O país aguenta a pensão do Ricardo Salgado? Ai aguenta aguenta!

Ricardo Salgado

O império do Dono Disto tudo faliu, gerando milhões de lesados, aproximadamente 10 milhões, e ninguém foi responsabilizado. Até aqui nada de novo, estamos em Portugal. Afinal de contas, se até o ministro ungido por Deus Nosso Senhor Jesus Cristo atestou a idoneidade de Ricardo Salgado, quem somos nós, comuns mortais, para o querer atrás das grades?

Claro que, e perdoem-me a heresia, parece-me haver algo de muito estranho na decisão do regulador tornada ontem pública. Ao que tudo indica, a pensão do DDT e de alguns dos seus ex-súbditos será em breve triplicada, passando de uns miseráveis 30 mil euros mensais para a módica quantia de 90 mil euros. Valor que, convenhamos, é ainda insuficiente para os inúmeros encargos que pendem sobre uma família remediada como a Espírito Santo e o custo de vida na Comporta está pela hora da morte. Já não se brinca aos pobrezinhos: é-se mesmo pobre.

A decisão de rever estes valores está agora nas mãos da sociedade que gere o fundo de pensões do BES. A entidade, empenhada em fazer valer as suas obrigações, parece determinada em repor a justiça na vida destes mártires pois entende ser sua obrigação cumprir com o determinado pelo parecer da entidade reguladora. Com efeitos retroactivos. Resta saber quem pagará esta factura, na casa dos vários milhões de euros. É que estando o grupo falido, com os respectivos restos mortais ligados à máquina com dinheiro dos contribuintes que o iluminado primeiro-ministro até acha que vai gerar dividendos, a solução parece ser só uma: pagam os contribuintes, outra vez. E os contribuintes aguentam mais esta factura? Ai aguentam aguentam!

Foto@DN

Comments

  1. luis barreiro says:

    É uma vergonha ver funcionários públicos terem esta decisão.


  2. Há algo de muito podre nisto…

Trackbacks


  1. […] Pensão para o triplo, caução para metade. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.