Maioria de Esquerda


Todas as forças políticas que compõem a maioria que apoia este governo têm tido um comportamento exemplar.
Ao contrário do que alguns “especialistas” e outros inteligentes conselheiros previam, a coligação parlamentar de esquerda tem sabido manter-se coesa, mostrando que é possível a cooperação em nome de um Bem maior.
Sem nenhum desprimor para os outros, é justo destacar a verticalidade com que o Partido Comunista se tem posicionado, num exemplo raro de lealdade à palavra dada e de intransigente defesa do superior interesse nacional.

Comments

  1. joão lopes says:

    concordo.por outro lado,”jornais” como o observador tudo fazem para dificultar este governo.esta é a prova que essa gentalha só pensa mesmo no seu umbigo(quando o shaublezito insinuou um resgate,os tipos tiveram um orgasmo)

  2. anónimo says:

    O partido comunista posiciona-se vertical como sempre se posicionou.
    A grande diferença neste governo é o Primeiro Ministro, até hoje, um político vertical, honesto, competente e patriota, um Secretário Geral como nunca o PS teve.
    Por isso o partido comunista alinhou, com plena consciência de quem estava a apoiar.
    Um contraste a preto e branco com os governos anteriores, formados por gatunos e Miguéis de Vasconcelos.

  3. O que só prova que nas esquerdas além manter a ideologia, que sacrificam parcialmente com inteligência e coerência, em favor do AMOR Á PÁTRIA, mantêm viva a memória obtida com o voto “voluntário e inconsequente” passados os anos de sacrifício a que o País foi submetido pelo resultado da entrega da Nação ao conjunto de incompetentes e VENDE PÁTRIAS que ainda anda por aí de carteira bem recheada á pala do OGE, quer dizer DOS NOSSOS IMPOSTO!

  4. Depois de 40 anos de direita (sim, mesmo com os governos PS de pseudo centro-esquerda) é de estranhar que ao mudarmos a fórmula rançosa e bafienta a que o povo estava habituado, as coisas melhoraram?
    Mas é até mais simples que isso: a Direita portuguesa, ou pelo menos esta direita diabólica de Coelho-Portas-Relvas largamente influenciada pelo Cavaco, o Pior Português de Sempre, não passava de um ninho de vespas interesseiras que depressa atirou o país para o caos. Pior era impossível pelo que qualquer comparação com o último governo ruinoso é sempre positiva. Se os governos PS que intervalaram estes últimos tivessem tido uma influência benéfica, olha, menos mal. Mas estes infelizmente não passavam de mais do mesmo. Não eram vespas, eram ratazanas.
    Claramente que Portugal precisava de uma fórmula nova mas infelizmente não temos um povo educado e preocupado o suficiente para a exigir. Se fosse a Selecção de Futebol era diferente – havia logo malta na rua a protestar, mas coisas “triviais” como o destino do país não merecem a atenção do português típico.
    Não estou com isto a dizer que a solução é uma eterna coligação entre partidos de esquerda. Por agora está a funcionar muito bem, mas ainda só passaram 6 meses. A solução passa em não colocar todos os ovos na mesma cesta e, principalmente não recompensar maus políticos com nomeações, algo que aconteceu com frequência nos últimos 40 anos de ping pong entre PS e PSD, com o eterno parasita do CDS pelo meio, umas vezes de um lado, outras do outro…
    As maiores vitórias das últimas eleições foi o fim deste ciclo vicioso de alternância entre os dois partidos de “centro” e formulação de uma coligação forçada entre partidos com ideologias diferentes. Na pior das hipóteses estamos a experimentar algo novo já que o tratamento que temos vindo a fazer até aqui claramente que não resulta.

    • xavier castillo says:

      Meu caro Ricardo, não tenho o gosto de pessoalmente conhece-lo, mas concordo a 100% consigo e apenas desejo que de facto “o arco da governação” seja do passado…
      cumprimentos
      xavier

    • José Peralta says:

      http://manifesto74.blogspot.pt/2016/06/oportunismo-e-mentira-social-democracia.html#more

      Bruno Santos, Ricardo Almeida, Xavier Castillo, anónimo :

      Lamento estragar-vos a euforia e a “festa”, mas quero dizer-lhes que há no PCP, uma 5.ª coluna, que se alberga num tal “Manifesto 74”, que sistemáticamente tenta denegrir, apoucar, menorizar e insultar o Bloco de Esquerda, tentando minar a unidade de Esquerda, tão premente e imprescindível para a manutenção da coligação, sem a qual ela pode desagregar-se, soçobrar e proporcionar aos canalhas pafiosos, um desejado regresso que nunca saíu do seu horizonte !

      Nem pensam por um momento que se essa desagregação, a verificar-se por acção do PCP ou do Bloco ( que, verdade seja dita, tem manifestado uma olímpica indiferença e normalmente não riposta aos ataques do “Manifesto 74”), as consequências eleitorais para qualquer dos dois partidos, serão completamente devastadores, perante a vitória do PS sózinho, ou no pior dos casos, do regresso da canalhada !

      Leiam com atenção e, se possível, com algum desprendimento ideológico, o que escreve uma tal lúcia gomes, (não é a primeira nem será a última..) sobre o BE :

      “Foram muitos os anos em que, por respeito institucional, político e atendendo à enorme ofensiva em curso contra os trabalhadores, nada se dizia contra o Bloco de Esquerda e as suas dezenas de pulhices”.

      Ora, o “respeito institucional” político onde nada se dizia contra o BE”, não passa de um desavergonhado, estulto e xicoesperto argumento para agradar aos “sim-sins pcpistas” !
      O que se passa, é que após as últimas eleições legislativas, o BE ultrapassou o PCP, relegando-o para 4.º lugar ! E o mesmo aconteceu com a candidatura espúria, anedótica, quase infantil às presidenciais, de um Edgar Silva, comportando-se como um peixe fora do aquário !
      O PCP, que desde o 25 de Abril , sempre se arvorou como o “dono disto tudo”, do MFA, da Revolução, dos Sindicatos existentes e dos novos em formação, dos Trabalhadores e da sua vontade, das suas Organizações, Comissões Sindicais e de Trabalhadores, em suma, de um Povo aturdido, inexperiente, surpreso face aos acontecimentos, e permeável às manipulações !
      Depois da aventura do PREC, e do 25 de Novembro, da euforia dos “amanhãs que cantam, com as armas que temos na mão” , até ao presente, todas as conquistas foram paulatinamente, sistematicamente, destruídas em catadupa, ao ponto de hoje, essas organizações estarem banidas na sua maioria, os seus membros, Delegados Sindicais e de Trabalhadores, serem alvo de perseguições e despedimentos nas empresas !

      Não é esta “a enorme ofensiva em curso contra os trabalhadores”, a que a d. lúcia alude para, cínicamente, justificar “o silêncio generoso ” do PCP contra o BE e as suas pulhices (sic)? O “argumento” é tão hipócrita, quanto ridículo” !
      Porque “a enorme ofensiva contra os trabalhadores” que justificava a “benvolência” do PCP, recrudesceu nos últimos quatro anos de destruição do País ! Então, qual é a razão para a quebra do “generoso” silêncio ?

      E quando uma nova voz de Esquerda, se apresenta, dando uma nova esperança a um Povo castigado desiludido, atraiçoado, alguns indefectíveis com antolhos, à margem do discurso “prudente” institucional, oficial, “para Português ver” do Partido, resolvem “eleger” como seu alvo preferencial, quem ? O PSD ? O CDS ? Não ! O Bloco de Esquerda !!!

      Agora, fico à espera do habitual, gasto e bolorento chavão do “anti-comunista primário”, a que até acho graça ! Não têm outro, para classificar alguém, livre pensador que, por não estar sujeito à ultrapassada vulgata comunista, à “bíblia” sectária, reacionária por dogmática de 1917 ( se os dogmas religiosos são reaccionários, porque os políticos não são ?) por não estar sujeito, dizia, a qualquer disciplina partidária, à vigilância de prestimosos “catequistas/controleiros”, diz sem peias, o que acha que tem de dizer !

      • Nightwish says:

        Fanáticos político-religiosos há em todo o lado, não podemos aproveitar o momento de entendimento sobre o essencial?

      • O PCP é o elo mais fraco da coligação. Nisso estamos de acordo. Apesar de abanar a bandeira de esquerda, o PCP tem raízes ideológicas muito diferentes do BE e desta nova ala de esquerda assumida do PS (é quase residual mas existe e ainda bem). Aliás, o problema para mim no PCP é mesmo a falta de ideologia, movendo-se por interesses instalados e sem medo de jogar a carta hipócrita. Veja-se dois casos recentes em concreto:
        1 – Condenação da prisão de Luaty Beirão e restante activistas Angolanos. Voto sugerido pelo BE, apoiada em parte pelo PS (lá está a tal fracção de esquerda a sério) mas rejeitada pelos comunistas. Porquê? Não concordaram com o texto da censura? Acharam que a prisão fora justificada? Nada disso. Simplesmente o regime Angolano é um regime comunista e todos o despotismo e podridão política é perdoado desde que a foice e o martelo se mantenha na bandeira. Do PSD e CDS não se esperava outra coisa pois nem vale a pena passarem por justos. É uma perda de tempo. Mas aqui o PCP volta a revelar que o clubismo é mais importante que os direitos humanos.
        2 – Proposta do PAN e BE para proibir menores em touradas e eventos tauromáquicos. Mais uma proposta claramente de esquerda, com vista à melhoria do estado social (a influência nefasta das touradas é mais do que conhecida, principalmente em crianças influenciáveis) e prontamente chumbada pelos mesmos do costume, ou não fosse a elite da saudosa monarquia adepta deste comportamento medieval (PSD e CDS portanto) e… o PCP. Mais uma vez o PS contou com os ínfimos votos da resistência de esquerda mas a proposta caí porque o PCP se rende mais uma vez a interesses ulteriores e rejeita novamente a filosofia de esquerda no seu estado mais puro. Porquê? Porque sendo um partido do “tempo antigo”, grande parte das poucas Câmaras Municipais que ainda mantêm como reduto são aficionadas. Mais uma vez, a direcção do PCP, em vez de dar o exemplo e mostrar aos seus apoiantes e ao resto do país que está disposto a evoluir para o século XXI, prefere seguir o caminho hipócrita, apenas para manter o pouco poder aparente que têm.
        E é este basicamente o PCP que temos: um partido velho, agarrado ainda às antigas glórias, completamente desajustado com o contexto actual. O BE ganhou representação em relação ao PCP desde as últimas eleições porque em 4 anos surgem novos votantes que mais facilmente se associam ao BE, um partido novo e actual e que representa a verdadeira esquerda do séc XXI, que ao PCP. Este por sua vez não está a perder apoiantes. Simplesmente os poucos que têm, bem, vão morrendo de velhos… literalmente.
        Uma coligação com o PCP não é ideal e os exemplos que dei atrás assim o ilustram. Mas enquanto estes desentendimentos não ameacem a estrutura do Governo, olha, é o país que temos, para bem ou para o mal. Mas mesmo por torta e desengonçada que possa parecer, a “Gerigonça” é incomparavelmente melhor que qualquer PàF, disso não há dúvidas.

        • José Peralta says:

          Ricardo Almeida

          Concordo em absoluto com o seu texto ! E para além das situações que descreve, o que está subjacente ao patente antagonismo do PCP contra o BE, o qual, óbviamente, até por estratégia, não se revela na A.R., esse é o PCP “oficial”! E o autêntico fogo de barragem contra o BE, é perpetrado pelas 5.as colunas “facebookianas” , ressaibiadas, rancorosas, revanchistas, (funcionando concertadamente, como um “espelho” dos pafiosos…) por não conseguirem “digerir” os resultados eleitorais do BE, como se os votos do eleitorado fossem conseguidos porque o BE “agarrou as mãos” dos seus votantes, obrigando-os à ida às urnas contra vontade ! É este PCP, anquilosado, desrespeitando a vontade do POVO, o Povo com que constantemente enche a bôca ! Não perceberam que o seu espectro eleitoral, é normalmente, sempre do mesmo extrato sócio-profissional, , dos mesmos “fiéis” indefectíveis, e com a ajuda óbvia dos “Verdes” seus parceiros de coligação !

      • anónimo says:

        “após as últimas eleições legislativas, o BE ultrapassou o PCP, relegando-o para 4.º lugar”
        Quando o PSD/CDS ganharam as eleições, isso significou que o PSD/CDS são mais sérios, mais competentes, mais verdadeiros, mais honestos, mais patriotas, que têm mais qualidade do que os partidos que perderam?
        Quando o BE tem mais votos do que o PCP, isso significa que o BE é melhor que o PCP?
        É com argumentos tão pueris, que se defende o BE e se ataca o PCP? Ou é com a competência, a honestidade e a justiça das propostas políticas?

        • José Peralta says:

          Caro anónimo

          O BE, pode não ser “melhor” que o PCP, se entender a Política como se fosse uma competição “desportiva”, o que também pode revelar muito da puerilidade do seu argumento ! Mas os resultados eleitorais aí estão , e revelam indiscutivelmente uma vontade iniludivel do eleitorado de Esquerda e algumas franjas do PS, e possívelmente de mais descontentes e desiludidos, numa mudança de paradigma, porventura cansados dos chavões obsolectos de certos “puristas” radicais, de certos fundamentalistas como a d. lúcia gomes, empedernida nas “virtudes” da Revolução de 1917 e, na hoje e de há muito inatingível “ditadura do proletariado”!

          E é ver o que “aconteceu” aos Partidos Comunistas europeus, todos desaparecidos, à excepção do Português, sempre ancorado, sempre prisioneiro dos seus atávicos, ancestrais “princípios revolucionários, sectários, dogmáticos”, que também serão a causa dos seus resultados eleitorais. E talvez daí, as tentativas sistemáticas das 5.as colunas na blogosfera, de ataque descabelado ao BE, que é visto como um adversário a abater !

          E quando me diz que o Bloco é que “ataca ” o PCP, se não leu, leia o artigo da d.lúcia torres, que publiquei no início do meu comentário anterior, e tire as suas conclusões, sobre o fogo de barragem de uma das “5.as colunas” dos “pcpistas”, que não, e obviamente, o discurso oficial do Partido, que aparenta o melhor dos mundos na coligação parlamentar.

          Não sei (nem tenho que saber…) a sua idade, e peço-lhe que não me tome como um alarve professoral, no estilo da “múmia de Belém”, que sempre repeli e vivamente detestei. E certamente o anónimo não desconhece estes factos !

          Mas, na dúvida (e porque sempre pode haver outro alguém a quem interesse) :

          Depois da queda do muro de Berlim, ( que arrastou o ditador Erich Honecker junto com a sua “pide”, a Stasi ) esse baluarte da “liberdade” dos Povos, e depois da perestroika , todo o desmembramento a partir de “dentro”, os acontecimentos em catadupa, a implosão do bloco soviético começou assim ! Mas já anos antes, tinha havido um primeiro sinal, em 1968, do cansaço por tanta “democracia e liberdade”, com a Primavera de Praga liderada poa Alexandre Dubcek, pronta e selvàticamente esmagada pelos tanques e milhares de soldados dos outros países do Pacto de Varsóvia ! Lembro-me sempre da foto histórica de um cidadão já ancião, de lágrimas nos olhos ,entre os milhares de outros, à passagem dos tanques invasores !

          Claro que, como se pode compreender, estes factos históricos indesmentíveis, não agradam às lúcias gomes do PCP, e quem os relembra, é logo “apelidado” de “anti-comunista primário”, essa pobre, desastrosa e bolorenta falta de imaginação, em que só os fundamentalistas, as “vozes do dono” ainda acreditam…ou fingem !

          Flausino Torres era um dos muitos militantes do PCP, um dos muitos quadros e lutadores anti-fascistas perseguidos e por isso exilados em Praga, (outros na União Soviética e em outros paises desse bloco) que assistiram surpresos, horrorizados e revoltados, àquela inominável tragédia ! Houve uma enorme debandada do Partido que, como é hábito com os dissidentes, (até já depois do 25 de Abril com o “Renovadores”), foram de imediato ostracizados ! Flausino Torres escreveu depois, “O diário da Batalha de Praga”.

          Os meus cumprimentos

          https://www.wook.pt/livro/diario-da-batalha-de-praga-flausino-torres/205574

  5. Danielle Dinis Foucaut says:

    Deixem este governo chegar ao fim da sua legislatura, e veremos se merecem que lhes renovemos a confiança e o contrato. Mas precisa de algum tempo e não de golpes baixos.

  6. Maioria paralamentar e não não é de esquerda, visto que o ps não é nem nunca foi, nem nunca será de esquerda. As privatizações que vão decorrer no ensino são bem prova disso. Entre outras

  7. ラルフ・C・ベルモンド says:

    A verticalidade de defender o uso de uma substânica altamente cancerígena que todos os dias anda a ser pulverizada nas ruas públicas, o glifosato! Desde que todos os anos a festinha popular do avante continue sem as ervinhas a incomodar a comezaina, tudo serve! Um partido que quer introduzir mais vacinas no programa nacional de vacinação para dar continuidade à manipulação genética! Para o PCP uma criança que aos 2 anos de idade já leva com 30 vacinas no corpo, não é suficiente!

    Todos os partidos trabalham para o mesmo sistema da besta, a única coisa que têm de fazer é manter a besta de pé! o sistema! Não acordem que não é preciso!

    Trevor Belmont
    odiariodeumet.wordpress.com

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s