*Este post contém uma total ausência de empreendedorismo

 

Hoje ouvi o Ministro Pires de Lima na sic notícias a falar sobre os benefícios do empreendedorismo (fiquei sem perceber se isto é recente ou se é uma entrevista antiga mas para o caso não interessa muito). Porque foi a criação de novas empresas e negócios que ajudaram – e ajudam, assumo – Portugal a sair da crise, e que estes são os sinais de retoma da economia portuguesa. Passando à frente desta banalidade, Pires de Lima voltou à carga com a ideia maravilhosa de ter a disciplina de empreendedorismo nas escolas (no básico!). Porque é preciso incutir nos jovens a importância das potencialidades das novas tecnologias e indústrias, é importante estabelecer parceiros de negócio, é importante ensiná-los a construir uma empresa.

Não passa pela cabeça do Pires de Lima que a ambição de alguns jovens pode passar por outras coisas. Se calhar o que o João quer ser é xadrezista. Ou médico. Se calhar a Filipa quer ser cantora ou filósofa ou quer passar o resto da vida a resolver problemas complexos de matemática, e ambos têm zero interesse em construir uma empresa. Ao Pires de Lima nada disto ocorre. Também não lhe ocorre que nos países civilizados toda a gente sabe que estas “skills” que ele considera tão importantes, se aprendem – se é que se aprendem – num curso de três semanas. Não ocorre ao Pires de Lima que o importante é ensinar os jovens a fazer contas, a ler, a pensar, a falar outras línguas.  Não lhe ocorre que disciplinas como “empreendedorismo” terão tanto ou mais sucesso como Área de Projecto ou Formação Cívica – ou seja, formas de retirar tempo a discplinas válidas como Português, História, Matemática, Ciências.

Nada disto lhe ocorre. É uma pena.

 

Comments

  1. Carlos de Sá says:

    Pires de Lima é presidente da cervejeira do Norte por via do nascimento, não da competência – e a empresa já tinha quadros de excelente nível quando ele lá foi parar. Isso explica a aparente discrepância entre o desempenho do ministro e a fama do “gestor”.

  2. Nightwish says:

    E também não lhe ocorre, porque esta gentalha é toda ignorante da realidade, que os países com mais empreendedorismo são os países pobres, como Portugal, onde se abre cafés e restaurantes em todas as esquinas e as grandes empresas mal inovam porque pagam mal e não dão importância nenhuma aos seus trabalhadores que eventualmente fogem para outro país.


  3. Coitadinhos de TODOS os “pires” de LIMA e do “solo” que produz tais “limazinhas”


  4. As estatisticas mais importantes para serem divulgadas nos m3(r)dia acerca do empreendedorismo:

    90% das empresas start-up entram em falência em 3 anos
    3/4 nunca dão lucros na sua vida activa

    É esta a estatística que conta quando eu informo pessoas que querem serem empreendedores(e eu trabalho nessas áreas mas não invento alegorias nem amacio a pele dos que arriscam).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.