lhe sugira a leitura ATENTA do meu comentário ao que cosidero uma “infelicidade” de Jorge Fliscorno. Reiterado.
    Nunca agredi ninguém e considero que pouco as agressões resolvam problemas. Percebe ou…?
    Bom fim de semana!

Responder a Rocha Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.