Câmara de Gaia: água a 80 graus destrói Provas de processo judicial

Segundo o Jornal de Notícias, uma inundação terá ontem destruído Provas documentais relacionadas com o processo judicial da Gaianima, empresa municipal de Vila Nova de Gaia.

A água que provocou a destruição das Provas e que estava à temperatura de “cerca de 80 graus” – presume-se que centígrados –  provinha de uma “repartição” selada por ordem do Tribunal e, segundo a notícia, “os documentos destruídos apenas diziam respeito ao processo criminal”. Este aspecto terá “causado estranheza”, ainda segundo a notícia.

Foram “técnicos de uma empresa de ar condicionado que detectaram, cerca das 16h00, a ruptura no sistema de água do Arquivo Municipal de Vila Nova de Gaia” e, segundo relata o JN, que publicou a notícia às 00h30, este edifício “é um dos mais seguros da Câmara”.

Comments


  1. Como podemos concluir aqui não é o OMO que lava mais branco. A água também ajuda.

  2. Scalabis says:

    Recordam a papelada das viagens da família Menezes que foram destruídas por um auxiliar o qual levou com as culpas todas?
    A MÁFIA A TRABALHAR… digo eu.


  3. Mas que : las ay las ay!…coincidências “mignon” ou as actas da “proposta” de atribuição da medalha DOURADA. em qualquer marco

  4. Ana A. says:

    “Honi soit qui mal y pense!”
    Então, com 300 mil euros de luzes a “bombar”, admiram-se das águas subirem a 80º?1

  5. Paulo Só says:

    Problemas de negócios. Prenderam o advogado Tiago Alves Farinha no caso da Octafarma. Tendo participado dos julgamentos do BPN e ex-alguma coisa do Sporting, ele é também membro da Comissão de Responsabilidade Corporativa e Anticorrupção da ICC Portugal, tendo participado em recente reunião presidida pelo Dr. Guilherme d´Oliveira Martins, Presidente do Conselho de Prevenção da Corrupção. Anda uma pessoa a lutar contra a corrupção e depois fazem-lhe isto.

  6. anti pafioso diabrete says:

    Que chatice, aqueles documentos eram a prova em como os anteriores autarcas estavam inocentes . Olhem arquive-se já o processo antes que aparecem as provas digitalizadas .isto é obra da esquerda .


  7. Um acidente muito conveniente.


  8. Uma autarquia que parece um pisca pisca político, dando sinais contraditórios como aquele que condecorar com a medalha de ouro um conhecido alpinista politico que segundo eles próprios antes denunciaram teria deixado a autarquia na bancarrota, acaba por ficar mal na fotografia com a falta de segurança que deu aso a este estranho incidente que se transforma num autêntico desastre em que as vítimas somos todos nós os contribuintes que andaram a financiar uma GAIANIMA em roda livre e que pelos visto podem a partir de agora dormir descansados. Aquele material explosivo devia estar guardado na caixa forte. Tudo isto deixa-nos a todos a impressão que eles se vão protegendo uns aos outros acabando SEMPRE por a culpa morrer solteira. Isto é cada vez menos uma democracia para parecer antes uma autêntica paródia nacional.

  9. Anónimo says:

    É um clássico da Máfia.
    Porque arderam os processos do concurso do aterro sanitário de Cova da Beira onde o Sócrates estava atolado.
    Porque ordenou o juiz que destruíssem as “escutas” ao Sócrates, ao amigo Vara e ao sucateiro Godinho?

  10. Manuel says:

    Celsius, desde 1949 que o grau “centígrado” se finou.

Trackbacks


  1. […] insólita inundação na CM de Gaia, relatada ontem no Aventar pelo Bruno Santos, que praticamente só afectou documentos referentes ao processo Gaianima, um processo de tons […]


  2. […] cimeiros. E sobre as provas desse mesmo processo judicial, guardadas em instalações municipais, mas destruídas por água à temperatura exacta de 80 graus, também nem uma palavra. Estas omissões são compreensíveis, pelo menos à luz da necessidade de […]


  3. […] cimeiros. E sobre as provas desse mesmo processo judicial, guardadas em instalações municipais, mas destruídas por água à temperatura exacta de 80 graus, também nem uma palavra. Estas omissões são compreensíveis, pelo menos à luz da necessidade de […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.