Marés Vivas expulso por um festival de prédios


O espaço onde até agora tem sido realizado o Festival Marés Vivas, em Vila Nova de Gaia, vai começar a ser ocupado por um gigantesco empreendimento imobiliário licenciado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia. A zona ribeirinha onde se realizava o Festival de música vai acolher “um comboio urbanístico de oito edifícios” mesmo em cima do Rio Douro, pressionando a Reserva Natural do Estuário e alterando para sempre a belíssima paisagem da foz.

A Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia prossegue, assim, a sua política de total descaracterização da marginal ribeirinha da cidade, incluindo o seu Centro Histórico, começando na demolição de Armazéns e total descaracterização das Caves de Vinho do Porto, prosseguindo com a instalação de um Hipermercado cash&carry com 3.000 metros quadrados, com parque para mais de duzentos automóveis, nas antigas instalações da Real Companhia Velha, junto ao Cais de Gaia, e terminando com este atentado urbanístico e ambiental que, possivelmente, significará o fim do festival Marés Vivas em Gaia. Segundo relata o jornal Expresso, a zona envolvente do Marés Vivas (3 hectares) “acolherá um festival de oito edifícios”, com uma área total  de construção de 35.789 metros quadrados. Todos eles podem avançar a qualquer momento — basta o promotor entregar a comunicação prévia e pagar as taxas municipais.

Chama-se a isto investimento inteligente e sustentável. Até que nada reste para destruir.

Comments

  1. Ana A. says:

    Se o fazem é porque podem! E se podem, porque não fazê-lo?!
    Parece que é a montante das autarquias que se deve planear e evitar atentados destes. Mas, mais altos “valore€” se levantam…

  2. JgMenos says:

    Até que o Douro for seja entubado prossegue o ‘desenvolvimento’ de Gaia.e Porto.

  3. Tuto normale in questa terra mafiosa. Afinal é o mesmo princípio da lei dos eucaliptos, há que promover as actividades que dão dinheiro rápido ou que mostrem obra, o tuga gosta de ver construções, as árvores e a natureza é feia. O imobiliário continua em baixo, e vai continuar em baixo muito tempo pois não há muitas famílias novas, e não há muitos empregos novos, e mesmo assim constroi-se, possivelmente para sacar dinheiro de idiotas que pensam que estão a investir numa grande coisa. E vºao ser mais casas para ficarem desocupadas. Se o imobiliário está assim tão bom porque razão não deitaram abaixo as torres do Aleixo no porto, estava previsto construir para vender, e ali até boa vista, e estava do lado norte, não tinha de passar pontes, e estava mais perto da Foz. Não percebo mesmo.

  4. A construção da ponte da Arrábida alterou para sempre a belíssima paisagem da Foz, pressionando a Reserva Natural do Estuário. Se a obra foi licenciada é porque está de acordo com os Planos aprovados após discussão pública.

  5. Carlos says:

    Esta “notícia” não vem um tanto fora de tempo? Já tem dois anos pelo menos, até era para ser expulso o ano passado mas como ainda não tinham avançado as obras a Câmara lá conseguiu que fosse feito no mesmo local. http://www.jn.pt/local/noticias/porto/vila-nova-de-gaia/interior/predios-vao-desalojar-festival-mares-vivas-ja-no-proximo-ano-4904103.html
    E ao contrário do que é dito, não vem da sequência de outras obras que têm vindo a ser feitas no centro histórico, é um projeto que tinha sido já aprovado anteriormente e que este executivo não consegue parar… talvez seja melhor se informarem da polémica que isto já suscitou há dois anos antes de opinar….

  6. Nascimento says:

    Até deviam de construir toda a merda em pleno rio Douro. Cagando. Brinquem aos martelinhos. Ou entretenham-se com emails du futibol. E se, como diz o CARLOS “…JÁ FOI APROVADO…” e ” NÃO SE CONSEGUE PARAR”!!! atão tá bem!! SIga.

  7. João Paulo says:

    A abertura de todas aquelas vias que fazem a ligação da Afurada com a rua da Bélgica fazem parte de um Plano Urbanistico que tem mais de uma década. Googlem um pouco procurando a quinta Marques Gomes e antiga seca do bacalhau que até são capazes encontros de negócios entre o Menezes e o Carlucci (sim, esse mesmo) além de outras ligações perigosas entre Duarte Lima, SLN-BPN… O marés-vivas, apenas aproveitou (e muito bem) aquele espaço enquanto a crise imobiliária não se resolveu… Agora que já pagámos todos os delirantes buracos financeiros, ei-los que se afoitam de novo ao pote!…

    • Bruno Santos says:

      Seria interessante consultar a acta da reunião de Câmara que aprovou esse Plano Urbanístico, até para que se pudesse conhecer o sentido de voto dos intervenientes, confrontando-o com as posições actualmente assumidas. Quanto ao resto, sinta-se livre para usar o contacto do Aventar para fazer chegar documentação que sustente o que afirma. Obrigado.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s