BRICS


As consequências dos acontecimentos no Brasil reflectem-se, sobretudo, no movimento global do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e no novo equilíbrio de forças que estavam a tentar impôr no mundo.

Sem o Brasil, o BRICS ficará sem representação na América, zona de vital influência na ordem mundial, onde resistem alguns estados opositores do poder global dos EUA.

Se o poder no Brasil for tomado pela direita, isso representará uma pesada derrota para os que preconizam um novo modelo de governação global. Será um grande retrocesso na política internacional e na luta contra o monopólio do império anglo-americano.

Comments

  1. eu avento says:

    Era mesmo com a China e com a Russia que a nova ordem mundial iria impor um novo modelo de governação global.
    À força de tanques e aviões civis abatidos, da censura da internet e do silenciar da oposição.
    Há cada cromo …

    • A.Silva says:

      Ó idiota, “tanques, aviões civis abatidos, censura na internet e silenciar a oposição”, estás a descrever as acções dos EUA não só nos seu país como no mundo inteiro?

  2. Rui Silva says:

    Os países que se impõem são os países bem governados.
    Não é com socialismos que lá vão. Ou mais exactamente , o socialismo é a melhor ferramenta para a pobreza logo para a irrelevancia internacional.

    Rui Silva

    • Nightwish says:

      Um Trump à frente de cada país e um Draghi em cada banco central, para ver se a economia acelera (para baixo, claro).

  3. anónima says:

    Em qualquer democracia a alternância dos partidos no poder é vista como normal e, mais do que isso, virtuosa. Já no Brasil, estranho é um partido que governa há mais de uma década passar a oposição. Com os votos de mais de 2/3 de um senado que enquanto apoiou o PT nada tinha de censurável. Os mesmos deputados que serviam para manter um governo não servem para o destituir. No Brasil o ideal seria o partido do governo deter o poder para sempre. Menos do que isso é um golpe! No Brasil a alternância de poder é anti-democrática. Dizemos nós, os Portugueses que temos que dar lições de democracia aos coitados dos Brasileiros.

  4. JgMenos says:

    O monopólio anglo-americano tem uma só força: a flexibilidade que resulta do realismo.
    Os que acreditam que o progresso dispensa esses atributos vão-se enrolando em receitas da treta.

    • Bruno Santos says:

      Por coincidência acabei há pouco a leitura de um livro ao longo do qual o autor faz uma impressionante demonstração de flexibilidade realista. Chama-se “A minha luta”. Recomendo.

      • Rui Silva says:

        De um autor socialista e amigo de outro grande socialista se bem que aplicado à sua(dele) nação.

        cps

        Rui SIlva

    • Nightwish says:

      Presumo que se aplique também à intervenção na economia em resposta à crise feita na América, em comparação com o Laisez-faire estagnante europeu.

      • Rui Silva says:

        Essa de dizer que na Europa, que regula até o tamanho da fruta, existe laissez-faire está boa.
        Há pessoas que não fazem por menos que uma ditadura.

        Rui Silva

        • Nightwish says:

          Não há nada mais socialista do que salvar bancos…
          Cria regulação para o que lhe interessa, para os paraísos fiscais, banca, grandes empresas alemãs, etc. vale tudo.

  5. Estas alterações economicas(petroleo) que condicionam as alterações politicas em curso (BRICS) só por um milagre é que se explica, como de tão oportuno.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s