Não gosto que me insultem

Há gente imbecil em todos os lados e quando se trata de bolinha, então o índice, dos dois lados da barricada, sobe de forma exponencial.

Vivo o meu clube, do qual sou sócio, como ninguém, mas procuro respeitar toda a gente ao ponto de ter, em tempos, correspondido positivamente ao convite para deixar de falar de futebol no Aventar. Ao que parece só podemos escrever sobre futebol e até sobre as apitagens quando um clube ganha, mas, como diz o outro, são coisas da vida…

Na ressaca de mais uma vitória azul, houve, estou certo, muitos exageros – uns a destacar o vento que empurrou o James para dentro da área e outros, sempre derrotados apesar das vitórias, a insultar quem não chega em primeiro. Dirão alguns que se trata de uma normalidade. Subscrevo – insultar o adversário é uma marca de alguns, mas não será de todos. Dirão outros que a Liberdade de opinião é extensiva a todos os Portugueses, sejam eles deputados ou candidatos à Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia. Subscrevo. Mas mesmo assim não gosto.

caa_ignorante

O senhor deputado estará certamente convicto da sua argumentação – suponho que está a incluir na sua tese todos os Magrebinos que o elegeram deputado e todos os que, em Gaia, terão em algum momento pensado em votar nele.

São coisas diferentes – uma coisa é o futebol e outra a  política. Nesta última pode o senhor deputado voltar ao tempo em que no partido de Manuel Monteiro pretendia criar um partido inspirado em Le Pen e, na primeira, insultar todos os adeptos do SPORT LISBOA E BENFICA.

São de facto duas faces diferentes da mesma moeda – um deputado que despreza o seu povo e que mostra, com a sua linguagem, um comportamento xenófobo [que ou pessoa que tem aversão a pessoas ou coisas estrangeiras].

Comments

  1. Não Interessa says:

    Sou portista mas achei isso degradante. Da personagem também não se espera muito mais. Só um reparo, falta de vento de houve a passar pelo apito do Capela aqui há 3 jornadas. Outro, não, ao contrário do que vocês se gostam de convencer, nem toda a gente pertence a esses 2 grupos de adeptos. Há um terceiro, que sabe que o James foi tocado a milímetros da área mas fora, como vocês foram levados ao colinho metade do campeonato com adversários expulsos e jogadores interditados de jogar contra a instituição nas partidas anteriores, para não falar dos penaltys aos 94′. Agora insultar quem ficou em 2º depois de fazer a festa do título? Não Sr., só me ri e a bom rir. Ri-me como poucas vezes. Só isso.


    • Ó Sr. Não interessa, duas coisas:
      – a referência ao vento foi num contexto de imbecilidade, de posições extremas, de uns que foi tudo e de outros que não foi nada. Não é por aí o caminho da escrita, neste caso. Creio.
      – ninguém disse que havia dois grupos de adeptos. Disse que os há dos dois lados. Ou acha que não?

      Quanto ao resto, enfim…
      JP

    • Gilberto Horácio says:

      Prefiro ser Magrebino do que CORRUPTO ASSUMIDO!

  2. nightwishpt says:

    Parece-me mais que estava a brincar com os chamarmos sempre de mouros, que é como quem diz, gentes do sul.
    Há coisas definitivamente piores.


    • Mourolândia, Mourogrado, Marrocos, Norte de África… Tudo, já ouvi de tudo. Repito é que há frases e frases, reflexões e reflexões. Há também uma dimensão diferente entre o privado e o público. Ele, Nós, em privado podemos “tudo”, em público, acho que devemos ser mais reservados. Se somos eleitos pelo povo, então o cuidado e a reserva devem ser ainda maiores.
      Penso eu de que…
      JP

      • nightwishpt says:

        E mouro é algum insulto? Quanto muito, é uma etnia como outra qualquer. Ou já foi. Valha-me entidade divina.

        • metalurge says:

          O amigo não percebeu que a afirmação foi com sentido prejorativo, malicioso, cínico, etc, ou não conhece os políticos e os portistas (alguns). Mesmo com as desculpas todas que deu na tv e ao contrário do que diz, não deixa de ser um regionalista, e racista. São nestas alturas que se vê a verdadeira conduta das pessoas.
          Eu não sou racista, mas gosto muito que me chamem Português.

    • Maquiavel says:

      Como se diz no meu Ribatejo “vá brincar com o… inevitável”!!!

  3. Antonio Caldeira says:

    Este tipo já na adolescência era um imbecil, dá para ver que mantém a coerência…


  4. João, o futebol é, também, o campo do irracional. Confesso que inúmeras vezes ultrapassei o risco. No calor do jogo, no rescaldo de uma derrota ou vitória. É verdade. Como é verdade que chamo mouros aos benfiquistas como estes nos chamam andrades, provincianos, corruptos e outras palavras menos agradáveis. Os insultos ao presidente do meu clube, assim como os insultos ao presidente do teu são outro exemplo do comum nas coisas da bola, no fervor de adeptos que, demasiadas vezes, utilizam o futebol para “descarregar”. Nunca me vou esquecer da imagem impressionante, nas Antas, de ver um padre a insultar o árbitro como se não houvesse amanhã.
    Não escrevo este comentário para justificar o que quer que seja, apenas para te dizer que eu também sou irracional nas coisas da bola, que eu também confesso que chamo mouros aos benfiquistas, entre outros mimos. E levo com os insultos dos meus adversários com a mesma naturalidade.
    Nesta matéria não serei eu a atirar pedras.


    • Entendo o que escreves. Não quero trazer racionalidades excessivas para esta área. Nem tão pouco atirar pedras ao clube que amas. Nada disso. Pessoas mal formadas e que insultam há em todos os lados – no meu, em especial, há muitas. Somos um clube do povo. Confesso que já sinto como um elogio a música da Vossa claque em relação ao meu clube. Mas, considero, apesar de não o fazer, que eu e tu temos esse direito. Mas, creio que entendes se eu te disser que não gostarias que eu numa aula dissesse algo sobre o teu clube ou que tu, numa reunião com um cliente, sócio do SLB, fizesses comentários sobre o SLB. Acho. Logo, um Deputado, é um deputado. Sempre ao serviço. E, nós cá estamos, para validar ou não o comportamento e as posições. É a melhor parte da Democracia.
      JP

      • באינטרנט? השתמש בו כחלופה says:

        são um clube de quê? povo? inda há disso nos clubes?
        bom se nã gostas de ser insultado adevias mudar de profissão

        por falar nisse fazes greve ou vaiss fingire que bigias os putes?

        e ser mouro torradinho é melhor que ser um murcão desses dos cruzados pálidos com pintos nas costas


      • Bem, quem entra no meu escritório já sabe o que contar: três cartazes do FCP e variada matéria visual sobre o meu clube 🙂
        Sabem, por nunca ter escondido, qual o meu clube, partido, gostos musicais, etc. Como sabem que sou avesso ao politicamente correcto. Se perguntas: isso já te prejudicou? Obviamente. Mas não sei ser de outra maneira. Para o bom e para o mau.

        O que não invalida, bem pelo contrário, a profunda amizade com muitos lampiões que me gozam quando perco e eu lhes pago com a mesma moeda. No final, o que conta é outra coisa, bem mais importante: somos amigos na mesma.


      • Qual música?! a da cabeça dos lampiões? essa ouvi-a no Dragão caixa e adorei. Não é insultuosa como aquela que repudio liminarmente, do SLB, fdp…

    • metalurge says:

      As figuras (ou imbecis publícos) devem…, não !!!, têm que ter mais cuidado com o que dizem. Mas neste caso este senhor que é condidato a um tacho pode estar a perder votos. Por isso é que veio pedir desculpas esfarrapadas.

  5. Ricardo Ferreira Pinto says:

    Concordo contigo, JP.


  6. Eu cheguei agora e sou o terceiro irracional da lista, no sentido de não me conter e pisar o risco!
    Mais por brincadeira e mais entre amigos, confesso, ou simplesmente em termos dialécticos quando me chegam a mostarda ao nariz ou me magoam na costela da Areosa… Ou como provocação, como a que fiz ao Fernando Nabais quando, do Dragão Caixa, lhe mandei uma mms durante o Porto-Benfica em hóquei em patins.
    Relativamente ao João Paulo, que se ofende com o candidato à Câmara de Gaia e com a sua falta de senso, tratando-se de eleito pelo povo como deputado, eu só quero lembrar uma coisa tão simples quanto esta: Este Amorim, por mais que escreva e diga, ainda vai ter que comer muita rasa de sal para se aproximar do mais trauliteiro, mal educado e incendiário eleito alguma vez pelo povo, que alegadamente defende o Benfica no programa televisivo, cujo nome não vou dizer, mas que toda a gente conhece. Esse também foi eleito pelo povo, pelo mesmo partido do Amorim, e foi até mais do que deputado, fez parte do governo.
    Ao menos nesta contendazinha nossa, do Aventar, o Benfica ia à frente, mas Amorim conseguiu empatar. Para já!
    Não, definitivamente, esse campeonato não me interessa. Prefiro ir ver hóquei em campo feminino ao Parque da Cidade. Aí é mais vernáculo abaixo, Gil Vicente acima, mas tá-se bem, no fim vamos todos para os copos, sem stresse…


    • Em tempos, meu caro, andei a dar aulas pela Areosa e a adolescência foi no Cerco. Diria que tenho a escola toda. O ponto não é esse. Quanto ao ser que referes, penso que o RGD, bem, que raio de comparação – esse é, enfim, é um bom exemplo do que é o PSD! O ponto é se podemos todos, no exercício dos nossos cargos, tomar posições parciais. Por exemplo, no meio de uma aula posso dizer que o PC é um corrupto, que os árbitros estão comprados e que o FCP é uma máfia e tal? Não me parece que… Aliás, recordo a reacção oficial do “Dínamo da BCI” quando uma Educadora ensinou uma música do SLB…
      Ah… é diferente, isso, há o privado e o público… Pois, eu acho que é aí que está a questão…
      Eu posso chamar isto ou aquilo, no tasco, no café, no Dia de Clássico, mas não o posso fazer na sala de aula, certo?
      Isso não é ser politicamente correcto! Acho.
      JP


      • Ó João, não me digas que o Amorim escreveu isso na sede de campanha, ou na Assembleia. Isso seria, de facto, degradante.
        Mas, se estava na tasca da esquina, tudo bem. A mim passou-me ao lado, não é meu amigo no facebook, não vou ao twiter, teria sido um comentário nado-morto.
        Quem levantou a lebre tornou o comentário viral, e publicidade dessa até pode ser boa para a sua candidatura. Vai uma aposta?!


        • Publicidade boa? Não me parece, mas como eu não percebo nada do assunto, até admito que tenhas razão.


          • Eu também não percebo grande coisa, mas, conhecendo alguma gente como conheço, gente eleitora, não me espantaria. Isto é a idade e a experiência a falar, que profissional dessas coisas não sou, só voto. Sempre.


          • Já q colocas o assunto em cima da mesa, até estou curioso para ver como vai reagir o candidato do PSD, comentador no Dia Seguinte da SICN, a esta anedota 🙂
            JP


  7. Areosa???? Olha, não sou o único da AREOSA!!! É por isso que desde pequenino o afirmo: a Areosa é um mundo!


  8. João, para mim é assim: se entender que pode render votos, fala; se não, ignora. Até porque esse é rato velho de muitas andanças.

  9. Gilberto Horácio says:

    Antes MAGREBINO do que CORRUPTO ASSUMIDO!!!


  10. Eu, que não sou nenhum menino de coro, não ligo muito a considerar-se ou não as coisas “politicamente” correctas ou, se precisarem de demonstração cabal, estou-me a cagar para esse “politicamente”.
    Para mim certas coisas são correctas ou não são correctas, ponto final. Seja por causa do futebol, seja por causa do clima, chamar, por exemplo, morcão, com intenção de magoar, a outro SÓ porque é do norte, OU de um clube do norte, OU de outro clube que não o nosso, é uma parvoíce.
    E um parvo é um parvo, seja no calor do jogo (em que ainda por cima não joga, nem está no banco) seja no frio remanso do lar.

  11. Nascimento says:

    Gosto muito destas rivalidades.Mostram sempre , mas sempre, que uma balcanização é possivel.Adoro os patriotas que vão levantar a bandeirinha para “apoiar” os tugas.
    Tão lindo.AÍ, é que vai ser bater no peito.Mamar umas bejecas e comer tremoços…ui, os inginheiros do norte,ui, os doutores do sul…ui a canalha,se lhe derem oportunidade, desata a matar por uma merda chamada norte, e outra merda chamada sul…vai uma aposta?Deiam-lhes meios e oportunidades, que há sempre uns filhos da puta , prontinhos a atear as brasas….

  12. Jorge says:

    Este imbecil há muito que anda a pisar o risco, não é de agora que ele insulta os benfiquistas e mistura futebol com politica em doses industriais. Esta balofo manteigueiro com ar de eunuco, que é para não lhe chamar logo paneleiro anda hà anos a destilar veneno e ódio contra Lisboa no seu blog “Blasfémias”. Em relação a este triste comentário convinha lembrar-lhe que o sul do pais foi povoado com minhotos, trasmontanos, portistas e beirões levados para lá conforme o pais ia sendo libertado do domínio mouro, não é por acaso que D. Sancho I tinha o cognome do povoador. Convêm lembrar também a este mentecapto que todo o pais esteve sob domínio mouro, de Melgaço e Sines, por isso ou somos todos mouros, ou não há mouros. Este gaijo desta vez passou todos os limites, e este marcado, e não duvido que o PSD é que lhe vai fazer a folha.
    Porque ou lhe fazem a folha ou é ele mais o seu mentor e padrinho politico, traidor iberista do meneses que vão causar problemas ao pais.

  13. Maria says:

    Quando é gentinha desta categoria que chega a deputado na AR não nos podemos admirar do país estar no estado em que está.

    Que tristeza. Não sou do benfica mas este comentário mete-me nojo.

    Que criatura mais desprezível esta.

Trackbacks


  1. […] Vítor Pereira, no JN, explicou, ainda, que este título se deve às qualidades das gentes do Norte. Não sei se estaria a referir-se a João Moutinho, a Helton ou a Jackson Martínez, mas, mais uma vez, o excelente treinador do Futebol Clube do Porto não soube encontrar uma expressão à altura das qualidades do clube que representa. A verdade é que, em primeiro lugar, o FCP tem adeptos fervorosos em todo o país. Para além disso, talvez por ter vivido em várias regiões de Portugal, faz-me impressão este sucedâneo de racismo que imagina superioridades regionais. Mais um bocadinho e poderíamos ouvi-lo a chamar magrebinos aos adversários. […]

Responder a João Paulo Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.