Boys, boys, boys

Não, não é a música da Sabrina. Mas podia muito bem ser até porque, se à coisa que estes gajos gostam, é de mama e de coçar a micose no summertime love das universidades de verão.

Longe vão os tempos em que o grande aldrabão afirmava que não iria “enxamear” a Administração Pública de boys do seu partido. Anos antes, em 2005, Passos ia mais longe e defendia com convicção que “Um membro do governo tem direito a escolher um chefe de gabinete, uma ou duas secretárias de confiança e um ou dois adjuntos. Acabou“. A realidade, essa danada, conta-nos uma história bem diferente: os boys multiplicam-se, podem sair da fábrica imunes a cortes, alguns são pagos pelo orçamento da AR e, imagine-se, chegam mesmo a ser “especialistas” aos 21 ou 22 com a função de acompanhar questões menores como o programa de assistência financeira.


Hoje, 4500 boys depois (números por alto nivelados por baixo), fiquei a saber que há um secretário de Estado, alguém que até se prepara para efectuar cortes de 15 milhões de euros na área que tutela, que nomeou um experiente assessor recrutado ao regimento jota do partido laranja. Trata-se de um mestre de 24 anos que conta já com o invejável currículo de 3 workshops e que irá auferir uns míseros 3069,33€.

Parece-me coerente. Não só pela evidente experiência do rapaz mas também porque, afinal de contas, o gabinete de Jorge Barreto Xavier só tinha ainda 3 adjuntos, 7 técnicos especialistas, 2 secretárias pessoais, 1 chefe de gabinete, 1o técnicos administrativos, 3 técnicos auxiliares e 3 motoristas. Estava-se mesmo a ver que lhe faltava um assessor com um CV rico em workshops.

Comments


  1. Enquanto não se puser travão a estas cunhas, este país dificilmente andará para a frente e infelizmente isto não se passa só ao nível do governo. Nas câmaras, juntas, fundações, etc., quem não tiver cunha, é cidadão de segunda, por muito bem qualificado que seja. E o pior é que essas cunhas não se destinam a satisfazer as necessidades do serviço, mas sim a arranjar um tacho aos amigos, primos e afilhados.

Trackbacks


  1. […] de um qualquer messias de uma daquelas seitas ultra-radicais que antecipa o Apocalipse, os boys continuam a crescer e a multiplicar-se. Segundo o Jornal de Negócios, a Segurança Social está “enxameada” deles. Há um […]


  2. […] se torna particularmente grave considerando que estivas lá quando ela foi aprovada. Com tantos boys abanadores de bandeiras à todos à tua volta, não me digas que não houve um com neurónios […]


  3. […] problema é que alguns amigalhaços do primeiro-ministro são bastante dispendiosos e, em muitos casos, verdadeiramente inúteis. Ele nem queria dar emprego aos amigos mas nisto da […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.