Mulher de autarca de Gaia aumentada 390% em cinco anos

evr

O jornal PÚBLICO chama hoje à primeira página uma notícia que assume proporções de escândalo, dando nota de que “familiares directos do presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, e do vice-presidente, Patrocínio de Azevedo, a adjunta da presidência e autarcas de juntas de freguesia, todos com responsabilidades políticas no PS, integram a direcção de três das principais instituições de solidariedades social do concelho, a que a autarquia entregou o negócio dos Ateliers de Tempos Livres (ATL) nas escolas, que eram geridos pelas associações de pais.

O Público adianta que “o chefe de gabinete de Eduardo Vítor Rodrigues, António Rocha, por exemplo, é vogal da direcção da Cooperativa de Solidariedade Social Sol Maior, a mesma IPSS onde trabalha a mulher do presidente da câmara. As outras duas instituições que empregam familiares de autarcas de Gaia são a Associação para o Desenvolvimento Social de Olival e a Associação de Solidariedade Social da Madalena.”

Estas três IPSS – acrescenta o PÚBLICO – têm relações privilegiadas com a autarquia, que as comparticipa através de vários programas, em particular o Gai@prende+, uma das bandeiras do mandato de Eduardo Vítor Rodrigues. A mulher do presidente do município, Elisa Costa [Mulher do presidente da Câmara], é vice-presidente da assembleia geral na Sol Maior, de cuja direcção faz também parte, como vogal, Margarida Rocha, adjunta do autarca e irmã do seu chefe de gabinete. Margarida Rocha, membro da comissão política concelhia do PS de Gaia, é um dos nomes apontados para integrar a lista à câmara nas autárquicas de 2017.”

“Além de vice-presidente da assembleia geral, Elisa Costa é directora técnica da Sol Maior, de que o seu marido foi co-fundador há nove anos, quando ainda era presidente da Junta de Oliveira do Douro. Entre 2010, ano em que entrou para a instituição [era Eduardo Vítor Rodrigues presidente da Junta de Freguesia de oliveira do Douro] , e 2015, a mulher do presidente da Câmara de Gaia viu a sua remuneração-base aumentar mais de 390%, passando de 475 euros para 2343,71 euros. Mas foi sobretudo a partir de Outubro de 2013 que o seu salário base conheceu sucessivos aumentos. Nesse período, o vencimento era já de 800 euros e subiu para 1018 euros, em Maio de 2014. Meses mais tarde, em Outubro desse mesmo ano, a direcção da Sol Maior voltou a aumentar a directora técnica em 150 euros, passando a sua remuneração a fixar-se nos 1168 euros.”

Entre 2013 e 2015, anos em que a Troika esteve em Portugal e Eduardo Vítor Rodrigues na presidência da Câmara de Gaia, onde se mantém, a mulher do presidente da Câmara de Gaia foi aumentada 192%.

“Além de directora técnica, – acrescenta o PÚBLICO –  a mulher do autarca de Gaia tem a seu cargo a coordenação do Programa Gai@prende+, um projecto socioeducativo que a IPSS desenvolve nas escolas e jardins-de-infância das freguesias de Oliveira do Douro, Mafamude e Vilar do Paraíso e Vilar de Andorinho — e que envolve cinco mil alunos, segundo o autarca. Foi através desta parceria que a câmara pagou à Sol Maior, em 2015, 93.973 euros. Já as mensalidades pagas pelos pais dos alunos atingiram os 403.232 euros.”

“Apesar de negar que a Sol Maior recebeu subsídios da autarquia,” – o PÚBLICO afirma saber que Eduardo Vítor Rodrigues “não só apoiou como votou pelo menos uma proposta nesse sentido. Trata-se de um apoio financeiro no valor de 4.000 euros para um passeio à Kidzania, na Amadora. Eduardo Vítor votou a proposta juntamente com os restantes eleitos do PS. Por sua iniciativa, a câmara entregou ainda a coordenação técnica do Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social à mesma IPSS.”

A Sol Maior dá emprego a Armanda Moreira, mulher de Patrocínio de Azevedo, vice-presidente de Gaia e presidente da Olival Social, uma IPSS fundada em 2006. A teia familiar do vice-presidente estende-se ao seu pai, Manuel Azevedo, que é segundo vogal da assembleia geral da Olival Social (outra parceira da câmara no Gai@prende+).”

O assunto está, segundo o PÚBLICO, a ser investigado pelo DIAP (Departamento Central de Investigação e Acção Penal), tal como se espera que aconteça num Estado de Direito. Contudo, espera-se também que se retirem as necessárias ilações políticas dos factos relatados. Sendo certo que o presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, tem direito à presunção de inocência até trânsito em julgado de qualquer sentença condenatória, não é menos verdade que há consequências políticas inevitáveis a retirar deste conjunto gravíssimo de factos que lançam, definitivamente, a suspeita sobre a sua gestão autárquica. Recorde-se que, recentemente, o autarca de Gaia viu-se envolvido numa outra polémica, quando aceitou ocupar o cargo de Administrador não Executivo da SAD do FC Porto, convite que viria afinal a recusar, na sequência de um parecer jurídico da CCDR-N que o colocava em situação de inelegibilidade superveniente, ou seja, perda do mandato de presidente de Câmara.

Um outro facto polémico e bizarro fica a marcar o mandato autárquico do ex-presidente da junta de Oliveira do Douro e actual presidente de uma das maiores autarquias do país, quando no passado mês de Junho decidiu entregar a Medalha de Mérito Municipal ao Dr. Marco António Costa, principal responsável pela gestão financeira da Câmara de Gaia no mandato anterior.

Comments

  1. ZE LOPES says:

    Cuidado! Vem aí mais um jato de água quente…


  2. O problema do PS é que está infestado de militantes ou apoiantes desta natureza que utilizam o partido como trampolim para alcançarem os seus objectivos. Aumentos de 390% são para esta gentinha normais, claro desde que sejam para eles. Depois de lá chegarem tornam o partido ainda mais cinzento dando sinais contraditórios aos militantes socialistas não se coibindo de transformar o jogo politico num autêntico e carnavalesco baile máscaras mandando às malvas a coerência e a honestidade intelectual medalhando e enaltecendo figuras da anterior vereação PSD figuras essas que passaram de criminosos políticos (antes) a heróis dourados depois numa insana e eterna trocas de favores políticos. A mensagem que esta escumalha que vive pendurada no Estado e no voto inconsequente dos portugueses pretende passar à oposição é suficientemente clara. Tenham calma que os desmandos serão esquecidos nós cá estamos para os anular. Claro que o problema está e fica resolvido. Tudo isto não passa de um “tsunami informativo” que rapidamente ficará sereno e será esquecido. O assalto ao Estado por esta desumana gente, esse, continuará imparável.

  3. Duarte Bastos says:

    Pelos vistos aqui há censura. O Dr. Bruno Santos não gosta de contraditório. Muito bem Aventar!

  4. Bruno Santos says:

    A política de comentários do Aventar é muito clara. Existe toda a liberdade para aqui exercer o direito de opinião. Não permitirei, contudo, ataques pessoais difamatórios, quase sempre com origem anónima.
    Obrigado.

    • Duarte Bastos says:

      Digníssimo Dr. Bruno Santos, é muito interessante o seu argumento, mas como censurou o comentário as pessoas não têm oportunidade de verificar que de ataque pessoal difamatório não tinha nada.

      Ainda assim, registo sem surpresa que a sua preocupação com os comentários também é parcial e depende dos destinatários.

      «Ressabiado» é considerado por si um ataque pessoal difamatório, mas chamar «escumalha» já não. Parabéns!

      • Bruno Santos says:

        Sr. Duarte Bastos, pode usar este espaço de comentário com toda a liberdade. Não pode, contudo, recorrer à difamação que, como sabe, é um crime punido por lei. Além do mais, estando a sua identidade oculta e tendo eu apenas acesso ao seu IP, terei sérias dificuldades em identificá-lo para efeitos de eventual queixa-crime.
        Quanto ao mais, agradeço o seu contraditório relativamente ao conteúdo do “post”, pois é para isso que esta caixa de comentários serve.
        Obrigado.

  5. Oscar Alho says:

    Acho triste, muito triste, utilizar esta notícia recheada de falácias para reciclar notícias do passado no final do texto.

  6. Jorge Brito says:

    É vergonhoso! As madames com vencimentos chorudos para o pouco ou nada que fazem, enquanto uma cozinheira que trabalha 12 (doze) horas por dia leva o salário mínimo!!! Vergonhoso!!!

  7. omaudafita says:

    “a mulher do presidente da Câmara de Gaia viu a sua remuneração-base aumentar mais de 390%, passando de 475 euros para 2343,71 euros.”
    Quando as pessoas se colocam a jeito…


  8. TODAS AS PESSOAS PODEM E DEVEM DENUNCIAR COM FIRMEZA E DUREZA, AO CRITICAREM COM VERDADE E DETERMINAÇÃO , OS POLÍTICOS NO EXERCÍCIO DAS SUAS FUNÇÕES , SEM QUALQUER RISCO CRIMINAL.É UMA OBRIGAÇÃO CÍVICA.
    O velho e actual código penal foi elaborado pelo Professor Doutor Figueiredo Dias,estando naturalmente plasmado o espírito da lei na constituição portuguesa.
    Em Tribunal,as despesas do autarca são pagas pelo povo,nomeadamente: custas,indemnizações,advogados e etc.
    É MISERÁVEL !
    Durante toda a minha a vida ,as consultas são gratuitas : Mendel Pinto dos Santos / Miramar / VNGAIA.

  9. V Silva says:

    O autarca deu uma explicação para a situação. Pareceu-me plausível.
    Devemos todos estar atentos, mas não devemos acusar indevidamente, uma vez que não conhecemos todos os dados e estravasamos para outros factos que nada tem a ver com a pomposa “noticia”.

Trackbacks


  1. […] me vou alongar sobre os detalhes de mais um episódio siciliano a sul do Douro. O Bruno já aqui expôs o compadrio (lixos jornalísticos à parte, não façam de nós parvos) e o João […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.