Câmara de Gaia tem a segunda maior dívida do país


Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses (clique para aumentar)

Segundo o  Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses, a Câmara de Gaia é a segunda mais endividada do país, logo a seguir à Câmara Municipal de Lisboa. A dívida da autarquia gaiense é superior a 170 milhões de euros, tendo atingido, em 2015, um valor superior a 186 milhões. Note-se que, segundo o Anuário Financeiro, no final do último mandato de Luís Filipe Menezes a dívida municipal era de cerca de 200 milhões de euros.

A Câmara de Gaia é ainda aquela que, em todo o país, maior volume de dívida contraiu em novos empréstimos bancários durante o ano de 2016, o ano que precedeu o das eleições autárquicas (2017). Esses novos empréstimos superaram os 41 milhões de euros, valor que apenas tem comparação com o ano de 2007.

Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses (clique para aumentar)

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Antes, agora e depois…
    Só posso chegar a uma conclusão. Gaia é sempre a abrir!
    Força, pessoal. Alguém irá pagar!

  2. Como qq bom socialista sabe:

    “Há mais vida para além do défice”.

    Não acreditem nesses neo-liberais que querem acabar com os défices. Só pensam em números em vez de pensarem em pessoas.

    Rui SIlva

    • Rui Naldinho says:

      Se vocè lê-se o texto diz Bruno até ao fim, logo perceberia que Luís Filipe Meneses, esse socialista dos quatro costados, deixou 200 milhões de “aerius”, de dívida, em Gaia, antes de sair.
      Mas como você anda a decorar Platão, fingiu não entender. Coitado do pobre grego, se ele soubesse a sorte que lhe iria tocar, 2350 anos depois de finar, talvez tivesse emigrado para a Tugalandia!

      • Naldeinho, eu explico:
        Os socialistas deixam défice por todo o lado , levam países e os próprios partidos à falência . O Luís Filipe Meneses é um socialista que mais não fez que seguir os princípios socialistas. Só que é doutra agremiação. Só e apenas por isso foi aqui criticado. Você não vê a contradição ? Como se justifica tal enviesamento intelectual ? Comprometimento ?

        Rui SIlva

        • Rui Naldinho says:

          Enviesamento intelectual é alguém ver em Luís Filipe Meneses, um socialista!

          • Não ver socialismo na social democracia é ignorância politica.

            Rui Silva

          • Rui Naldinho says:

            Ver social democracia no PSD, só mesmo para estrábicos.

          • No panorama político português só há direita relativa.
            Não há nenhum partido de direita nem liberal no sentido europeu do termo.

            Rui Silva

  3. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Ponho umas questões:
    Uma Câmara pode falir?
    Se sim, deveria ou não, logo a seguir, ser constituída uma Comissão de Trabalho destinada a apurar as causas da falência, nomeadamente as contas?
    Afinal, as Auditorias destinam-se a quê?
    E finalmente, a Justiça não deveria actuar onde se revelasse gestão danosa ou mesmo, criminosa?
    Andam atrás de viagens de avião e não se vêem os elefantes a passar deixo do nariz?
    Mas será que ainda se não percebeu que estes políticos todos, do “Arco da Governação” se cobrem uns aos outros?
    O que mais me espanta, é a “troca de repetidos” que vou vendo nas páginas sociais e blogues …

    • Caro Ernesto,

      tocou com o dedo na ferida. Mas ninguém quer ver.
      Veja o conflito de interesses:

      Um politico pretende ser eleito ou até reeleito. Para isso tem que satisfazer as pretensões dos seus eleitores. As aspirações dos eleitores são quando a mim ilimitadas , enquanto os recursos são limitados.
      Ora o politico precisa de dinheiro para satisfazer as justas pretensões dos seus eleitores (grupos de interesse/lobbys/etc). Por outro lado os eleitores olham à sua volta (para as outras autarquias, neste caso) e vem que os vizinhos já tem isto mais aquilo e aqueloutro, e sabem que não são menos que ninguém , por isso também tem o mesmo direito . Ademais o dinheiro necessário não sai do bolso do decisor, que está sim, preocupado com as eleições. Esta a ver que isto configura uma desenfreada “corrida ao endividamento”…

      Este trajecto nada tem de ilegal. Você não consegue criminalizar pela simples razão que isto não é um crime. Portugal nos últimos 40 anos já faliu 3 vezes. Alguém foi responsabilizado ? Não. Porque os responsáveis conduziram o processo com a melhor das intenções . O objectivo era melhorar as condições de vida dos mais desfavorecidos, os mais pobres. E por isso ainda iam ser penalizados ?

      E porque é que ninguém quer ver isto ?
      Porque o politico que está de fora sabe que quando chegar a sua vez , também ele quer “roda livre” para gastar, gastar ….

      Rui SIlva

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        Caro Rui Siva.
        Trabalho há mais de quarenta anos na Indústria, acabando, com a experiência industrial, por ser gestor. Não há nada de diferente entre gerir uma Fábrica ou gerir um País, aparte, naturalmente, a dimensão. Mas os princípios são rigorosamente os mesmos.
        Sempre pautei a minha vida profissional pelo respeito pela entidade patronal e pela defesa dos seus e dos meus interesses. Um deles, como é óbvio é gerir correctamente um Orçamento Empresarial e o meu próprio Orçamento e responsabilizar-me por decisões boas e más, porque há de tudo.
        Na Indústria, as boas e as más decisões são escrutinadas não por eleições, mas em vencimentos ou mesmo com a perda ou manutenção do posto de trabalho. Na vida particular, as más decisões acarretam penhoras e outras situações desagradáveis.

        Quem, não respeita a sua entidade patronal ou a sua Casa, na minha óptica comete um crime de lesa património, sujeitando-se às consequências.
        O que tenho a exigir, agora no Universo das Autarquias e do País, enquanto cidadão responsável, votante, cumpridor e experiente, é que o patrão de um partido, primeiro e o patrão de Portugal depois, neste caso o Presidente da República – que é responsável pelo normal funcionamento das Instituições, nomeadamente a Justiça – cumpram com as determinações inerentes aos seus cargos.
        Chama-se a isto RESPONSABILIDADE..
        Se o não fazem são cúmplices num CRIME, repito, CRIME de lesa património, seja ele empresarial, regional, social ou global.

        Portanto, discordo em absoluto consigo quando não configura uma actividade de má gestão num crime principalmente as actividades do tipo DOLOSO. E todos sabemos que em quase todos os casos de má gestão, vai-se muito mais longe que a decisão pura e dura. Buscam-se contrapartidas e a isto chamo-lhe, sem qualquer receio, DOLO.

        O facto de não haver responsabilização, não afasta a imagem do CRIME. Não há responsabilização porque a Justiça não funciona, porque a política a administra a seu bel prazer. Esta é a questão de fundo que faz de Portugal, um País intrinsecamente corrupto.
        Vemos centenas de casos a serem julgados, mas os “colarinhos brancos” continuam a gozar as delícias de uma casa bem recheada, embora sem dinheiro… coitados … pois transformaram-se nuns mecenas que de um momento para o outro, fizeram o seu “testamento” e legaram todos os bens a familiares (ou amigos, como sabemos).
        É assim que funciona a cadeia corrupta, com uma Justiça que os defende, por omissão.
        A responsabilidade de todo este forrobodó, é deste povo que se agarra à bandeira partidária como o adepto da bola à bandeira do seu clube. São um bando de carneiros guiados por actos de corrupção que são aceites, porque são executados por criminosos do seu partido, transformando-se em “justiceiros implacáveis”, tipo Zorro – com mascarilha e tudo – quando os mesmos actos de corrupção são praticados pelos criminosos que usam outra bandeira na lapela.
        Em tudo igual ao futebol… Discute-se um PSD – PS ou CDS -BE ou PCP como um Porto-Benfica , um Sporting-Benfica (o Porto Sporting, pelos mesmos motivos, está numa de paz…), sem ideias pesadas, mas com ideias preconcebidas ou seja, à “carneirada”.
        Isto de pensar pela própria cabeça dá muito trabalho …

        Mas que quer que se faça, num País onde um conhecido presidente – felizmente já fora do activo – condecora personalidades corruptas e outras que levaram à destruição de muito tecido empresarial?
        Onde está a RESPONSABILIDADE?
        É o que temos e eu, tenho voz, tenho a capacidade de poder escrever e tenho um voto que nunca por nunca, aplicarei nestes CORRUPTOS, embora nunca tenha deixado de cumprir o meu dever cívico.

        Para terminar pego nas suas palavras: “…o politico que está de fora sabe que quando chegar a sua vez, também ele quer “roda livre” para gastar, gastar …”, para lhe dizer que tenho outra opinião, apesar de concordar com o início da sua frase.
        Reescrevo-a, com todo o respeito
        “…o politico que está de fora sabe que quando chegar a sua vez, também ele quer “roda livre” para se auto promover …”.
        Ontem vi três personalidades bem conhecidas da política, num programa desportivo, cada um do seu clube… embora fossem quase todos do mesmo partido.
        É uma delícia ver papagaios a discursar sobre outras coisas e a auto-promover-se agora, à custa da bola.
        Estamos perante gente SEM VERGONHA…

        Cumprimentos.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s