NES, ouve as minhas preces


Se um dia alguém perguntar por ti
Diz que vivi para te ver falhar
Antes de ti, pior nunca vi
Fraco e sem nada para dar

NES, ouve as minhas preces
Quando é que desapareces, estou farto de ti
Eu sei que não sais sozinho
Talvez, devagarinho, possas voltar ao desemprego

Se o teu coração não quiser ceder
Não sentir paixão, não quiser sofrer
Sem fazer planos do que virá depois
É começar a chamar pelo nome os bois.

(Música de Luísa Sobral, letra do RicardinhoO do Portal dos Dragões)

Comments

  1. ganda nóia says:

    não teve só deméritos. conseguiu recuperar alguma coesão na defesa ridícula do ano anterior; conseguiu voltar a lutar pelo título e fazer melhor que no ano anterior sem ter assim tanto para investir (só mesmo o depoitre foi nódoa).

    o mau mesmo foi a pouca capacidade da equipa se aformar ofensivamente, obcecada que parecia com nunca perder o equilibrio e o posicionamento. numa liga tuga de autocarros, tondelas, moreirenses, isso nao pode ser.

    e o pecado maior foi a forma como nao tentou ir a procura da vitoria na luz, festejando um empate que sem casillas nao acontecia…

  2. Ferpin says:

    Tanta idiotice…


  3. Alguém sabe dizer-me quanto paga o NES para treinar o meu clube?

  4. Joam Roiz says:

    É lamentável que um blogue como o “Aventar” tenha baixado de tal modo a sua qualidade que considere relevante tratar o tema do futebol ao nível daquilo que este contém de mais rasteiro. Por outras palavras, a relevância do futebol não está na discussão mais ou menos boçal da permanência ou não deste ou daquele treinador nesta ou naquela equipa, mas antes na discussão das causas e dos efeitos (desportivos, políticos, económicos, etc, etc) da sua repercussão na sociedade em que vivemos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.