O legado cavaquista

Um dos principais sintomas da nossa degenerescência como país é o quase monopólio que a economia e as finanças detêm na discussão pública e na reflexão de que se faz eco sobre o nosso presente e o nosso futuro.


Esta mentalidade de merceeiro é o espelho fiel do cavaquismo e da influência nefasta que ele exerceu, nas últimas décadas, sobre a capacidade de a nação se pensar para lá do labirinto árido da contabilidade e de questionar a sua missão no mundo e o seu papel no concerto das nações.
Esta é a nossa pequenez perpétua, o fado salazarento do qual, na verdade, nunca nos livrámos.

Comments

  1. Zoelae says:

    Não confunda discussão pública com discussão publicada

  2. Nightwish says:

    O segundo problema é que são mesmo contas de merceeiro.

  3. JgMenos says:

    O problema maior é que fazer política sem dinheiro não está ao alcance de políticos sem ideias.


  4. Como?

    Só por ignorância ou maldade é que pode afirmar o que afirma.

    Um país que em 40 anos nunca cumpriu uma meta do défice não pode afirmar o que afirmou. Se Portugalnestá como está é exatamente por nunca ter respeitado as regras mais básicas de finanças – viver conforme as suas possibilidades.

    ……

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.