Administradora da Arrow Global é Vice-Presidente do PSD

Só uma mente retorcida e anormalmente conspirativa concluiria que a escolha de Maria Luís Albuquerque, deputada à Assembleia da República e Administradora da Arrow Global, para Vice-presidente do PSD, resulta da estratégia de financiamento do Partido Social Democrata. É claro que isso é um absurdo e até uma ofensa. O PSD jamais engendraria um estratagema desse calibre, que passasse pela cedência de informação privilegiada do Estado português a uma multinacional financeira, a troco de financiamento da sua própria actividade política e partidária. O PSD já deu provas, até recentes, de colocar o interesse nacional acima do seu próprio interesse, além do que esse seria, como é evidente, um procedimento completamente ilegítimo. Na política não vale tudo.

Comments

  1. j. manuel cordeiro says:

    Estratégia de financiamento do PSD? Não, jamais.

Trackbacks


  1. […] Agora que não tem barretes para enfiar na cabeça dos portugueses, estilo devolução pré-eleitoral da sobretaxa, ou bancos para varrer para debaixo do tapete, para simular uma saída limpa que, no fim de contas, mais não foi do que outro barrete, Maria Luís Albuquerque foi entrevistada pelo Público e fez questão de recordar a plebe que o país precisa de uma alternativa. Mais ou menos como a senhora deputada, que quando não está no parlamento a levantar a mão conforme lhe manda o partido, está ao serviço dos abutres da Arrow Global. […]