Ser Portista

Sou portista e a favor que os árbitros roubem o Porto e favoreçam o Benfica. Considero que é uma questão de elementar justiça.
A nós, os do Porto, sendo grandes, eternos e profundos, não assiste o direito de exibir a superioridade outorgada por Deus, esmagando os adversários com os quais o mesmo Deus não terá sido justo, fazendo-os cruelmente inferiores, desanimados, incompletos, atentos somente à perfídia da batota e ao desalento da falta de jeito para jogar à bola.
O árbitro, como o Minotauro, nasceu para roubar os que, como os do Porto, não encontraram nos obstáculos naturais da vida a dificuldade necessária à expressão plena da sua vontade, da sua força e do seu talento transmundano, cuja imagem mais fiel é o próprio Céu de Deus, lugar cuja maravilha, contudo, fica aquém do trono verdadeiro do Portista, coluna inamovível, sustentáculo do Universo e do que além dele se desconhece.

5 comentários em “Ser Portista”

  1. O grave é que é a custo de subornos a políticos e violação de privacidade e ameaças à famílias dos árbitros, onde haverá certamente pessoas decentes.

    1. E o custo ao contribuinte das dívidas do orelhas, pois claro. E o controlo das forças de segurança. E um gangue violento de tráfico de drogas sem controlo.

  2. Calma, foi só o Setúbal. O Benfica deu 6… Se o Benfas é assim tão mau, às tantas a proeza não foi assim tão grande, né?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.