Livrem-nos deste ministro por favor!


Leal II

São dias tristes para a saúde em Portugal: o Jorge sem médico de família, o sector privado a aproveitar a movida ideológica dos radicais que nos governam e que deixaram o SNS de rastos para obter lucros estratosféricos e um novo ministro da Saúde que ou não tem mínima noção do sector que tutela ou nos toma a todos por parvos. Para bem da saúde dos portugueses (física e mental), parece que está a prazo.

Leal da Costa, ministro da Saúde daquele que poderá vir a ser o governo mais curto de sempre – é pelo menos essa a convicção do Secretário de Estado Adolfo Mesquita Nunes e de milhões de portugueses que votaram contra os fanáticos da austeridade – foi o Secretário de Estado da Saúde de Paulo Macedo que, depois de um início de ano agoniante nas urgências portuguesas, marcado por várias mortes no seio de um SNS incapaz de dar resposta à afluência normal de pacientes, afirmava em Abril que a reportagem da TVI que retractava a extrema gravidade do problema era “uma reportagem que só vem confirmar a opinião que eu tenho que os serviços de urgência em Portugal funcionam muito bem” e que, perante a interpelação da jornalista que referia testemunhos de profissionais do SNS que se queixavam de inúmeras carências, incluindo a falta de equipamento básico como botijas de oxigénio, Leal da Costa contra-argumentava afirmando tratar-se de propaganda comunista e que nada daquilo que era mostrado na referida reportagem era efectivamente demonstrado, apesar das queixas do bastonário da Ordem dos Médicos que garantia que os cortes efectuados no SNS o tornavam insustentável.

Será que este propagandista com a sensibilidade de um tijolo tem competência para estar à frente de um ministério tão fragilizado e fundamental para a vida da maioria da população portuguesa? A julgar por estas declarações não só não tem como é um atentado ao seu bom funcionamento. Livrem-nos deste ministro por favor!

Foto: Pedro Catarino@Record

Comments

  1. José Ponte says:

    Atirem-lhe com um tijolo, sff..

    • luis barreiro says:

      A constituição não devia de permitir ministros capitalistas fascistass. esses deviam de levar com um tijolo, só ministros de esquerda socialista deviam de ser permitidos, os portugueses são burros e não sabem votar.

      • Nascimento says:

        Oxalá nunca tivesses precisado e venhas a precisar deste tipo de “médico”,no IPO de Lisboa…nem a bata veste. Mas isso, animais como tu não sabem.

  2. Como utente do SNS há algumas coisas que me incomodam e não vejo resposta da parte dos idiologos da saude gratuita para todos.
    1 Trabalho na expo e moro em Cascais. Quando tive uma febre preocupante, no emprego não pude ir ao centor de saude ali perto e tive que fazer os 30km até perto de cas. Porquê? Não sou utente em pleno? A consulta “gratuita” (custou a todos os contibuintes 78€) ficou-me por meio dia de salario directo.
    2 No hospital onde sou tratado, os meus vizinhos que têm um salãrio triplo do meu ,pagam a mesma taxa moderadora. Será que os que ganham mais precisam desta solidariedade dos que ganham bem mesmo que com os seus impostso subsidiam a sua saúde? e é justo? e é economicamenete sustentavel e correcto?
    3 A confiança que tenho no médico, não depende dos meus conhecimentos de medicina, mas sinto-me mais confiante ser eu a escolher (a ciencia comprova que tenho razão). Para mudar de medico, tive que mudar a residencia para o Algarve durante seis meses, para depois poder pedir a mudança de residencia e então escolher o medico que gostava. Será que não sou idoneo, para escolher o medico? Não pago impostos o sufeciente? Sou membro de alguma seita secreta que me dirige a escolha do medico? Tenho o cartão de utente do SNS mas só posso fazer o que me mandam?

    • Nascimento says:

      “Quando tive uma febre preocupante, no emprego não pude ir ao centor de saude ali perto e tive que fazer os 30km até perto de cas. Porquê? Não sou utente em pleno? A consulta “gratuita” (custou a todos os contibuintes 78€) ficou-me por meio dia de salario directo.”

      Ó parvo; e quem será O PAI DA CRIANÇA? Olha bem para a FOTOGRAFIA ESTÚPIDO!!! Só falta o homem da MÉDIS!!!
      Há tipos que, quando escrevem ,sem terem memória ,só dão tiros nos pés…e tu és um deles.
      Eu explico-te, meu animal: se por acaso, fores até Almodôvar, e te der uma CAGANEIRA ,E TE CAGUES PELAS PERNAS ABAIXO CADA 5 MINUTOS, o SAP DE ALMODÔVAR ( custou 1 milhão de euros em 2009, e é lindo) não te atende!!! E ESTÁ ÁS MOSCAS E É NOVO!!! MAS, TU NÃO VIVES EM ALMODOVAR, LOGO VAIS TER DE IR PARA UM ” HOSPITAL CENTRAL”….EHEHEHEH ….E VAIS SER ATENDIDO A 22 KM, EM CASTRO VERDE!!! TÓPAS ANIMAL?
      SABES QUEM FEZ ESSA LEI DE CONTENÇÃO DE CUSTOS? O BOCA TORTA que tu e os merdosos de direita tanto ADMIRAM!!!! POR ISSO VAI-TE QUEIXAR PRÓ CA….LHO!
      E para a próxima ,oxalá que uma vespa te pique no cu, e o SAP DE CASCAIS ESTEJA EM GREVE!!!

    • 1. verdadeiras urgências são sempre atendidas. se não no centro de saúde, no hospital mais perto.

      2. não se diferencia nas taxas moderadoras, diferencia-se a montante, nas contribuições, escalões de irs, essas coisas. caso contrário criar-se-iam as condições para o aparecimento de tratamentos de saúde diferenciados. um sistema para pobrezinhos e outro para ricos, ainda mais do que já está a acontecer com estas privatizações todas. a saúde deve ser igual para todos.

      3. não se escolhe o médico da mesma maneira que não se escolhe a escola pública. parte-se do princípio que a qualidade é transversal a toda a rede e que não há qualquer vantagem em possibilitar a escolha. pelo contrário, há desvantagens para o sistema, que poderá ficar demasiado sobrecarregado em algumas zonas e sub-aproveitado em outras, dependendo da subjectiva popularidade do centro de saúde e/ou médico.

      da teoria (boa) à prática (sofrível) ainda vai grande distância, mas tal prende-se mais a sabotagens exteriores (sub-financiamento, má gestão de recursos, concorrência desleal de grupos privados e semi-privados demasiadas vezes financiados à descarada por fundos retirados ao sistema público) do que a defeitos de base.

  3. Ana Moreno says:

    O ideal era que quando estivesse a precisar de ir ao médico, esse ministro fosse obrigado a ir para um hospital público, a ver se funcionam mesmo muito bem. Mas não, ele certamente acha mais interessante ir investigar se os privados são mesmo melhores…

  4. FilipeMP says:

    Um cancro por assim dizer.

  5. Fiquem descansados que este moribundo em breve se tornará defunto e às estranhas da terra irá parar. Depois, as suas malfeitorias serão analisadas para lhe ser aplicado o castigo pelo Criador. Lavrem-lhe o seguinte epitáfio: Aqui Jaz em convulsão, assim como todos os seus companheiros de desgovernação.

Trackbacks

  1. […] foi em tempos lobista ao serviço de um grupo privado de saúde. Por fim, cereja em cima do bolo, nomeia-se um ministro da Saúde com a sensibilidade de um tijolo que, confrontado com a fragilidade …. É uma questão de tempo. Acabar com o SNS é um desígnio desta direita […]

  2. […] porque não investir esse dinheiro no sector público? Simples: porque a agenda não é essa. Para eles está tudo bem. Quem disser o contrário é […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s