A canalhice passeia-se nos Ídolos

Um professor do miúdo que foi torturado num canal de televisão explica tudo (ligação para o Facebook):

O jovem de quem se fala é meu aluno. Tem 16 anos. Frequenta a aula de Português Funcional numa turma de Educação Especial. Sendo menor, foi certamente autorizado a concorrer a este concurso da SIC. Mas certamente a sua encarregada de educação (que não é nem a mãe nem o pai e isto talvez não seja por acaso) não imaginava que ele ia participar num concurso onde toda a gente, desde os elementos do júri até à produção, passando pela direção de programas e pelos responsáveis pelo canal e outros trâmites que desconheço parecem divertir-se a cometer monstruosidades, como ridicularizar publicamente jovens ou crianças que já têm problemas suficientes na sua vida há muitos anos.

Rafael Tormenta acrescenta que o rapaz “está fechado no seu quarto há alguns dias“.

Uns dias atrás, em Coimbra, correu outro disparate, em que um cantor foi enxovalhado por um idiota que o baptizou de “alternativo de Coimbra”, expressão que por mero acaso encaixa num Zeca Afonso, num Adriano, numa Né Ladeiras, no Paulo Furtado ou no JP Simões, tudo gente menor no canto nacional.

Mas isto ultrapassa todos os limites. Depois digam que é a liberdade, como se ela não acabasse onde começa a desta vítima, e não fosse isto uma prova de como a ideologia do sucesso individual, a lavagem cerebral que já se aplica nas escolas, manipula a seu belo prazer.

Comments

  1. Escatota Biribó says:

    Não vi o programa, nem vi o que fizeram ao miudo

    Mas só o que aqui foi dito, deu-me muita vontade de castigar quem o fez.

    Não me cabe a mim castigá-los, infelizmente, ou quem sabe felizmente, nem tão pouco desejar justiça no castigo, daquele tipo de sentido de justiça, que nasce com cada um, mais ou menos adormecido….

    porra, coitado do miudo


  2. O júri dos ídolos, salvo raras excepções, é composto por gente vulgar, sem nível, que se julga superior aos candidatos. Por isso, goza à grande, enxovalhando as “vitimas”, e atentando gravemente contra a sua honra e consideração. Ou adoptam outra postura, ou essas pessoas devem ser apeados do lugar. Tão simples como isso.No caso concreto, foi vergonhoso, como tem sido noutras ocasiões. Este caso não é virgem.

    • ZE LOPES says:

      Tem toda a razão. O problema ético deve ser, no entanto, bem mais sério. A coisa está antes do júri. Dos milhares de candidatos, quem seleciona os que irão ser emitidos? Em relação aos que têm alguma “qualidade” a demonstrar, tudo bem! E os que, claramente, numa primeira triagem, não a têm? Quem vai ser exposto, em maior ou menor grau, ao ridículo só para, como diria o outro “gaudio da populaça” ou “divertimento do indígena”? É aí que começa a alarvice, alimentada pelos inenarráveis membros do “júri”.
      Vejamos: as pessoas são lançadas numa sala onde têm “a seco” de cantar, sem qualquer referência. Não há alguém para lhes “dar o tom”, amplificação mínima, nada! A maior parte das canções “mainstream” que o “júri” costuma premiar são melodias pobres que não sobrevivem à falta de harmonia mínima ou mesmo de eletrónica pura (daí que os que se conseguem acompanhar à viola levem sempre alguma vantagem).
      Quanto ao “júri”, nunca ouvi o Sr. Matadouro cantar, mas gostava! Talvez um destes dias lá pela SIC Radical, esse repositório permanente de “programas educativos” para a nossa juventude…
      Não, não sou moralista. Mas quem acha que a esquerda é desprezível e goza (ou deixa que gozem) com a aparência de um miúdo, merece o quê?

  3. Carvalho N.A. Folha says:

    E por que raio há-de uma pessoa perder o seu tempo a consumir lixo televisivo?
    Se o programa existe é porque alguém o vê.
    Já ouviram falar num pequeno objecto que serve para mudar de canal ou, melhor ainda, desligar a maldita caixa? Sim, é o comando.
    Agora se consomem a porcaria, depois não se venham queixar de que é porcaria; ela existe porque a consomem.

  4. Konigvs says:

    A canalhice não é do canal, mas sim de quem contribui para as audiências. Se as pessoas não vissem a merda que passa na televisão os canais teriam de tentar subir um bocadinho os padrõezinhos e ir de encontro à exigência do consumidor.
    Como as pessoas insistem em dar audiências à merda, é merda que têm, e cada vez mais mal cheirosa.

  5. Joana says:

    Sinceramente, sempre achei este programa execrável e estava convencida que os candidatos ridicularizados eram contratados precisamente para fazerem de palhaços. As situações sempre foram miseráveis e desconfortáveis se me recordo até para o telespectador. Mas nunca pensei que um concorrente, ou o respectivo encarregado de educação aceitasse a exibição pública da sua “humilhação” apenas porque sim e não fosse devidamente informado do seu direito a não autorizar a divulgação. É isto que me preocupa, se afinal é tudo “autêntico”, as pessoas não têm mesmo a mínima noção dos seus direitos constitucionais. E estão dispostas a tudo.

  6. maria celeste ramos says:

    Não sei se há pessoas dispostas a tudo ou sequer se todos sabem ao que vão – Seja como for, em tudo há uma grande vulgarização a que chamam liberdade – que vira libertinagem e fica a confusão E todos se queixam de não importa o quê (eu sou muito queixosa também) porque há um arrazar de valores e princípios gerais e específicos, e não importa quem já não chama alguém de senhor doutor, mas sim de sr Manuel, senhora Maria, num país de que bastante formal q.b.. mas elegante e mesmo requintado, passou a quase “ranhoso” E vem a propósito o jornal que já nem recordo o nome (Hebdo) que ridicularizou os muçulmanos e deu tiros e mortes e li aqui a defesa da tal liberdade sem limites que deu para matar – assim magoar um menino que ninguém conhece nem sabe se tem ou não problemas de não importa de que ordem que nem revela e as orelhas “tão diferentes do padrão socialmente aceite para não ser humilhado por colegas e pior na TV” – Pergunto, baralhando tudo, se não se tem de APRENDER e ENSINAR que não há nada SEM LIMITES – e quem ensina a quem desde quando e onde – Eu gosto de limites – Mas antes de mais ~e fundamental que os professores não chumbem a português para ensinar BEM os seus alunos, que não façam pornografia nas Escolas com e sem alunos, para se crescer saudável e com a dimensão mais rigorosa do que vale e do que não deve valer E quem são afinal os membros do júri da TV que não têm filhos com orelhas assim e tratam de facto mal os concorrentes que nem sei como se aguentam firmes – e que nunca ninguém criticou senão depois de fazer tanto mal a tal menino sem saber, sequer, que meninos desta idade se podem até SUICIDAR ?’ até só por sua mãe o ter proibido de estar muitas horas deante do computador quendo afinal paizinho e mãezinha andam horas seguidas de telemóvel pendurado na orelha a fazer figuras de parvos, autistas a andar a correr pela rua da cidade e ninguém diz nada ?’Por mim se estou com alguém do habitual e me deixa de palavra a cair da boca e interrompeu com o telemóvel 3 dias seguidos, levantei-me e nunca mais permiti que tal pessoa se sentasse na minha mesa – este jugging assim denominado (????) medicamente não é assim também a liberdade de deixar os outros à espera para continuar conversa interrompida ?? Comigo não certamente Nem sequer uso telemóvel que está em casa – E quem tem pressa de me encontrar que o faça quando sabe como eu funciono mesmo que possa haver excepcção o mas sou eu que a dou e reservo-me o direito de não aceitar a excepcção alheia ad hoc Não foi Einstein que disse que o homem quando usar em excesso a máquina fica máquina ?? Pois É Stanlley Kubrick – 2001 Odisseia no Espaço – a máquina PIFOU – nunca teria eu um carro que se pode programar itinerário velocidade e não sei quê e posso ir a dormir ?? Não, o automatismo também dá a maior incapacidade – os homens robot – a vida robotizada – há limite – O menino das orelhas grandes não pode ser humilhado e ofendido em parte nenhuma do mundo e Instrução e educação precisam-se e, também, as meninas da TV têm de aprender a ler as notícias e não trocar os pés pelas mãos e fazer entrevistas em que falam 2/3 do tempo da entrevista e o entrevistado fica, como eu, com a palavra a meio caminho além de falarem a correr como se alguém estivesse a empurra-las – são pequenas coisas apenas na aparência que já ninguém dá por elas e, já agora, amiguinho hoje por causa do telemóvel disse que os meninos já nem sabem escrever pois que habituados aos sms e palavras abreviadas, acabaram por nem saberem como se escrevem – nunca tal tinha ouvido Pois é as Caricaturas dos muçulmanos dão que pensar – não para mim que não aprendi a desrespeitar os outros – Pois é e, hoje, ainda mais uma vez, alguém telefonou a impingir algo da ZON e chamou o nome correcto e passou para srª Maria – disse-lhe que não era peixeira e desliguei – tinha-lhe perguntado a idade – 26 anos – já dá para saber que não se trata assim quem não se conhece – Não não se trata mal um menino adolescente com um problema físico que certamente tem também, psíquico em qualquer lado onde vá E se em casa não ~e protegido e ganha força para resistir, a Escola tem obrigação de ensinar e formar e dar confiança e viver em ambiente hostil – mas se há professores que já nem sabem escrever, pergunto eu se também não trocarão as sílabas átonas pelas tónicas e etc – Promoção automática querem – por direito – dizem – exames ~e que não – reciclagem é que nunca pois que 10 anos de ensino é mais que muito – e querem estar no topo de carreira – nota-se pelos resultados que já não têm com quem aprender – mas vão para Bolonha claro – mas sem emprego correm para Inglaterra e Alemanha e chamam-lhe um figo e arramjam sempre emprego – na europa como será afinal se os emigrantes vão aos milhares ?? Serão todos “ronaldos” ??

  7. Rui Moringa says:

    A besta anda por aí…E fala…Para milhares. Reduz a “lixo” o que encontra pela frente.

  8. Luís Coelho says:

    Convida-se alguém para vir a nossa casa para ser insultado? É isso que fazem os senhores da SIC nas suas casas?
    Não havendo demissões, é porque nem sequer há vergonha: quanto mais sangue, melhor. A bosta fede

  9. Manuela Cerqueira says:

    Não vejo o programa em questão: primeiro porque já quase não vejo TV, devido às náuseas q me provocam as pretensas lavagens cerebrais perpetradas por energúmenos. Em segundo lugar, e no caso deste programa em especial, não perco o meu precioso tempo a ver cabeças ocas a pavonearem-se à custa do tempo de antena q os portugueses lhes concedem. Sim concedem, porque, por mim, já estariam todos a trabalhar, A SÉRIO, se é q me faço entender. Em terceiro lugar, houve alguém q disse q o poder só sobe à cabeça quando encontra o lugar vazio e, os constituintes daquele júri são, p/ mim, um exemplo vivo desta pertinente observação…

  10. João Gil says:

    Se fosse comigo, aproveitava a popularidade para ganhar uns tostões. Todos os que participam neste tipo de programas sabem para onde vão e devem assinar um contrato a ceder os direitos de imagem. Neste caso em particular e uma vez que se tornou viral, eu se fosse o rapaz procurava as pessoas certas e avançava com um espetáculo para rentabilizar toda esta popularidade. Garanto que não iriam faltar pessoas para o ver e conhecer. Tem que ser é rápido pois, tal como surgiu a popularidade assim desaparecerá também

  11. Manuela Cunha says:

    Em primeiro lugar se fosse eu o rapaz, estava-me nas tintas para o resto do pessoal que carneiramente passou a criticá-lo. Todos nós temos coisas no nosso corpo de que não gostamos e umas são mais visíveis que as outras. Isto para não falar quando se tem uma doença daquelas que ou cortas ou morres mesmo. Assim sendo, eu avançava altivamente por entre os desgraçados de espírito e nem lhes ligava peva! Só assim o rapaz enfrenta de vez e cresce, fica forte e nunca mais quer saber de quem diz o quê.
    Depois não vejo programas portugueses, por causa destas e outras situações. Mas a comunicação social não pára de falar deste caso e eu tive conhecimento. Infeliz. Como existe tanta gente complexada e de baixo nível, é natural que denigram ao máximo os outros para não olharem para o seu umbigo. Eu se fosse dona da SIC e da empresa que produz o programa, despedia-os a todos. Há tanta gente bem melhor a querer trabalhar e que fazia um trabalho bem melhor que limpava o lixo para onde ele deve estar!

  12. NIKO says:

    SRº Balsemão ,está a espera de quê para correr com aqueles mal educados .

  13. Konigvs says:

    SIC, um canal respeitável, do “espetáculo em movimento”, que não quis o Grande Irmão porque era lixo, mas que depois andou a fazer audiências semanas a fio, humilhando uma miúda só porque não sabia o que era um vibrador, isto há 14 anos atrás. Não quis o Grande Irmão mas comprou outros programas de gosto ainda mais duvidoso.
    Ainda bem que o outro canal… Ah espera, a TVI, o canal do Grande Irmão, é outro canal respeitadíssimo pelos seus programas edificantes. Seja bem vindo ao admirável mundo novo dos dois canais privados em Portugal.
    (A propósito, eu não tenho televisão há ano e meio)

Responder a NIKO Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.