Comprar o poder com o dinheiro dos outros


Até agora, o jornal PÚBLICO tinha sido o único jornal português a publicar notícias sobre os esquemas do presidente da Câmara de Gaia, os seus métodos de fazer política e de exercer o poder.
Fê-lo no caso da rede de IPSS montada em torno da autarquia, todas com ligações pessoais e familiares a Eduardo Vitor Rodrigues – assunto que o ministro Vieira da Silva muito convenientemente meteu numa gaveta -, no caso da prevista destruição das Caves de Vinho do Porto e também no assunto da medalha de mérito municipal que o cacique de Gaia entregou ao Dr. Marco António Costa, tão criticado anteriormente pelos socialistas concelhios por ter levado a Câmara às vizinhanças da falência.
Nas últimas semanas, contudo, depois do início duro da campanha eleitoral para as autárquicas, o jornal de David Dinis tem sido inundado por largos milhares de euros em conteúdo patrocinado (notícias pagas) pela Câmara de Gaia, a segunda mais endividada do país, num mecenato que o director do jornal da Sonae pode agradecer aos contribuintes, que pagam do seu bolso a campanha eleitoral do edil – a mais cara do país, na verdade – e o momentâneo desafogo financeiro do diário. Mas esses mesmos contribuintes, e a Democracia, já agora, esperam que a folga não seja tanta que leve o director “que não tinha medo” do autarca de Gaia a também meter na gaveta, em nome de “valores mais altos”, o que, a bem do jornalismo independente, de que o PÚBLICO se diz arauto, deveria estar fora dela. Os leitores do PÚBLICO, entre os quais se contam Os Truques da Imprensa Portuguesa, acreditam que isso jamais acontecerá. Nisso e no Pai Natal.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Os jornais estão na generalidade falidos. Safam-se um ou dois por motivos óbvios. Futebol e Devassa sempre venderam bem!
    O Público não foge à regra. Qualquer publicidade paga, nem que seja o simples anúncio de um concurso público, funciona como um balão de oxigénio, para o jornal.
    PS e PSD necessitam destes meios de comunicação social entre outros, para levarem aos crentes ” a menssagem sempre renovada de fé no progresso, igualdade entre todos, e fraternidade”. Entretanto vão delapidando o erário público, ajudando ao mesmo tempo a manter o Público.
    Não é para isso que estes jornais existem?
    Ou alguém acredita que num país, por exemplo, nórdico, um jornal privado resista vinte anos consecutivos sem dar um único cêntimo de lucro?

  2. Ana A. says:

    Tendo sido constatado, há largas décadas, que “A Democracia é a pior forma de governo, à excepção de todos os outros já experimentados ao longo da história.” , muito me admira que continuemos de mentes e braços atados, a acreditar em milagres e, à espera que um dia o “sapo” se transforme, por si mesmo, em “príncipe”!
    Precisamos de meter mãos à obra e reedificar o “edifício” com todos os melhoramentos exigíveis para que funcione, e para que a bonita frase “a Liberdade e Democracia constrói-se todos os dias.” não seja apenas um slogon !

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s