Reserva Alimentar Nacional


Há um perigo silencioso que avança lentamente, mas com todo o vigor, sobre a nossa sociedade e que não está ter, aparentemente, a atenção que merece.

Portugal deveria estabelecer, imediatamente, como principal desígnio estratégico nacional, a criação, e manutenção, de uma Reserva Alimentar Nacional.

A comida, ao mesmo tempo que atinge níveis nunca vistos de falta de qualidade, sendo, por exemplo, um dos factores responsáveis pela ruptura do Serviço Nacional de Saúde, atinge igualmente um custo que não será suportável durante muito mais tempo, com a agravante de ter uma clara tendência para aumentar de modo constante.

Já nos dias de hoje, a comida com um nível de qualidade aceitável está apenas acessível às classes mais altas, estando a população que não passa fome a alimentar-se literalmente com veneno.

A Reserva Alimentar Nacional é urgente, necessária e mesmo vital para o futuro do país.

Comments

  1. Afonso Valverde says:

    Estou muito de acordo com essa necessidade.
    Iria mais longe ao dizer que é preciso muito mais ” Nacional” em todas as áreas estratégicas:
    -Energia (A alimentação é energia);
    – Preservação em mãos de portugueses do chão que pisamos;
    – Educação;
    – Ensino-aprendizagem;
    – Saúde
    – Banca (incluir aqui a emissão de moeda);
    -Seguros.

  2. Afonso Valverde says:

    Nota:
    Não sou defensor de nacionalizações como a vaca sagrada da política, mas nalguns sectores são necessárias.
    Não sou defensor do modelo de capitalismo em que o Estado está, apenas, ao serviço deste garantindo que os capitalistas tenham a proteção das forças de repressão sobre os demais.
    Aliás estou pouco sensível a todos os “ismos”. Estou sensível ao diálogo e acção coletiva em negociação e compromisso social. Para se viver melhor precisamos de ter uma utopia sobre Portugal, mas assente no topia (Lugar de todos os portugueses – o seu chão conquistado e mantido ao longo de gerações).

  3. Eu avento says:

    Proponho mesmo a convocação de uma manifestação nacional.
    As palavras de ordem poderão ser:
    Só o torresmo é lusitano mesmo.
    O courato tem mais substrato.
    Não vás em futebóis, come caracóis.

    (As ressacas de fim de semana dão posts destes …)

  4. MJoão says:

    Muito falou disso Adriano Moreira, em termos de estratégia( ou, precisamente , falta dela) nos tempos em que Cavaco era pm e ia destruindo, paulatinamente, os nossos sectores produtivos.

    • E no entanto ganhou várias eleições… parece que isso não incomodou os portugueses nessa altura. Nunca se fez uma única campanha eleitoral a apelar a uma “estratégia”. Será porque a maioria continua a não querer saber?

  5. Alberto says:

    Alentejo celeiro de Portugal.Volta Salazar, estas perdoado.

    O Bruno tem alguns dados que sustentem o que escreve?

  6. Para isso seria necessário existir um sector agrícola suficientemente forte para garantir esses volumes. Num mercado de preços livres as importações tornam isso inviável. E quanto a preocupações estratégicas… os deputados ainda sabem o que isso é?

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s