Se ao menos este tipo e c.ia alguma vez tivessem trabalhado…

Quem trabalha sabe que não há pontes. Mete dia de férias e é preciso que a empresa ou serviço aprovem. Mas quem é que se está para se preocupar com minudências quando se pode bater nos do costume?
imagePara a sumidade em causa, o problema da produtividade está no número de horas que a plebe trabalha. Foi com esse argumento que cortou 4 feriados, quis aumentar o horário laboral e inventou o banco de horas. E é por isso que agora volta à carga.

Deve ter ouvido falar que é o que fazem em Inglaterra. Será que também lhe disseram que lá há empresas que têm um horário de 37,5 horas semanais? E que quase todos os trabalhadores do UK têm 5,6 semanas de férias pagas?

Mas se o PSD e o seus militantes estão assim tão preocupados com a perda de produtividade, que vão trabalhar nos feriados. Dêem o exemplo e desamparem a loja. Agora, gostava mesmo era de ver o PSD propor uma solução para a encrenca do Novo Banco, que não ata nem desata, apesar de lá ter o seu boy a ganhar 25 mil por mês para tratar da venda, com os resultados que conhecemos. Mas, como sabemos, o problema da competitividade não está nos impostos que pagamos a mais por causa de andarmos a salvar bancos privados, mas sim na porcaria das pontes, que afinal são dias de férias.

Comments

  1. José Peralta says:

    Vejo o coelho, esse imbecil. essa besta, esse excremento cada dia mais pútrido da “pulhítica à portuguesa”, a bolsar a gasta tese, a dele e a da “mentira loura” albuquerque e demais acólitos, (cada vez menos… até intra-muros do PSD ! ) que “no tempo deles é que era bom” !

    Nada que admirar ! Estão “a lutar” pela derradeira e longínqua hipótese de manter os tachos e prebendas que vão perder, e com o pânico de que, dia a dia se descubram mais negociatas escabrosas da venda de EDP, CTT e outras, onde esteve sempre presente, um tal sérgio monteiro, a quem eu não vejo ninguém do actual governo, a suspender -lhe a criminosa “estratégia” de vendilhão, a mandar investigar os seus “processos” de enfraquecer, estiolar, debilitar empresas, esvaziando-as de equipamento, despedindo trabalhadores mais activos na defesa dos seus direitos, inculcando o medo noutros, para, finalmente, as vender por tuta e meia a agiotas, como se viu com a privatização dos Correios, e continua a ver-se com o Novo Banco !

    Antes pelo contrário, em vez de o investigar e depois, lhe dar o competente pontapé no cú, ampliam-lhe até Agosto, o pagamento de 30.000 euros mensais !

    E depois, voltará o sérginho, feliz e contente para o “seu” Banco de Portugal, e a rir-se de nós que continuaremos a pagar-lhe o chorudo ordenado !

  2. Rui Naldinho says:

    Na última quadratura do círculo, a primeira do corrente ano, Pacheco Pereira virou-se para os seus interlocutores e fez esta simples pergunta:
    Então, uma Banca cheia de gestores e de administradores com tanto curriculum, tanta sapiência, saber, cotação mediática, competência, etc, e chegamos ao fim deste tempo todo com o nosso sistema bancário na falência, sem que nada aconteça?
    E, onde anda a Regulação Bancária? O que fez até agora a nossa Justiça?

    Digo eu:
    A maioria dos partidos do Centrão está enterrada até à espinhal medula, nesta nossa banca falida. PSD e PS são os grandes responsáveis. O PSD, então nem se fala. É através de membros do partido, ex membros do governo, gabinetes de advocacia, ou até mesmo de familiares próximos.
    Foi aí que nidificaram e puseram os ovinhos, de onde Sérgio Monteiro é um bom exemplo.
    É por essas e por outras que eu já aqui afirmei. Se os Portugueses voltarem a ter a ideia de lá colocar esta casta, entao, seria bom que depois não se viessem queixar .

Trackbacks

  1. […] de feriados que temos, nem se estes são encostados aos fim-de-semana, para não haver pontes. A iniciativa do PSD, patrocinada por Passos Coelho e pela sua clique, não passa de propaganda e, pior, é um erro, pois pretende resolver um problema (a nossa baixa […]

Responder a Veja-se só, os portugueses afinal não são moinantes. – Aventar Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.