Cavaco: entre o delírio e a inspiração divina

Cavaco desfocado

A minha dúvida relativamente a Cavaco Silva é se existe algum tipo de estratégia por trás de declarações deste nível de inconseguimento  ou se se trata apenas de perda progressiva de lucidez. Apesar de ambas as opções me parecerem válidas, estou mais inclinado para a segunda, até porque momentos de falta de lucidez são coisa a que o senhor Aníbal nos vêm habituando. Claro que, entre o batalhão de assessores e restantes membros da sua dispendiosa corte, alguém o deveria ter avisado que o Passos e Maria Luís já tinham informado o país sobre a inevitabilidade do efeito BPN sobre os contribuintes. A menos que Nossa Senhora de Fátima lhe tenha aparecido e revelado que estaria pronta para inspirar uma solução alternativa. Não seria a primeira vez que a sua inspiração intercedia por nós. Afinal de contas, ontem foi 13 de Outubro

Comments


  1. Ter ou não ter Cavaco: qual a diferença?

  2. Américo Montez says:

    Conclusão: A narrativa dos assessores e as pastilhas prá carola do gabinete médico fazem milagres.

    A treze de Outubro, no Palácio de São Bento, apareceu brilhando, o virgem político.
    Avé, avé, avé Ó Caco, avé avé avé Ó Caco.


    • que bela versão desse clássico que religioso Américo Montez. é possível que Cavaco tenha apanhado muito sol na moleirinha como os pastorinhos e ficado sujeito a alucinações pernamentes. um caso clínico!


  3. O que nos deve preocupar a todos é isto: qual o estado de insanidade mental de um país que elege “isto” para presidenciar a res pública?
    É que eu tenho quase a certeza de que não foram os espanhóis a elegê-lo. E isto diz muito sobre o grau de imbecilidade dos portugas…


    • diz mesmo jmc. se há culpados pela perpetuação deste gajo no poder somos todos nós, os que votam nele, os que não votam contra ele e os que ficam em casa e permitir que “meia dúzia” seja suficiente para eleger esta coisa…

      • Nascimento says:

        Ora nem mais…mas não se esqueça da BOA IMPRENSA.
        Ainda estão todos no activo.Todas as noites.E alguns “heróis”, já voltaram prá cerca (Manuel Alegre).


        • boa imprensa? qual é? quanto aos heróis que querem voltar ao activo, quer me parecer que o Alegre é o menor dos nossos problemas. pelo menos considerando a corte do António Costa…

  4. portela says:

    Inconseguimento? Tem graça, ali em São Vicente de Fora, no Largo das Pichas Murchas, há uma clínica de recuperação funcional, a quem foi atribuído esse epíteto.


    • o inconseguimento é uma maleita que persegue sociais-democratas (seja lá o que isso queira dizer) sem dó nem piedade. alguns como a presidente da AR parecem consumidores de LSD nas horas vagas. alucinam que se fartam 🙂

Trackbacks


  1. […] Cavaco: entre o delírio e a inspiração divina. […]

Responder a João Mendes Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.