Esquerda volver

Nuno Veiga / Lusa

Nuno Veiga / Lusa

Ainda é possível sermos surpreendidos pela arte da propaganda e da persuasão, um dos últimos lugares do espírito onde chegou o escrúpulo. E quando lá chegou, deu meia volta e corda aos sapatos.

Repare-se na estética neo-bolchevique da candidatura à liderança do PSD protagonizada pelo mais extremista neoliberal que a democracia portuguesa conheceu. Pasme-se (mas pouco) com a inclinação para a esquerda da composição em fundo, com as bandeiras rasgadas da revolução, com o vermelho do sangue dos mártires e com os operacionais do MRPP, em fundo também, erguendo heróicos o punho e o estandarte em direcção aos amanhãs que cantam.

É este revolucionário que hoje pede decoro.

Comments

  1. Ana Moreno says:

    Tanto melhor que não dêem apoio, é da maneira que o PS fica à mercê da esquerda 🙂

Deixar uma resposta