Soneto Bracarino*

“A Vraga do São João
Transita pela baleta
E deus Vaco, do garrafão
Fez dum vácoro bedeta.

Ai o binho, João, ai o binho
Mais santa é a voa vevedeira
De correr atrás dum vacorinho
Em vondosa vrincadeira.

Tudo tão vom e velo, criancinhas
Correi, correi, ó indolentes
No interbalo do binho e das sardinhas…

Correi, que ganham bossas mentes
Correi, que o binho é gasolina
Correi, correi, ó inocentes…

Fernando Castro Martins”
(via FB)
* a propósito de um retrocesso civilizacional acontecido hoje em Braga.

Comments


  1. depois de caçar o perigoso porco, acho que era de ir ali queimar umas bruxas. nada de acendalhas, ou é à moda antiga ou não vale a pena!

Trackbacks


  1. […] nome da “tradição“, venham de lá esses […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.