Perguntas ao Martim

Não vi o Prós & Contras ontem, após a apresentação dos convidados soube da morte do Ray, e foi ouvir Doors, velórios.

Hoje parece que o herói da direita e suas extremas é o jovem Martim, empresário aos 16 anos que lançou uma linha de moda e dá emprego a pessoal que recebe o salário mínimo. Até a secção liberal que é contra o dito salário anda entusiasmada. Vítima, por ter falado em salários mínimos, a Raquel Varela, que antes de ser investigadora foi minha camarada em Coimbra.*

Perguntas há muitas. A partir de uma investigação online do Pedro Antunes, jornalista caldense (obrigado Pedro), ficam aqui as minhas perguntas ao Martim, também sou curioso.

483707_354116918027820_251171334_n– Esta fotografia, retirada da página da Over It no Facebook, com a legenda “Quem quer uma sweat?” por acaso não nos mostra caixotes da B&C, uma empresa belga de distribuição de roupa?

– E por acaso, sendo esse o caso, que raio de empregos cria o Martim em Portugal? desempacotadores de caixotes? Empacotadores de encomendas por correio?

– Já agora, a sua “empresa“, a Over-It, que se define como sendo “antes de mais uma ideia, a ideia de ser superior, de estar em cima” só vende via Facebook. Será que a Over-It paga impostos? IVA? emite facturas?

Pois gostava que o Martim, ou os amigos do Martim, ou um jornalista que queira mostrar ao mundo o Martim, me esclarecessem. A mim e a outros, que não gostam de comer martim por lebre.

*Esclarecimento a imbecis: chama-se declaração de interesses. Não, não traduzo para inglês.

Comments

  1. Konigvs says:

    Duas observações: – quem é que no seu juízo perfeito ainda consegue ver o Prós e Contras?
    Segundo: que puta de moda é essa, que agora os putos chamam-se todos Martim, Afonso e Tomás?


    • O painel parecia interessante, uma raridade.
      A segunda não sei, não vejo novelas há mais anos do que isso.

      • באינטרנט? השתמש בו כחלופה says:

        raquel varela, jorge araújo e josé cardoso e demais fungágás da bicharada são, como o professor sá pinto ex-autarca de montemor e futuro de évora, marionetas da nomenklatura do PCP incapazes de reagir a um simples puto de 16 anos com um discurso simplista,,,
        no teu caso quando te afrontavam eram fascistas estes miúdos né? pois…beijinhos pá

      • dulce says:

        O senhor João José Cardoso ja experimentou fazer as mesmas perguntas aos nossos governantes?
        É que eu suspeito que por lá deve haver muitas perguntas sobre caixas, caixinhas e compadrios que deveriam ser analisados e tendo o senhor tanto tempo para andar a analisar a pagina do face do Martim nao seria melhor converter esse tempo a bem da naçao e ir em busca dos caixotes fraudulentos do governo? Sendo o senhor ate da oposiçao so lhe ficaria bem essa atitude.

  2. nightwishpt says:

    Esperem, é isto que andamos a discutir? Umas tshirts brancas compradas a retalho com umas letras por cima?
    Um pequeno génio, não haja dúvida. Não sei porque o milhão de desempregados não faz o mesmo.

    • Lagartices says:

      “Exactíssimamente” nightwishpt!
      Dei um salto à página da Over-It. São t-shirts compradas a retalho com umas letras estampadas.
      Uns 4/5 modelos, 2/3 cores. Letras a branco ou rosa.
      As letras são “OVER-IT” e as colecções dão duas. A saber: uma com tipo de letra “clássico” e outra com tipo de letra “moderno”.
      Que não restem dúvidas, o puto é um génio.

      • Joca says:

        Acho uma piada a este tipo de comentários. O miudo não é um génio. o miudo viu uma oportunidade para ganhar dinheiro (legitima) e aproveitou. Ninguem pode apontar-lhe nada. afrase relativa ao ordenado minimo e a não estarem desempregados, vem de um miudo de 16 anos, que claramente nem percebe o que de errado está nessa frase. pior que a resposta dele, foi a intervenção da raquel, que não tem por onde se lhe pegue. Qual era o objectivo dela? dizer ao martim que por alguem estar a ganhar o salario minimo (mesmo sem ter a certeza disso) ele deve desistir do negocio? dedicar-se ao protesto é isso? Não não deve. deve ser empreendedor. e quem me pergunta: e quem não quer ser empreendedor? que não quer ter negócios? temos todos de ser empreendedores? a minha resposta: não não temos. mas também não temos de estar todos bem na vida. É istp


    • Mas isso até as marcas que vendem t-shits por 60eur fazem…uma malha com um logotipo por cima e depois???


  3. Oh Konigus, o autor NÃO viu o Prós e Prós! Viu um excerto e chegou.
    De resto, PORN é mesmo na net. A tv está out.

  4. Konigvs says:

    Eu sei que o autor não viu. Bem sei que muitas vezes leio na diagonal mas neste texto era difícil não perceber a mensagem, quando começa o texto com “Não vi..”
    E eu não me referia aos convidados quando critico o programa, refiro-me sim ao tema, que nos últimos anos é sempre o mesmo: a crise, a crise, a crise. Como é que eles dividem a audiência? Para um lado os que estão a favor da crise, e para o outro os que estão contra?
    Há muito que o programa se esvaziou, e não tenho dúvidas que, quanto mais as televisões insistem no tema depressivo da crise, mais espetadores perderão.
    Acho que da última vez que ouvi por aqui falar do programa deram destaque a um gaijo que vendia pipocas. Agora são camisolas… Na volta discute-se a crise e o barómetro dos vendedores ambulantes. Espetacular.


    • Ah ah. Programa vazio é também o “Preço Certo”, em horário nobre. Deve ser por isso que a RTP evapora dinheiro e ninguém sabe muito bem para quê.

    • nightwishpt says:

      “Há muito que o programa se esvaziou, e não tenho dúvidas que, quanto mais as televisões insistem no tema depressivo da crise, mais espetadores perderão.”
      Acho que não é bem isso, mas que quanto mais insistem em fazer de conta que a crise não é nada e que passa já mais garantem a morte dos média tradicionais.

  5. Duarte Rocha says:

    Quer dizer, pelo ponto de vista deste pseudo empresário, que pelos vistos, só se lançou nesta aventura, porque afinal brincar aos empresários a desenhar roupas para os pobres e desgraçados, é bem menos exigente e muito mais agradável, que estudar a sério, mas como estava a dizer, pelo principio de vida deste e olhando pela sua lógica de empregador, “antes comer merda, do que não ter merda nenhuma, para comer,” realmente mais um verdadeiro empresário português, caraças!!! já começo a pensar, se não será uma questão de genes, o fascismo esclavagista, dos nossos empresários, parafraseando o António Aleixo, “Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que, às vezes, fico pensando que a burrice é uma ciência”. Vão mas é todos para o caralho, cabrões fascistas, principalmente essa fdp de jornalista, que tem um ordenado, à custa do erário publico, que envergonha qualquer médio empresário neste país, e vem esta vaca defender a dignidade do ordenado mínimo, em detrimento de estar desempregado, pois é bem mais vantajoso, a nível económico e familiar, estar desempregado, do que viver na ilusão de um trabalho supostamente remunerado…

  6. Duarte Rocha says:

    Vejam a verdade do empresário empreendedor, do prós e contras, desta ultima segunda feira, além de já partilhar a mesma visão fascista e esclavagista, ainda por cima é, um tretas de um pantomineiro do caraças, e se calhar mais um criminoso fiscal, este também, já tem é a escola toda, ou falta dela, como o relvas, “vai mas é estudar” e faz-te à vida, de uma forma honesta e verdadeiramente empreendedora, seu burro, trapaceiro, malandro do caneco…

    • nightwishpt says:

      Uma coisa é dizer que provavelmente não paga, o que também duvido que faça, outra é afirmar perentoriamente isso e mais um conjunto de coisas, meu caro.


  7. A dor de cotovelo é assim tanta ???? Nem cale a pena alongar muito sobre este assunto apartir do momento que leio isto:
    ” a Raquel Varela, que antes de ser investigadora foi minha camarada em Coimbra”


    • Qual é o problema de eu e a Raquel termos sido do BE em Coimbra? é proibido? mandam-nos juntos para Caxias?
      E olha que antes dor de cotovelo que dor de corno, os últimos a saber da peça que arranjaram como herói


  8. O pessoal que diz mal sobre esta noticia esta lixado por não ter tido a ideia primeiro, um miúdo de 16 anos que faz mais dinheiro do que a maioria dos adultos que ganham o salario mínimo, não cai bem a muita gente. É preciso é ser esperto e dou os parabéns ao Martim pelo seu trabalho, o negocio dele ate pode falhar mas já fez mais e concretizou um sonho que tinha. a maioria das pessoas passa uma vida toda sem do fazer


    • Vamos ver. Respondidas as perguntas logo se saberá se o sonho não acaba num pesadelo em sede de Finanças.
      Até porque ainda há mais para perguntar.


      • Pois isso já não sei, só ele pode responder, mas pelo que ouvi no pros e contras ele já tem à venda em lojas por isso decerto que paga impostos

        • Hugo says:

          E duvido que seja assim tão ingénuo ao ponto de vir para a televisão dizer que anda a vender camisolas por baixo da mesa.

          • Maquiavel says:

            Duvida? Os espertos saloios normalmente säo assim. Täo fanfarröes que depois tropeçam no que dizem.

  9. mike says:

    Grande investigação sim sr.! “antes de mais uma ideia, a ideia de ser superior, de estar em cima” lolol

    Boa análise Konigvs, parabéns. A própria FCF já virou zombie de tanto falar na crise lolol

  10. João Mendes says:

    Esse cota deve ter a mania não tem mais que fazer do que falar da vida de um puto. e essa da “a Raquel Varela, que antes de ser investigadora foi minha camarada em Coimbra” deve ser para armar se, o que é que as pessoas tem haver com isso só sabem é criticar ainda por cima um puto. Vai mas é criticar os grandes CABRÕES DESTE GOVERNO, CRITICA ESSA MAFIA, ESSES GAJOS É QUE MERECEM SER CRITICADOS A PIOR MAFIA DE TODOS OS TEMPOS. Deixem o puto da mão que ele não faz mal a ninguém. Peace.

    • José Salazar says:

      Concordo contigo esse velhos só estão é a ocupar o lugar de jovens que precisam de trabalho todos para a reforma cotas de merda metem nojo e depois como não tem nada para fazer criticam a vida de meros gaiatos que nem ainda são adultos esse velho que vá mas é para a reforma é uma vergonha este pais!

      • Fernando A A Fernandes says:

        Esse nome de Salazar é ilucidativo!
        Mas está mal escolhido… deveria ser José Estaline…ou Pol Pot… os tais que davam uma injecção atrás da orelha à velhada que se tornasse incómoda…

      • Luis Cabrita says:

        Brilhante! A Culpa dos Jovens estarem sem emprego é dos velhos que estão a trabalhar. E a culpa dos velhos estarem no desemprego é dos jovens que estão empregados.
        Acredita, Passos Coelho está orgulhoso de ti, continua.

    • mike says:

      O puto tem de aprender pah e nada como aprender com quem sabe ;- )

  11. Avantariamos says:

    Peço ao autor deste blog que coloque aqui as informações fiscais do próprio, dados da empresa, nif, etc visto que o mesmo tem lucros com o blog, logo também tem que declarar tudo, certo?

    Já agora onde estão as politicas de privacidade do blog?


    • Assino por baixo …


    • Tenho lucros com o blogue? têm a certeza? e porque carga d’água acha que o blogue é meu?

      • Hugo says:

        De certeza que a que a publicidade que agora inunda o blogue é lá colocada por amor ao próximo. Está neste momento a passar um anúncio da Symantec. Já agora, a Symantec oferece salário mínimo?


      • Queria dar os parabéns à pessoa que escreveu este post, nunca tinha lido um post tão mau, acabei de fazer unsubscribe à newlestter. Alguém que decide escrever uma cena sem fundamento, só para levantar questões para defender a amiga é deprimente sendo que no fundo é para atacar uma pessoa com 16anos que começou o negocio aos 15. Gostava de saber o que fazias com 16 anos se tinhas sequer noção ou força de vontade para ganhar um dinheiro extra. Se tinhas a coragem para perder tempo a fazer aquilo tudo que ele ja fez…


  12. A última vez que passou por lá um “empreendedor desses” acabou uns meses depois por ser descoberto no Youtube e tornou-se consultor de um Relvas qualquer, vamos ver o caminho que este segue…

  13. NN BOYS says:

    Peço ao autor que vá PÓ CARALHO!


  14. A B&C fabrica peças de roupa para estampar. Onde é que está o problema?

    • Hugo says:

      Oferece o salário mínimo e nunca foi camarada em Coimbra.


      • A empresa diz que ninguém lá ganha o salário mínimo. O problema é que acho que temos de ir ao Paquistão porque este fornecedor ainda tem outro fornecedor estrangeiro para as t-shirts.

  15. Avantariamos says:

    E se o inteligente que escreveu isto se informa-se antes?

    A B&C fabrica roupa, o que é diferente de estampar.

    http://www.oficinadatshirt.pt/Catalogos/pt/Catalogo-BC-1

    • mike says:

      Penso que o negócio do puto é o seguinte,
      1. Encomenda a roupa à B&C – camisas, camisolas, etc
      2. Encomenda o logo OVER IT a estampar
      2. Faz estampagem do logo OVER IT
      3. Recebe o dinheiro/Envia para o cliente.

      Conclusão: o puto precisa de 1 trabalhador, visto que o logo da marca é básico e sempre igual.


  16. É triste! Uma doutorada em História que nada sabe sobre a realidade!


  17. Enfim á coisas que em Portugal me enervam solenamente…

    Vejamos , discutem se condições de trabalho com os “patrões” das pequenas empresas acabadas de criar e que muitas vezes se sujeitam ao que conseguem arranjar de condições de exportação para levar o seu produto para fora do pais, mas ninguém fala das grandes empresas ou confronta os patrões dessas grandes empresas muitos deles séniores e que enriqueçem á conta dos seus trabalhadores e das condições precárias essas sim que oferecem, e vêem me esses “doutores” falar com quem segue os sonhos e tenta “subir um pouco” sobre precariedade, querem um conselho de alguém que já tentou seguir um sonho?

    Mesmo que não o queiram eu dou vos, experimentem antes de criticar e mandar abaixo levantar o rabinho do sofá e tentar criar a partir de uma ideia uma marca/empresa ou simplesmente um grupo que ofereça um produto ou serviço, não vos dou 2 meses para a ideia simplesmente desaparecer tanto na mente das pessoas como na vossa desilusão por verem um sonho desabafar num curto espaço de tempo, peguem nesse bota abaixismo e experimentem levá-lo ás empresas com lucros milionários e cujos trabalhadores ganham o salário mínimo, esses sim deveriam ser obrigados a justificar-se , mas pronto nós somos mesmo assim , um pais onde é mais fácil deitar um sonho jovem abaixo do que atacar um sistema já bem amadurecido e que todos temem…

    Depois não se esqueçam de daqui a uns anos virem ás televisões dizerem que os jovens viraram as costas ao pais, cá estaremos nessa altura para responder…

    Um Abraço e viva Portugal !!!

  18. Belmiro Azedo says:

    Sinto-me injustiçado ! Ainda há bem pouco tempo caiu-me o Carmo e a Trindade em cima por ter sugerido uma economia de salários precários e agora anda tudo a aplaudir o miúdo ?

  19. Maria Silva says:

    Este post é de tão mau gosto que chega até a ser confrangedor. Se calhar o miúdo contribui com mais impostos aos 16 anos do que o senhor em idade adulta. E se o filho fosse meu, quem iria provavelmente responder a algumas perguntas, seria o senhor.


    • Olha, a ameaça fresquinha. Da corajosa Maria Silva, esse nome tão invulgar em Portugal.

      • Maria Silva says:

        Caro João José Cardoso
        Lamento desapontá-lo mas de facto o meu primeiro nome é Maria e o último é Silva, o nome do meu pai. Não me parece que seja um impedimento para deixar um comentário no Aventar. E não é uma ameaça, muito longe disso. Mais uma vez lamento que tenha entendido assim. É mesmo uma afirmação convicta. Tenho um filho da idade do Martim e tomara eu estar tão descansada com o seu futuro como certamente estarão os pais dele. Jamais admitiria que alguém, ainda que com três nomes invulgares, levantasse qualquer suspeita ou insinuasse o que quer que fosse sobre o meu filho da forma gratuita como o senhor o fez. Atiçar profissionais da comunicaçao social para esgravatar a actividade do Martim é um acto, mais do que vulgar em Portugal, de extrema vulgaridade.


        • E deixava ir o seu filho a um programa de TV vender t-shirts e o salário mínimo nacional? eu não deixava. É que o raio das imagens não se perdem, e mais tarde pode-se arrepender do que andou a fazer na adolescência.

          • Maria Silva says:

            Deixava sim. O Martim não foi vender t-shirts para a televisão. Essa é a leitura que algumas pessoas fazem. Pessoas como o senhor. O Martim, se vendeu alguma coisa nos minutos em que falou, foi

          • Maria Silva says:

            Deixava sim. O Martim não foi lá vender t-shirts. Pessoas como o senhor, que rapidamente se insurgiram com a intervenção do miúdo, e de forma tão radical, é que estão a tratar de lhe aumentar o volume de vendas. O Martim, se vendeu naqueles minutos alguma coisa, só talvez sonhos a outros miúdos da idade dele. Um adolescente que se vicie em drogas, que entre pelo mundo do crime, parece-me que terá motivos de vir mais tarde a arrepender-se de ter perdido anos da sua vida. Arrepender-se de ter conseguido concretizar um projecto? Escreveu mesmo isso? As imagens não se perdem e os textos publicados na internet também não e oxalá o Martim, um dia, lhe consiga demonstrar, a si e a tanta gente adepta do enxovalho, que consegue ter funcionários competentes e pagar-lhes o devido salário, que nesse aspecto, todos concordamos, não é o mínimo que se pratica em Portugal. Aliás, nem é isso que está em causa nesta polémica, muito embora tudo tenha acabado a girar à volta da questão colocada ao Martim e à qual ele respondeu à altura da idade dele. O senhor está a fazer politica, o miúdo a construir o futuro, e os nossos filhos precisam desse futuro como de pão para a boca. Literalmente. Deixe lá o Martim em paz, trave a sua luta com pessoas que realmente conseguiram levar-nos a todos ao fundo de um grande poço (se é que tem fundo), e sinceramente, se conseguir, não olhe para as pessoas comuns como se fossem todas potenciais gatunos porque isso era olhar para um país inteiro à imagem da classe poliítica que a maioria foi sempre elegendo. E eu posso escrever isto sabe, até posso. Porque já nasci comunista e duvido que alguma vez na vida consiga deixar de o ser, portanto sou pelos trabalhadores, pela dignidade, contra o capitalismo, e essencialmente a favor dos que aparentemente se encontram na posição mais frágil e, naquele auditório, o que a sua camarada demonstrou foi uma necessidade grande de se afirmar perante um garoto de 16 anos e isso é feio e, como muito bem escreveu, será uma imagem que não se perderá. Não tenho interesse nenhum em continuar esta troca de argumentos porque, sinceramente, não tenho absolutamente mais nada para lhe dizer. Ah, afinal tenho, é que acabei de encomendar uma t-shirt ao Martim, porque olhe, ainda posso fazer destas coisas.

      • Bruno says:

        Cá para mim o senhor tem é dor de corno…certamente essa doutorada se não fosse sua “camarada” o senhor nem a boca abria…mas de tão idiota e mesquinho que você é a ponto de apoiar uma investigação contra um miúdo de 16 anos que começa a fazer-se à vida, só desejo que com essas perguntas receba respostas como a sua “camarada” recebeu e que a envergonhou publicamente…você e pessoas como você metem nojo até aos cães…parvalhão!!!!

  20. carlos says:

    Ah e tal que ela é minha amiga. Please. E não será que as camisolas são feitas em Portugal já agora? É que se sim, please mesmo. ou melhor, por favor senhor.

  21. andré says:

    Na Mouche! 😉 Parabéns.


  22. Falar sem saber é que é bonito. O Martim provavelmente também não sabe de onde realmente vêm as t-shirts, mas o seu fornecedor é nacional e portanto cria empregos por cá.

    A empresa é Maudlin Merchandise de Aveiro e as caixas vêm de lá para a Over It. Como sei? A própria empresa no facebook denunciou-se em apoio ao Martim e eu já recebi material da mesma empresa nessa mesmas caixas.

    E sim, também cria uns trocos aos tipos dos correios.

    Mais alguma pergunta ou o nano-micro negócio do Martim precisa de lhe esclarecer mais alguma coisa? Provavelmente, terá as de fazer a ele que eu só sei duas ou três coisas sobre a Maudlin.

    P.S.: Fico a aguardar a correcção do post a sugerir que não há mais emprego criado em Portugal para além dos tipos dos correios.

  23. Cínico says:

    Bem vejo aqui tanta gente a dizer que o miúdo é fascista, esclavagista, mas aposto o mar e a marinha em como a maior parte (senão todos) os autores destes comentários, que, por sinal, representam a velha máxima de que “só fala assim quem nunca passou de empregado” são funcionários frustrados que passam a vida a lamentar-se que ganham pouco para o cargo que exercem. Ou então ah e tal eu tenho uma licenciatura e por lei devo de ganhar XXX€, em vez de criticarem, levantem o rabinho do sofá e iniciem um projecto, paguem os impostos, segurança social, seguros, hst, pagamento especial por conta e outros tantos, contribuam para financiar o estado que nunca vos deu nada, e no que sobrar (gargalhadas) criem emprego e pagem acima da média. É fácil!

    • Cínico says:

      PS: Desculpem eventuais erros ortográficos, mas apenas tenho o 9º Ano de escolariedade e como tal as minhas capacidades de comunicação escrita são ligeiramente diminutas, isto porque o “tal” estado que todos financiamos me obrigou a ir trabalhar com 16 anos para ter o que comer e alimentar um irmão menor.
      PS2: Convém também dizer que uma década após me iniciar no mercado de trabalho, sujeitando-me ao que me pagavam na altura (nas vossas palavras, escravatura) tenho uma empresa, que gera emprego, paga acima da média (a quem merece) e não deve um cêntimo, quer aos trabalhadores, ao estado ou a bancos. Mudem primeiro as vossas mentalidades, enquanto isso não acontecer,nada muda no nosso país.


      • Com o 9o. ano tem por obrigação escrever fluentemente – a não ser, é claro, que precisasse de desculpa para o acrescento. É que a historinha da vida sacrificada até faz rebrilhar o empreendedorismo bem sucedido, não é mesmo? Não acrescenta nada, mas reforça a ideia.

        • Cínico says:

          Desculpa para o acrescento não precisava, pois após ter publicado o 1º comentário apercebi-me de um erro na penúltima frase. Em relação ao que afirmou de que “as historinhas da vida sacrificada até fazem rebrilhar o empreendedorismo bem sucedido” não concordo.
          Com a minha história apenas quis mostrar a velha máxima de que “a necessidade aguça o engenho” pois só depois de “batermos no fundo” é que aperceiçoamos as nossas capacidades de separar o que nos é essencial do supérfluo.

  24. João Dias says:

    Eu também sou empreendedor, crio emprego. Quando vou às casas de banho dos “chopingues” mijo fora da sanita para dar trabalho às empregadas de limpeza. Não sei quanto ganham, mas devem-no a mim.

    Aguardo com serenidade um convite para o “Prós austeridade e Contra revolucionários”, uma salva de palmas seguida de bajulação cibernética promovida pela banca e um acólito de renome da direita…qualquer coisa abaixo disso e passo a mijar para o penico.

    Como disse um amigo meu, o problema não é um jovem de 16 anos dizer o que disse, o problema é a malta de 20 e mais anos pensar que descobriram a pólvora…e até descobriram, só que é um rastilho que vai dar direitinho aos pés.

  25. Justo says:

    Acredito que estas perguntas só lhe vieram á cabeça de pois de ter olhado para o próprio filho e ver lá um atrasado mental que provavelmente a única coisa que irá construir na vida é um Blog onde constantemente questionará o sucesso de outros…Quem sai aos seus…

  26. Alexandre Lopes says:

    Contribuir para a maquina que nos anda a chupar ate ao tutano? Ainda bem que nao passa factura nem paga IVA, concordo, tem atitude e tem moral pa falar, porque ao menos o puto de 16 anos fez algo por ele abaixo, aquando que muitos se limitam a gastar o nosso precioso(e ainda livre de imposto) portugues a julgar so porque provavelmente tem dor de cotovelo por nao se ter lembrado tao cedo.

    Ao menos o puto nao anda a pedir nem a roubar. ta a fazer a cena dele.

    Adeus

    P.S.- desculpem a falta de acentos e etc, mas como muito portugues, tive de sair da minha amada patria para o estrangeiro para poder SOBREVIVER, e aqui o teclado nao e frances.

    Bem-hajam

    • joao ramos says:

      Sem Duvida o teu Comentario e de valor e deveria ser lido com letras bem grandes…. Em vez de dizerem ok: ele arranjou uma maneira honesta de se safar pk so lhe compra sweats quem quer….! Nao decidem Julgar o rapaz… ate que fizesse as camisolas em Tokio ta produzir….

      Ate eu….ja sai do pais ah 1 ano e desisti do ensino superior…..
      Pessoal com bolsa a chegar ah escola com Mazda novos e BMW e eu sem bolsa a caminhar pa escola e descontar pela merda do part-time ke tinha…epah fikem la com portugal

      • Alexandre Lopes says:

        Em nada estou orgulhoso de ter de sair do meu pais para poder viver…a merda eh a mesma, so mudou o continente. mas ao menos vivo do que gosto. Agradeco a dica ja agora 🙂

        O pior disto tudo e que Portugal tem tanto talento desperdicado, tanto potencial limitado, precisamente por “necessidades” ou “regras” que os mobilizam a enverdar caminhos diferentes.

        O puto conseguiu fazer algo, e mesmo que so dure mais duas semanas, ao menos FEZ.
        O momento em si e admiravel. Nada mais.

        Doutorada ou nao, destruida ou nao, foi puta em querer foder a esperanca do chavalo. Ele que descubra por ele proprio daqui a uns anos.


  27. Não percebo algumas pessoas sinceramente… Aqui ha tempos fizeram uma polémica desgraçada por causa do Miguel Gonçalves ter dito que até a vender pipocas se podia pagar as propinas de uma faculdade. Toda a gente lhe caiu em cima por causa do que disse… Agora que este rapaz de 16 anos provou ao país que nem é preciso chegar à faculdade para por em pratica a definição do empreendedorismo! E o que acontece? Surgem ainda críticas a dizer que o puto não quer saber dos trabalhadores precários e não sei quê… Mas vocês quando vão ao futebol perguntam por acaso perguntam quanto ganha a funcionaria da limpeza?! Ele apenas encomendou um serviço a uma empresa que por sinal não é gerida por ele!
    É o que está mal neste país: quando uma pessoa tem sucesso, chovem sempre montes de críticas… Se têm inveja do sucesso do rapaz porque é que não põem em pratica uma ideia semelhante? Ah pois é… Dá trabalho… Quando é que vamos perder essa mentalidade tacanha? Julgo que o nosso modelo de ensino devia sofrer uma reforma valente. Pois é inconcebível que se obrigue os alunos a aprender durante 12 anos para acabar o ensino secundário, mais pelo menos 3 anos para o ensino superior. Isto tudo a correr bem… E quando decide fazer-se à vida e dizerem-lhes que o mundo não limita aquilo que estudaram, no país em que vivem, nem apenas a trabalhar por conta de outros… Em qualquer dos cenários, não podemos é baixar os braços e resignarmo-nos com a vida que levamos e esperar que surja numa notícia a dizer que acabou a crise, e podem sair das vossas casas. ISSO NÃO VAI ACONTECER! As coisas nunca vão voltar a ser como eram… Temos é de analisar e aplaudir casos de sucesso como o do Martim e promover desde cedo nas nossas escolas o empreendedorismo… Os Portugueses costumavam ser um povo que se adaptava a qualquer circunstância, mesmo em situações mais difíceis… Onde estão essas pessoas hoje em dia? Espero que ainda existam bastantes. Tento ver o tão bom que se faz em Portugal e sempre que vejo casos como o do Marim gosto de acreditar que sim…


  28. Tens 22 likes por ouvires o(s) Doors (Portas…)?! E com tanta gente a bater-te, só tens 3 votos negativos?! Deve ser a velha história da Olívia costureira e da Olívia patroa. Venceu a assalariada!
    (Isto é só para aliviar um pouco o ambiente…)

  29. judgedread says:

    e se fosses pro caralho e deixasses o puto em paz oh filho da puta???vai mas é trabalhar e deixa o miudo ter o sonho dele oh cabrão de merda…


  30. Apesar de tudo ele é um jovem de 16 anos com vontade de trabalhar e em vez de lhe fazerem as tais perguntas, peguem nele e ensinem-lhe a fazer um negocio legal com condições de trabalho para os seus trabalhadores. Este é o defeito de Portugal… Temos muitos jovens da idade dele que não sabem se querem tirar um curso, outros que nem curso nem o 9º ano fizerem e nem sabem o que fazer da vida…. Este tem uma vontade e como é típico, em vez de o ensinarem a andar pelo caminho certo empurram-no para o chão e tiram-lhe o tapete dos pés. Portugueses sejam mais solidários e aprendam a trabalhar em equipa, principalmente com jovens que tem vontades porque já existe muitas pessoas sem objectivos de vida por aí…. Ajudem os jovens a construir o seu futuro e principalmente o nosso!


  31. Andar-se a discutir o caso de um puto de 16 anos que foi à TV vender T-shirts (eu também iria se tivesse 16 anos, vendesse T-shirts e me convidassem para ir à TV) diz muito do estado desta coisa em forma de país. Acho.

  32. Cesargms says:

    Ate podiam ser produtos da Cochichina meus amigos o k estava em questão era a motivação do rapaz com apenas 16 anos, é por pessoas como alguns d vocês q cada vez há menos motivação nos jovens e cada vez eles preferem emigrar q ficar nesse pais cheio d gente podre! Em vez de apoiarem e darem forca a essa gente nova preferem procurar o mínimo problema q possa haver para lhes cortar logo ad pernas isto porque têm inveja e medo q um dia possam vir a ser mais q vos na vida!!!! O povo português esta a ficar cada vez mais podre por ter pessoas como vocês!!!!

  33. mapril says:

    João Joze Cardoso deveria era ter vergonha do que escreveu mas isto representa bem a mentalidade deste pais.
    Mentalidade tacanha.
    Toda gente se queixa mas ninguem faz nada.
    deixe lá o rapaz fazer a sua vida e faça por viver a sua, coisa que não deve acontecer pois deve perder mais tempo nas esquinas a falar mal dos outros.

  34. José Carvalho says:

    Gostaria de colocar apenas uma questão ao Sr. João Cardoso,
    Se sabe porque é que a fábrica da Opel na Azambuja fechou?

    Cumprimentos
    JC


  35. a forma como os esquerdalhos e os comunas se defendem uns aos outros é ternurenta. Faz lembrar os 100 milhões de mortos que o camarada estalino chamava de “estatistica”

  36. andré says:

    A direitalha atacou o blog…só rir com esta gentalha acéfala!


  37. Outra pergunta:
    Que é feito das miúdas giras, usadas pelo “betedor de punho”?
    Foram despedidas pelo “puto”, ou ainda colaboram com o farsante?


  38. que asco de post. “vamos lá escarafunchar a vida e o pequeno negócio de facebook do puto que ousou humilhar a camarada raquel em directo na televisão”

    que vergonha, JJC, que vergonha.

    • xico says:

      é a verdadeira mentalidade comuna… nng pode ver outro a ganhar dinheiro. Primeiro vem o julgamento em praça publica e só depois, e se se mantiver o interesse (pq geralmente parte-se logo para outro pobre coitado que faz alguma coisa) é que se averigua. Se estiverem errados, ainda vão arranjar maneira de criticar de outra forma.

      • Maquiavel says:

        É verdade, esta comunagem é demais, nng pode ver outro a explorar seres humanos, sempre preocupados com a dignidade humana! Irra!

  39. Isso says:

    E tu, além de escrever baboseiras fazes o quê?

  40. Hugo says:
  41. Mauro says:

    É assim no capitalismo, com todos os defeitos é possível a um puto de 16 anos ser empresário. Já noutras ideologias isso não é possível. Ahh e não creio que o miúdo ao ter dito que mais vale o ordenado mínimo do que nada esteja a apoiar o trabalho mal pago. É um miúdo de 16 anos, alguém se lembra do que é ter 16 anos? Há uma malta que na sua ideologia, quem não estiver com eles é fascista, haja paciência!

  42. brunno miguel says:

    não sei se é o caso mas quantas pessoas em portugal não pagam impostos?? tens uma lista enorme para fazer mas não devias começar por baixo!!!


  43. Mas será que ainda não se entendeu que se está a falar de um miudo de 16 anos??? Honestamente… Com tanto onde pegar vamos pegar numa situação destas. Não critico quem critica o rapaz critico sim a importância absurda dada a esta situação…
    Hoje ficou-se a saber que a Alemanha comprará mais uma parte de Portugal com a etrada dos investidores do KFW, isso sim é que me preocupa…

  44. Lorenzo says:

    como trabalho na belgica (b&c) vou verificar isso

  45. Ricardo says:

    Comeco por uma pequena confissao e dizer que raramente 1) vejo este tipo de programas e 2) nao costumo escrever em blogs contudo este assunto revolta-me por isso deixo aqui a minha opiniao.
    Portugal esta a viver uma das maiores crises do ultimo ano em que perdeu 3.9% de toda a sua producao(GDP) em 1 ano, a terceira maior queda do mundo atras apenas da Grecia e do Chile, e com uma das maiores taxas de desemprego do mundo.
    Escrevo do estrangeiro por isso tambem desde ja me desculpo pela falta de acentos mas olhando para o meu pais e com todos os problemas que tem nao deixo de ficar perplexo a observar como aqueles que tomam o problema de Portugal seriamente e tentam fazer alguma coisa pelas suas maos sem esperar que o governo, familia e amigos os ajudem sao criticados de forma tao mesquinha e absolutamente ridicula. Este rapaz nao se queixou dos beneficios que deveria ganhar, da falta de apoio do governo, da falta de emprego mas sim falou do o ele esta a fazer para lutar contra a situacao precaria do pais. JFK no seu discurso de inauguracao disse “Ask not what your country can do for you; ask what you can do for your country.”. Este rapaz esta fazer algo que nao so e para ele mas tambem para o pais. Nao estou a aqui a dizer que concordo com o valor do salario minimo mas estou aqui a dizer que a atitude deste rapaz e de louvar. Esta mais que provado que seras as pequenas ou medias empresas de hoje que serao as grandes empresas de amanha e pessoas com a atitude deste rapaz que apesar de todos os problemas do pais e da negatividade que o o rodeiam limitam e constrangem os cidadoes, ate o primeiro-ministro esta a “encorajar as pessoas irem para o estrangeiro, estao em falta e deveriam ser promovidas.

    Agora um palavra em relacao a empresa e modelo de negocio do rapaz, ao salario minimo e ao comentario da senhora Raquel Varela em relacao ao estatuto de emigrante no estrangeiro.

    Modelo de negocio: Parece-me a mim que existe um pouco e critica em relacao ao valor que a empresa dele produz. Sera apenas desempacotar e empacotar productos ou colocar estampas numa T-Shirt? Primeiro: Qual e a importancia desta pergunta? Por exemplo a coca cola e apenas um empresa de marketing que nao produz ou distribui nem sequer um litro de coca-cola? Muitas outras empresas entram nesta categoria e o que importa e que os seus clientes encontrem valor no produto!!

    Salario minimo: Seria que e justo pagar o salario minimo a empregados? Nao!! Mas sera justo nao lhes dar emprego? Sera justo para empresas como Ikea, Apple ou Sony em empregar pessoas no salario minimo? Todos deveriam se preocupar com isto pois muitos de nos compramos os seus produtos!! Mais, se pudermos pedimos desconto! Mas, a pergunta que me perturba mais e aquela que diz qual foi a real intencao da pergunta? Promover os seus proprios interesses pessoais de promocao pessoal? Despromover a atitude empresarial que jovens Portuguses precisam?

    Estatuto do imigrante: Portugueses e estrangeiros sao descriminados? Vivo em Inglaterra ha 10 anos e nao sinto nem vejo isso. O Antonio Osorio e presidente de um dos maiores bancos no reino Unido e tambem nao deve sentir isso! Aqueles que tem valor sao procurados e estimados pelas empresas independentemente da seu nacionalidade. O que mais me preocupa e porque este sentimento de vitimisacao. Em portugal os portuguese exploram outros portuguese com salario minimo e usam oportunidades como esta em que o rapaz estava a defender a sua propria empresa e o fruto do seu trabalho na TV e foi sumariamente abatido por aqueles que estudam historia. Mais estes sao os mesmos que pensam que somos tambem vitimas no estrangeiro e o mundo decidiu voltar-se contra eles. Este rapaz mostrou na TV que nao so dispensa e passa por cima de todas as criticas que lhe sao postos no caminho mas tambem mostrou que quando vontade existe tudo e possivel. A historia e importante nao so como exemplo do que mal se fez mas tambem como reflexao no dia de hoje, o presente. “History is philosophy teaching by examples.” Qual e o nosso e seu exemplo para aos muitos outros jovens de 16 anos que sera o nosso futuro??

  46. Paula Inácio says:

    Parabéns, José Carlos Martins!

    Estou absolutamente estupefacta com este sururu à volta do miúdo! O autor do post não teve a noção do ridículo? O que está aqui em causa é um puto de 15 anos ( no início do negócio) que teve imaginação! Vir com teorias contra o capitalismo e merdas afins é ter uma venda nos olhos! É confundir a nuvem com Juno! Faça essas perguntas a muitos empresários deste país e aos pascácios que nos governam! A sujeita sua amiga nunca passou por dificuldades económicas, certamente, e como disse o martim, é referível estar a ganhar o ordenado mínimo a estar no desemprego.

    Gente adulta que mais parece putos invejosos!

  47. Fábio says:

    Com tanto para se preocupar, vai-se preocupar com o trabalho de um rapaz de 16 anos que começa agora a lutar pela vida.
    Por isso é que este pais está uma valente M………..

    Vá dormir ou vá trabalhar, porque se estivesse ocupado, não teria tempo para pensar essas “coisas” que escreveu.

    Boa sorte para o futuro.

  48. Irónico says:

    Dispensam-se os morcões que vêm para aqui dizer caralhadas. Falta de nível, foda-se…

  49. Bruno says:

    Queres saber se ele paga impostos, mexe o rabo da cadeira e encomenda algo. Deves ser mais um dos gravatinhas que acha que mais vale o desemprego do que ganhar o ordenado minimo. É por essas e por outras que Portugal caiu no buraco no pós 25 de Abril

    • João Dias says:

      Ahh…estavas a ir tão bem e depois denunciaste-te com o “Portugal caiu no buraco no pós 25 de Abril”.

      Xiu, não era para perceber que são os reacionários de direita que estão a cavalagar esta onda do puto de 16 anos do “emprego mal pago sim, desde que eu possa fazer t-shirts/dinheiro com isso”. A ideia a passar é que o povo gosta de receber 485 euros e até fica agradecido porque podia estar no desemprego e, na verdade das coisas, os esquerdalhos que querem melhores salários e difeitos para quem trabalha são na realidade uns tiranos que atiram os portugueses para o desemprego.

  50. Carlos Veiga says:

    Pronto, lá veio o jornalista ressabiado defender a sua amiga!
    seja Martyim, To´mas ou Anacleto, o certo é que o puto chegou bem para a “çinhora dôtora”, e o resto é conversa!
    Ordenados mínimos? Essa senhora deve viver num mundo mto diferente do nosso! Ela que vá a uma das muitas filas da segurança social e pergunte ás pessoas que lá estão, desempregadas, desesperadas e a passar fome, se não se importavam de trabalhar para o Martim (ou outro qualquer!), a receberem o ordenado mínimo!

    Pelo menos o martim paga o ordenado mínimo e dá emprego, exatamente o oposto que o nosos governo faz!

    É caso para dizer: PORQUE NO TE CALLAS?

  51. Konigvs says:

    Não sei se nos concursos da malta dos blogues também há prémios para o “post” mais concorrido, porque se houver este deve já deve ter ganho de certeza e o ano ainda vai a meio!!
    A avaliar pelo e-mail completamente atafulhado de notificações de comentários pelo menos será forte candidato!
    Na blogosfera, Prós & Contras bate as discussões da bola, as novelas da igreja romana e os direitos dos homossexuais.
    O mundo só pode estar perdido.


    • Para a semana a Fátima vai fazer um debate sobre “os caminhos da estampagem de roupa no crescimento económico português”, para tentar manter as audiências.

      • Filipe says:

        Acho incrível o que está a suceder. Um rapaz tem uma ideia consegue demonstrar que tem algum sucesso apesar de não ser muito original e criticam e criticam. IMPRESSIONANTE. Ser empreendedor em Portugal é mesmo uma tarefa muito incomoda pois para além das burocracias do nosso estado e a falta de cultura nesta área a própria sociedade portuguesa é pelo bota-abaixo com mesquinhices incriveis.

        Um miudo fez um negócio, acho que este facto é relevante, tudo o resto é uma incrivel estupidez e que como o habitual os portugueses gostam de se entreter em vez de verem as coisas com objectividade e a realidade. Este Post sobre o Martim é mais uma mediocridade

  52. carlos jácome says:

    Adoro o meu país e os portugueses…adoro quem trabalha e cria emprego e riqueza…. adoro quem nunca fez nada na vida mas escreve bem…adoro o puto dsas camisolas e adoro o autor deste blog…longa vida aos dois…I love it!


  53. se andasse a passar droga ou em casa a jogar na playstation já era um puto maravilha… se tivesse nao querido nem passar droga nem jogar na playstation e aprender a fazer sapatos e depois vende-los passava a ser criminoso… é a mentalidade do país tambem chamado de republica das bananas

  54. André says:

    1º Os Ipads do programa, também eram made in Portugal? Ao menos na Bélgica paga-se bem pela mão de obra.
    2º As pessoas que vendem no OLX também pagam IVA? E no Custo Justo? E no coisas? Será que no ebay, se pagar com palpay, me enviam factura?
    São apenas curiosidades. LOL


  55. Eu pensava que as caixas vinham de Angola, quanto a Raquel não me vou pronunciar são realidades e de educação diferentes é da luta eu também o sou quando é preciso, mas passando ao problema/solução em questão empreendedores existem muitos alguns com dinheiro outros sem dinheiro muito ou pouco é dinheiro ,muitos tentam eu tenho 25 anos ,com 13 anos comecei a trabalhar ali e acolá e a estudar ali e acolá em Portugal,pensei em imigrar senti me escravo na mesma,mas pensei , vou fazer o que gosto quer ganhe ou não ganhe nem que passe fome, e fazer família? impossível. existe solução ? existe. talvez cooperativismo, com marcas ? sim.

    é preciso é meios de produção disponíveis para que a realidade dos precários e desempregados possam produzir e criar a sua vontade e mudar,

    e sim existe má gestão do estado a compactuar com os maus empresários,

    já ouviram falar em cooperativismo?

    juntar empreendedores,costureiros,jovens,velhos,designers,ilustradores,gestores,choffers dos correios,entre outros?

    ajudei a desenvolver algumas marcas este modelo de negocio não é novo mas com o facebook virou moda é um bocado ilusão é preciso ter conteúdo e ser inovador isto é bonito quando temos uma equipa a trabalhar constantemente e a divulgar com eventos concertos e ser realmente uma marca ,agora tentam nos vender um pouco aquela ideia és designer faz a tua marca, nem por isso podes não ser um bom gestor mas ser um bom artista e vice-versa, isto deveria ser abordado melhor porque existe muito potencial criativo e dar emprego a milhões de pessoas caso fosse produzido cá era óptimo e não só t-shirts, ferraris e naves espaciais também o processo de venda parece que é Fabricante (talvez Portugal,Angola ou Alemanha) – CORREIOS – Maudlin (estamparia) – ilustrador (ponto em falta de adição de valor) – CORREIOS – OVER IT – CORREIOS – CLIENTE FINAL

    ps: senão que s3 foda o trabalho,isto é bue de libertador ,olha o agora!agora agora xD


  56. Chamemos-lhe empresário, ao Martim. Querem ser empresários? Então não percam tempo: http://www.cafepress.com/
    Botem uma página no facebook, encomendem as vossas peças e já está, eu ofereço o logotipo, não espera lá… visitem http://creatr.cc/creatr/ e façam o vosso! Depois é só sucesso, empreendedorismo no seu melhor.

    *Nota: Demorei exactamente 4 minutos no google a pesquisar os links.


    • realmente é muito fácil Miguel; fazer as camisolas é o mais fácil que há. O problema é mesmo vendê-las e é aí que entra o saber fazer; isso não se encontra pré feito nos sites internacionais.


    • Tudo a cair em cima de um puto de 16 anos – até já teve direito a jornalistas a investigá-lo.
      A um puto de 16 que tem uma ideia e faz por concretizá-la só temos que aplaudir e dar força. Falem daqui a uns tempos, quando ele for adulto e tiver idade p pensar em mais do que a simplesmente pôr em prática a ideia que teve, sem pensar em burocracias, impostos, etc. Com 16 anos ninguém deve ter que preocupar-se com isso e toda a sociedade deve aplaudir quem se chega à frente.
      O autor do blog também deve criticar os escuteiros que vendem na rua sem passar factura. Não faças isso – uns e outros são só putos a aprender a criar os seus próprios rendimentos.

      Já agora deixo uma pergunta ao autor e defensores: quando o canalizador, carpinteiro ou electricista vai lá a casa.. é com ou sem factura? Quando vão à mercearia ou ao café.. é com ou sem factura? Aposto que os defensores deste post são os mesmos que criticaram o governo há meses atrás quando obrigou todos os estabelecimentos a passar factura e fazem questão de.. não pedir.

      Ao Miguel Lobo: tens t-shirts em casa? compradas em multinacionais estrangeiras? não foste fazer essa pesquisa em 4 minutos e comprá-las online? o que te fez comprar essas t-shirts é o mesmo que leva os clientes do puto a comprar-lhe t-shirts.

  57. Ifdl says:

    Dor de corno de um rapaz de 16-anos-16 !
    Arrranjem vergonha na cara.

  58. teresa says:

    Cambada de velhos do Restelo. Crucificam o miudo porque alguém resolveu dizer uma coisa certa num momento muito inoportuno. O rapaz ao menos criou o posto de trabalho dele e, se quiser ir aos festivais de verão ou beber uns copos no tamariz, não tem que ter “Paitrocinio” como todos os outros da idade dele.

  59. Rafael Lopes says:

    Texto básico. Não percebo o carácter defensivo do mesmo e começo a ficar farto dos bloguistas que arrotam postas de pescada. Preso por ter cão, preso por não ter. Até culparam o puto pelo facto do ordenado mínimo ser uma vergonha. Se pagam €500 ou €600 a um quadro médio altamente qualificado, porque carga de água pagaria mais do que €485 a operários fabris? Não percebo. O puto mexe o cú e é cruxificado por estes “over educated pricks”* que passam os dia agarrados ao ipad a tecer considerações porque deixaram de ter vida própria.
    *esclarecimento ao idiota que escreveu esta merda: traduz tu, com os cornos. O nível desta (minha) msg é proporcional à mentalidade do visado. Ass. Rafael Lopes.

  60. Gonçalo Silva says:

    Não vi este programa, simplesmente vi um excerto do Martim com a intervenção da Raquel Varela. O que achei algo despropositada, a intervenção desta, mas por outro lado vi um diálogo vazio de conteúdo por parte do Martim, com aquela declaração como cereja no topo do bolo, ao estilo “sofri um acidente e perdi uma perna, mas mais vale ter uma do que não ter nenhuma”, o que é verdade, mas não é certamente o desejável, todos pretendemos obviamente ter duas pernas. Fui ver o facebook da sua empresa, bem como o seu site. Os seus productos parecem me banais. Pouco originais. Trabalho no ramo criativo, e do meu ponto de vista são peças de pouco valor visual, conceptual e gráfico, e por isso com pouco valor comercial. E no fundo seria isso que distinguiria a Over It das outras milhentas marcas que existem.

    Deixo apenas uma questão. Li diversos comentários sobre o miúdo, e a inveja que alguns nutrem por ele estar largas quantias de dinheiro com a sua empresa. Mas alguém sabe quanto realmente esta empresa lucra? O Martim revelou essa informação? O Martim exporta? Em que quantidades?

    Tenho medo deste empreendedorismo, que defende a exploração dos outros para nosso proveito, que faz querer que uma qualquer ideia fraca tem sucesso, que as empresas não se medem pela sua capacidade de criar riqueza para os seus donos e para o seu país.

  61. Enigma says:

    afinal em que ficamos? ja se sabe ou nao NIF empresa, legalidade e modelo de negocio? Estamos perante um caso de sucesso legitimo de empreendedorismo a saudar ou apenas (mais um) chico-esperto rei do mercado paralelo e fuga ao Fisco?

  62. António Paulo Silva Duarte says:

    Pelo menos o miúdo ainda faz alguma coisa! A maioria dos infelizmente desocupados deste país preferem ficar em casa a gozar o subsídio de desemprego e a lamentar a falta de sorte. Felizmente não estou nessa situação, mas se estivesse, sentiria vergonha por haver um míudo de 16 anos que ousou fazer algo que eu próprio não tinha coragem para fazer. Esta é a grande verdade: a inércia de um país de chorões que não se querem mexer. e exploram os recursos do País até ao tutano.


  63. Oh chefe arranca mas não faças póh….TXIIIIIIIIIIIIIIIIII tá demais o bar da praia mano……

  64. Rui Sousa says:

    Tanta defesa da tua amiguinha ò palhacito… Vão mas é trabalhar!!! Doutores que sabem tudo sobre o trabalho e ordenados minimos sem nunca terem realmente trabalhado… Chulos é o que vocês são e à procura de notoriedade sem esforço…

  65. Fernando says:

    Mas esta gentinha que escreve aqui, em vanglórias de “empreendedorismo” asiático, esta jovenzada, passe a criação linguística, por analogia de manada, … que podia ser rebanho, tem alguma ideia do mundo em que vivem, do mundo em que viveram os seus antepassados, idos ou vivos ainda, mas passados, … ? Porque não, já agora, com tantas casas devolutas a caírem de podres, será que podem ser a sede ou as instalações empresariais das novas organizações de emprego … do estilo da Malásia ou Tailândia, ou outras já por perto, … em que se dá um passo e o chão treme …será que as podemos aproveitar para futuros “empresários” de 12 anos possam vender gelados … via Internet … sorry gelados não claro, maybe caixas de papelão que podem vender, revender melhor dito, talvez de refugo de chineses por aí às pazadas a venderem merda que só dura algumas horas de uso ? … Tenham juízo, isto não é só escrever, é preciso primeiro ler, estudar, meditar, tentar fazer um esforço de compreender as coisas do homem bicho que se rege pelo lucro … sim, não, pois … não … mas o lucro da inteligência e saber que lhe virá do conhecimento da história … olhem destas coisas que são faladas, badaladas em Prós e Contras regidos por gente que se fores ver em que classe estão (está) montada … abrias os olhos para tanto, …. filho(a) !


  66. Os portugueses estão doentes..!!Continuem a discutir uns com os outros dessa forma..é assim que se resolve o verdadeiro problema…..

  67. Max lemos says:

    O cara tá trabalhando certo aí todo mundo vai em cima dele querendo acabar com seu filme
    . Se fosse um bandido daria razão mas ele não ta roubando ninguém.

Trackbacks


  1. […] Ou como o empreendedorismo acaba sempre por tropeçar nos próprios pés. […]


  2. […] quem estiver interessado em descobrir quem são os colegas da nomenklatura de Raquel Varela, basta ler isto e […]


  3. […] de esclavagismo será o jovem e promissor (na suprema arte da exploração dos mais fracos) Martim mais a sua horda de apoiantes e admiradores. Ganham 200 euros por mês? Pelo menos […]


  4. […] Ou como o empreendedorismo acaba sempre por tropeçar nos próprios pés. […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.